Empate amargo e apenas um ponto na conta

Goleiro palmeirense lamentou empate sofrido no último minuto

(Foto: ESPN)

Mais uma vez o Palmeiras bobeou e perdeu pontos contra um adversário fácil. Com todo respeito que deve ser dado ao clube do Coritiba, fato é que a folha salarial do clube paranaense não deve chegar nem a metade da folha salarial do Palmeiras; o número de reforços não chega nem perto ao que o Palmeiras recebeu desde o ano passado. De verdade, esse fantasma de perda de pontos contra adversários pequenos me assombra há muitos anos.

Foi em 2009 o último ano que o Palmeiras brigou na ponta de cima da tabela e até os últimos minutos poderia ter a taça na mão. Desde então o clube vem com campanhas medianas e cometendo erros cruciais que não podem ser admitidos em um campeonato de pontos corridos. Venho falando aqui por várias vezes que ganhar dos clubes pequenos e mais fáceis da tabela é obrigação. Comemorar um ponto fora de casa contra o Coritiba, pra mim é uma derrota.

Nessa noite de quarta-feira o Palmeiras ditou o jogo. Teve a maior posse de bola durante todo o jogo, chegando a ficar com 65% de posse, mas o time teve muitas dificuldades em finalizar ao gol, pelo menos do meu ponto de vista. Se você dita o jogo, tem a maior posse de bola, chute a gol deve acontecer muito mais vezes.

Detalhe a parte foi a zaga palmeirense. Os dois gols do Coritiba vieram de falha da zaga. No primeiro gol de empate do coxa a zaga simplesmente olhou para a bola passando e não se atentou em marcar os jogadores que estavam vindo de trás.

No novo gol de empate do Coritiba, muitas polêmicas a parte (impedimento e sinalizadores), novamente falha da zaga e também do Zé Roberto que não matou a jogada no seu inicio. E aqui concordo muito com o que o Prass falou: “Não pode sobrar um jogador com tanta liberdade para finalizar". E não pode mesmo.

Outro ponto a ser considerado foi a opção do comandante Cuca em recuar o time. Já na reta final da partida, Cuca sacou Roger Guedes e colocou o zagueiro Edu Dracena. A substituição pegou a todos de surpresa. Achei ruim a opção do treinador, se o Palmeiras dominava o jogo, a opção por recuar o time é muito perigosa e o pior de tudo, três zagueiros não conseguiram impedir o ex-Palmeiras, Leandro, a fazer o gol de empate aos 49 do segundo tempo.

Por isso, empate com gosto de derrota para quem já estava com três pontos ganhos.

A estrela de Churry volta a brilhar

Cristaldo comemora gol do Palmeiras

(Foto: ESPN)

Cristaldo durante o ano passado e até o inicio desse ano sempre foi tido como um amuleto palmeirense. Palmeiras precisa de gol? Só o Churry sair do banco que resolve.

O atacante foi relacionado pela primeira vez pelo técnico Cuca para o jogo de ontem. Na sua estreia com Cuca, substituiu Rafael Marques no segundo tempo e precisou de 8 minutos em campo para marcar o gol dele.

A estrela de Cristaldo volta a brilhar. Eu de verdade não gostaria que o atacante fosse vendido como tem se falado nos últimos dias e ao que parece, Cuca também não quer, pelo menos, é o que se tem escutado dos bastidores. Gosto do Cristaldo, ele pode não ser um jogador titular, mas ele é um excelente atacante que pode ser colocado durante o jogo. Faro de gol o argentino tem!

Fica Churry e #AjudaNoix!!!

Sinalizadores: um episódio a parte

Ação de alguns torcedores pode prejudicar o Palmeiras no tribunal

(Foto: UOL esporte)

Desde o momento que o jogo acabou ontem, eu estou vendo os palmeirenses se degladiando por conta dos sinalizadores. Foi culpado não foi, culpa é dos atletas, mas o sinalizador esfriou o jogo etc.

Aos 42 minutos do segundo tempo, parte dos torcedores do Palmeiras tiveram a “brilhante” ideia de acender sinalizadores na partida. Aqueles que todo mundo sabe que não pode entrar no estádio. Então, acenderam e segundo a regra se há sinalizadores acesos em campo o árbitro deve parar a partida. E assim o jogo foi paralisado.

Assim que os maledetos sinalizadores foram apagados e o jogo reiniciou, gol do coxa. Teria relação?

Aqui coloco a minha exclusiva e inteira opinião, estando sujeita a críticas. Acredito que o sinalizador influenciou sim, embora não seja o único culpado. Já falei ali em cima que os dois gols do Coritiba foram falhas da zaga, com paralisação ou não, zaga nenhuma pode deixar atacante com liberdade para chutar ao gol tão perto da área.

O Palmeiras estava até ali dominando o jogo e administrando o resultado (afinal o time estava recuado). Se a pausa esfriou a equipe palestrina, serviu para o Coritiba colocar a cabeça no lugar e chegar ao gol de empate.

Se os sinalizadores não tivessem sido acesos e o jogo paralisado, eu acredito que teríamos saído de Curitiba com os três pontos na bagagem, mas fica no achismo, nunca vamos saber. Culpar apenas os sinalizadores é burrice, achar que não teve nem um pouquinho de contribuição é ingenuidade.

Mas o que eu não consigo entender é como a torcida do Palmeiras tem feito coisas absurdas que prejudicam a equipe. Sinalizador é proibido, independente da influência ou não no resultado do jogo de ontem, o Palmeiras está na mira do STJD. O Procurador Geral do STJD, Paulo Schmitt, confirmou à reportagem do UOL esporte que vai denunciar o Palmeiras pelo uso dos sinalizadores.

No jogo contra o Flamengo a confusão dentro do Mané Garrincha gerou um jogo de portões fechado ao clube. No clássico de domingo, contra o Corinthians, um torcedor tacou um copo do campo e o árbitro relatou na súmula, o que pode gerar penalizações ao clube.

Se você torcedor sabe que não pode, por que faz? Quem se prejudica é o clube: multas, perda de mando de jogo, jogos sem torcida etc. Se você é contra o futebol moderno não vai ser infringindo a Lei que vai mudar as regras. Já com inteligência sim e prejudicar o próprio clube não me parece nem um pouco inteligente.


Marcela Permuy