ENFIM, MAIS UMA FINAL.

O Santos precisou apenas de 23 minutos para acabar com as esperanças do torcedor tricolor que ainda acreditava em uma classificação do São Paulo para a final da Copa do Brasil. Todos os fatores favoreciam a equipe santista, que durante a semana dizia que “nada estava ganho”, mas todos sabiam, que seria muito difícil essa vaga para a final sair das mãos do Santos.

O que muitos não esperavam é que essa segunda partida seria liquidada tão cedo, com um belo show da equipe santista que trazia grande perigo a cada contra-ataque, com a rapidez e habilidade de seus jogadores. Mais uma vez, fizemos a lição de casa.

O placar foi aberto aos 11 minutos de jogo, com gol de Ricardo Oliveira e assistência de Gabriel; aos 20 minutos, Marquinhos Gabriel – que vem apresentando um belíssimo futebol, diga-se de passagem – marcou um golaço, ampliando o placar do jogo; e pra liquidar de vez a partida, aos 23, Ricardo Oliveira marcou seu segundo gol no jogo. Três gols em apenas 23 minutos da primeira etapa, o que causou grande empolgação na torcida santista e a todos que acompanhavam a partida, que passaram a acreditar que poderiam ver uma goleada história na Vila Belmiro.

Fim de primeira etapa, o Santos já era finalista. Como a equipe voltaria para a segunda etapa? Será que continuariam em cima pra aumentar o placar ou baixaria o ritmo? A vaga já estava garantida e a torcida santista em festa.

Começou então a segunda etapa, o Santos diminuiu o ritmo - como era esperado – e o São Paulo conseguiu até marcar um gol na partida com Michel Bastos, um gol que não ajudou tanto assim.

A partida, como todos sabem, terminou em 3x1. O Santos, mais uma vez finalista em 2015, mais uma vez enfrentará o Palmeiras na final, assim como no Paulistão deste ano.

Mas não era o Santos que ia cair pra segunda divisão do Brasileirão este ano? Que não ganharia nada? Que não tinha time? Que ia falir? SIM, É ESSE TIME MESMO. É esse time, que deu a volta por cima e calou a boca de milhares de pessoas e da própria mídia, que pagou os salários atrasados, que teve jogadores entrando na justiça e deixando a equipe, mas que teve uma torcida que nunca deixou de acreditar... E assim, nos reerguemos!

Do considerado “time em crise” para o “o time do momento”. Da zona de rebaixamento ao G4. De campeão paulista a futuro campeão da Copa do Brasil.

SANTOS SEMPRE SANTOS.

Carolina Ribeiro