EM JOGO HISTÓRICO O FORTALEZA VENCEU, MAS FALTOU A CLASSIFICAÇÃO!

 

Nesta quinta-feira (27), o Fortaleza recebeu na Arena Castelão o Independiente. O jogo foi às 21h30, válido pelo jogo de volta da Copa Sul-americana.

Os visitantes tinham uma vantagem por ter ganho o primeiro jogo por 1x0, e para reverter o placar, os tricolores precisavam fazer dois gols de diferença. Em caso de 1x0 para o Leão, a decisão iria para os pênaltis.

(Foto: Reprodução/Internet)

O Leão raçudo e feroz mandou na partida, como fez no primeiro. Teve maior posse de bola e jogou para cima em busca de abrir o placar, mas os adversários se defendiam bem. Aos 23 minutos do primeiro tempo, após arrancada de Osvaldo, o jogador foi derrubado dentro da área,  e o Juiz marcou a penalidade. Juninho cobrou e marcou o primeiro para o tricolor, fazendo a alegria de uma nação. E assim se seguiu todo o restante do primeiro tempo, com o Fortaleza arriscando e tentando o segundo gol.

No segundo tempo o Leão veio para matar, sabia que estava superior e tinha chances. Seguiu buscando o segundo gol, mas nada de ele vir. Não temos reclamações a fazer dos jogadores pois todos mostraram garra e vontade dentro de campo.

A torcida pedia Wellington Paulista, Rogério chamou Marlon (o mais criticado) e todo o estádio “xiou” quando viu quem entraria campo. 

Gabriel Dias recebeu a bola sozinho no meio campo e avançou pela a lateral direita, levantou a cabeça e viu Marlon chegando sozinho perto da área. O volante cruzou, e o inacreditável aconteceu: Marlon chutou rasteiro e balançou a rede marcando 2x0 para o Leão, que seguia com a classificação nas mãos. 

A torcida foi à loucura com o gol do Marlon, o segundo do tricolor, e a classificação iminente. Entretanto, cautela e intensidade tinham que caminhar juntas até o último minuto. O time seguia a todo vapor, buscando o terceiro gol e nada de retranca.

(Foto: Facebook Fortaleza EC)

Porém já nos acréscimos, aos 47 minutos, em bola cruzada que ninguém entendeu nada, o Independiente marcou o gol, jogando um balde de água fria nós tricolores, e evitando assim a nossa classificação. Não tínhamos mas tempo para reverter, então foi só chorar (que ódio, pois o jogo foi todo nosso).

Fica o orgulho do time, pois mesmo estando pela primeira vez na competição já invadimos a Argentina logo no primeiro jogo. Nos dois jogos mostramos para o continente e para o mundo o grandioso clube que somos, tanto dentro de campo como nas arquibancadas.

Por Dayane Maciel

 

*Esclarecemos que os textos trazidos nesta coluna não refletem, necessariamente, a opinião do Blog Mulheres em Campo.