Em uma noite de pouca inspiração, ASA perde a invencibilidade na temporada!

 




Nenhum texto alternativo automático disponível.

    FOTO EXTRAÍDA DO FACEBOOK

O ASA enfrentou na noite desta quinta-feira (16), às 21h30 (Horário de Brasília) a equipe do CEO, em Olho d'Água das Flores. Devido à maratona de jogos, a equipe visitante foi a campo com seu time praticamente todo reserva, exceto o goleiro Luis Cetin e o meia Doda (que retornou de uma suspensão), com base nisso o técnico Maurílio Silva optou pelo esquema 4-3-3.

O fantasma foi surpreendido logo aos 2’ da primeira etapa, com um gol de André, neste momento CEO 1 x 0 ASA. O detalhe para esse gol foi uma tremenda falha da zaga alvinegra, a equipe até tentava fazer jogadas e pressionar, porém não conseguiu empatar o jogo, tornando o duelo tecnicamente truncado.

No final do primeiro tempo o CEO apertou e mais uma vez fez gol, dessa vez Cristiano aproveitou uma sobra de bola dentro da área e ampliou, CEO 2x0 ASA.

Em resumo, o primeiro tempo e os gols sofridos surgiram de falhas absurdas, erros de marcação, erros de chute, entre outros fatores.  O gramado e iluminação do estádio também não colaboravam para um jogo melhor, porém não justificou a postura do time.

No segundo tempo, logo aos 14’ o ASA tomava mais um gol, Mister ampliou o marcador, mandando a bola no ângulo do goleiro alvinegro, agora CEO 3x0 ASA e mais uma vez o time visitante se mostrava perdido em campo, o que resultou em um segundo tempo parado para ambos os lados, o mandante já consolidava sua vitória.


https://scontent.fmcz1-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-0/s600x600/16807034_1873011259600266_5985390040067487439_n.jpg?oh=1457508d6742f1f344788e115506e633&oe=59345B60


Foto: Jonathan Henrique

 

Aos 25’ o ASA diminuiu, mas a arbitragem de início não validou o gol, causando uma enorme confusão no gramado. Tudo ocorreu com uma polêmica sobre o gol do alvinegro Bruno Souto, que teria furado a rede ao entrar, mas depois do tumulto a arbitragem acabou validando, CEO 3x1 ASA.

O segundo tempo foi feito só de lançamentos, a bola não rolava, a arbitragem fraquíssima e sem pulso. Pra esse jogo o ASA entrou com: Luís Cetin; Ceará, Anselmo, Montoya e Léo Campos; Gaspar, Diego Gois, Diego Palhinha e Doda; Tiago Souza e Jefferson Baiano. Técnico: Maurílio Silva.

As alterações: Mazinho (no lugar de Gaspar), Jean Carlos (no lugar de Doda) e Bruno Souto (no lugar de Tiago Souza).

Nessa partida pode-se considerar como destaque do time do ASA, o jogador Gaspar, que foi o melhor em campo, da pra observar que ele pode ser utilizado mais vezes no time titular, pois consegue dar conta do recado, a exemplo deste jogo que o jogador não perdeu passe algum.



Texto de Arielly Soares, torcedora do ASA GIGANTE!