Em jogo sem gols, Sport empata com o Salgueiro

 

O campo irregular atrapalhou bastante a partida para o leão, e a falta de entrosamento do time alternativo também.

 

Em 2017, Daniel Paulista vai usar bastante esse time alternativo no campeonato Pernambucano. Pode até ser considerado um jogo para observar as qualidades dos jogadores, e gerar um pouco mais de entrosamento, já que este ano o Sport utilizará de boa parte de alguns garotos da base e alguns reservas. O jogo também serviu para Daniel Paulista testar um novo esquema tático. A partida terminou em um empate sem gols, mas o leão segue na liderança do hexagonal, deixando logo atrás Salgueiro e Náutico, ambos também com quatro pontos.

A partida aconteceu no estádio Cornélio de Barros, em Salgueiro.

Foto: Williams Aguiar/ Sport Club do Recife

 

O JOGO

PRIMEIRO TEMPO

Falta de técnica. Isso foi um dos grandes problemas do Sport no primeiro tempo. O esquema tático foi diferente e com ele um total desentrosamento. Três zagueiros (Matheus Ferraz, Adryelson e Henriquez) e sem um meia de criação. O esquema usado pela primeira vez por Daniel Paulista não funcionou, com muitos espaços dados entre volantes e atacantes e sem uma boa jogada ofensiva, o leão ficou para trás no início da partida. A torcida quase gritou gol em um lance bem esquisito envolvendo o atacante Marquinhos do Sport. Aos 15 minutos, Raul Prata cruzou e o goleiro Mondragón do Carcará foi enganado pela bola que quicou e resultou em uma cabeçada de Marquinhos onde bateu na trave. Já o Salgueiro teve três boas chances de abrir o placar, a melhor quando Willian Lira deixou o goleiro Agenor para trás e cruzou, faltou apenas um jogador de frente para a finalização.

 

SEGUNDO TEMPO

O retorno ao gramado contou também com uma mudança tática do time rubro-negro. Daniel Paulista desistiu de seu terceiro defensor e voltou ao seu antigo esquema 4-1-4-1, colocando o volante Fabrício na vaga do zagueiro Adryelson. O gramado ainda era um inimigo do leão, porém depois da mudança, o Sport conseguiu preencher os espaços vazios e ter mais posse de bola. Dois chutes fora da área foram uma das únicas chances para o leão balançar a rede. Uma de Thallyson aos 16 minutos, assustando o goleiro do Carcará que espalmou fazendo uma grande defesa. A outra foi a de Paulo Henrique, que foi menos perigosa chutando travado no goleiro Mondragón. O time rubro-negro melhorou, deixando o Salgueiro mais recuado após preencher os espaços dados no primeiro tempo, porém não foi o suficiente. A partida terminou assim: sem gols e sem emoção.

 

Ficha do jogo

Sport
Agenor; Matheus Ferraz, Adryelson (Fabrício) e Henriquez; Raul Prata, Neto Moura (Fábio) Thallyson, Lenis, Marquinhos e Mansur; Paulo Henrique(Wallace). Técnico: Daniel Paulista.

Local: Estádio Cornélio de Barros, em Salgueiro. 

Árbitro: Emerson Sobral. Assistentes: Clovis do Amaral e Marcelino Castro. 



Millena Santos