EM UM CONFRONTO DE IGUAL PRA IGUAL, INTER VENCE PALMEIRAS MAS NÃO CONSEGUE A CLASSIFICAÇÃO

 

 

 

 

Nesta quarta (31), o Internacional venceu o Palmeiras por 2 x 1, no Gigante da Beira-Rio, pelas oitavas de final da Copa do Brasil, mas não conseguiu a classificação, e o Verdão levou a melhor pelo gol qualificado.

 

Após a saída de Antonio Carlos Zago, o Internacional correu contra o tempo em busca de um novo comandante. Enquanto o clube negociava com Guto Ferreira, que assume o comando técnico a partir de agora, Odair Hellman foi quem treinou a equipe interinamente para o confronto contra o Palmeiras. O plantel foi a campo com Danilo Fernandes, William (Danilo Silva), Léo Ortiz, Victor Cuesta, Uendel, Rodrigo Dourado, Felipe Gutiérrez (Brenner), Edenílson, D'Alessandro, Marcelo Cirino (Eduardo Sasha) e Nico López.

 

O JOGO

 

Na primeira etapa, o colorado dominou a partida, e mostrou a verdadeira identidade do Inter, o time guerreiro que mesmo na Série B conseguiu vencer o atual campeão brasileiro, e levar 30 mil torcedores ao estádio. A equipe manteve boa mecânica, com variações do 4-1-4-1 em fase defensiva ao 4-3-3 para atacar. Sem a bola, por vezes, o Inter chegou a formar uma linha com cinco em frente à área, com Dourado e os demais volantes alternando para sair em combate, ao passo que Nico e D'Ale também se revezavam na recomposição.

Logo aos 6 minutos, Nico López recebeu a bola de Dourado, mas chutou por cima da meta e perdeu a chance, e aos 8 Edenílson roubou a bola no meio do campo, e tocou para o maestro D'Alessandro abrir o placar.

 

Jogadores comemoram gol de D'alessandro (Foto: Arquivo Inter)

 

Ainda no primeiro tempo, com investidas pelos lados do campo, o Palmeiras assustou, e Roger Guedes recebeu a bola de Dudu, chutou para dentro da rede de Danilo Fernandes, mas a arbitragem marcou impedimento. Mesmo assim, em nenhum momento o Verdão conseguiu ser superior ao Inter na partida.

 

Na segunda etapa, as duas equipes voltaram com alterações. No lado colorado, Eduardo Sasha entrou no lugar de Cirino, que estava sentindo dores no final do tempo anterior, e no lado paulista Thiago Santos entrou no lugar de Edu Dracena. Nos minutos iniciais, o Inter conseguiu manter o volume de jogo, chegando junto,  dominando a partida, e aos 10 minutos foi a vez do outro gringo. Nico López recebeu de William, chutou para o fundo das redes de Prass, e saiu para o abraço.

 

Nico Lopéz marca o segundo do Inter (Foto: Arquivo Inter)

 

 

Mas nem sempre o futebol é justo. Mesmo com uma atuação exemplar, digna da grandeza do Inter, o Palmeiras conseguiu descontar aos 34 minutos com Thiago Santos, e levou a melhor pelo gol qualificado, já que venceu a partida de ida por 1 a 0 em São Paulo. Nos minutos finais, o colorado ainda pressionou, e até Victor Cuesta tentou marcar o terceiro, porém sem sucesso.

 

Mesmo sendo desclassificado da competição, o Internacional saiu de campo aplaudido pela sua torcida, que lotou o Gigante em mais uma noite fria e chuvosa de Porto Alegre, e não parou de cantar um instante.

 

Mesmo com chuva, torcida colorada lotou o Beira-Rio (Foto: Arquivo Inter)

 

Além de animar o torcedor, essa partida teve uma importância técnica muito grande. Foi um espelho para o novo comandante colorado, que mesmo não estando presente no Beira-Rio acompanhou o jogo, ter uma noção das peças da equipe. Ainda, nos fez ver que depois da era Índio/Bolivar nosso Inter finalmente tem um zagueiro de verdade, Victor Cuesta não errou uma defesa, iniciou diversas jogadas de perigo e ainda saiu pro ataque nas horas vagas.

 

É gurizada, e o time da série B mais uma vez impôs respeito no adversário, mas o Palmeiras é um time que sempre jogou limpo, e embora não tenha jogado melhor dentro do Beira-Rio conseguiu marcar, merecendo a vaga. Agora nosso colorado foca no brasileirão, para tentar voltar ao topo da tabela, e no próximo sábado (3) encara o Juventude, às 19h, também no Gigante.

 

 

Nada vai nos separar,

 

Melina Bölner.