EM RETORNO PRECOCE DO CARIOCA, FLUMINENSE É DERROTADO NA REESTREIA DE FRED

 

Após muitas dissidências, o futebol carioca está realmente de volta.

(Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC)

 

O Fluminense, um dos clubes que resistiu ao retorno do campeonato, posicionando-se em prol da vida, precisou ceder e retornar aos gramados. O Tricolor foi a campo, no último domingo (28), às 19 horas de Brasília, contra o Volta Redonda, em jogo válido pela Taça Rio.

Era nítido o abatimento dos jogadores, com o psicológico visivelmente abalado. Alguns atletas, como Egídio, não esconderam a preocupação. O lateral esquerdo tricolor mostrou-se bastante preocupado com a situação e temeroso com o momento de pandemia.

Em campo, o próprio camisa 6 acabou perdendo a cabeça e foi expulso logo na etapa inicial da partida, após aplicar uma tesoura no adversário. O treinador Odair Hellman optou por sacar Marcos Paulo do time, para suprir a posição com Ourinho, na lateral esquerda.

O time do Fluminense mostrava-se totalmente perdido em campo, sem criar grandes chances e sem aproveitar as chegadas na área.

Foi então que após uma cobrança de falta errada, o Volta Redonda puxou o contra-ataque e, após falha grotesca de Muriel, abriu o placar.

O Fluminense cada vez mais perdido e nitidamente sem padrão de jogo, não conseguiu reagir e foi para o intervalo atrás no placar.

Na volta para a segunda etapa, o treinador tricolor realizou alterações esdrúxulas, tirou o reestreante da noite, Fred, que vinha brigando no ataque, mas sofreu com a falta de criatividade do meio, para pôr o jovem Caio Paulista. Além disso, tirou Yago para entrada do peruano Fernando Pacheco.

O time até ganhou em velocidade e dinamismo, mas apresentou pouca objetividade e falhas de marcação. E foi em uma dessas falhas que o Volta Redonda conseguiu ampliar sua vantagem. Em falha de Ourinho, o adversário ampliou o placar: 2x0.

O Fluminense estava mais perdido do que nunca, a única chance clara foi uma cabeçada de Caio Paulista embaixo da trave que acabou indo para fora.

Ao fim da partida, o Fluminense já não tinha mais recursos, e os jogadores estavam bastante desgastados e com aquela aparência de estarem só “cumprindo tabela”. Com as outras alterações do técnico, o time perdeu mais ainda qualquer coisa que fosse próxima a um padrão tático. E assim, o Volta Redonda ainda teve tempo para mais um. O Fluminense exposto de maneira desordenada acabou dando mais espaço, deixando o gol vazio, bastando uma infiltração do Volta Redonda para fechar a fatura em 3x0.

O Fluminense perdeu a liderança geral do Campeonato, mas ainda lidera seu grupo, estando quase matematicamente classificado para as semifinais da Taça Rio.

 

Por Viviany Marinho 

 

*Esclarecemos que os textos trazidos nesta coluna não refletem, necessariamente, a opinião do Blog Mulheres em Campo.