ENQUANTO HOUVER UM CORAÇÃO CORINTHIANO O LAMPIÃO NUNCA VAI SE APAGAR!

 

 

No dia 1° de setembro de 1910, a luz de lampião, um grupo de cinco operários fundou o Sport Club Corinthians Paulista. Ali no Bom Retiro, na esquina da Cônego Martins, com a José Paulino,  nascia a razão de viver de mais de 30 milhões de loucos. 

O Corinthians nasceu para tornar o futebol popular, para deixar o povo jogar o esporte da elite, e foi o povo que fez o Corinthians grande. Manos e Minas, maloqueiros, trabalhadores, gente que faz o "corre" para colar no jogo, que esquece até a mãe quando o assunto é futebol.

O corintiano é diferente, é diferenciado. Capaz de ostentar com orgulho a camisa depois de uma derrota e de ir até o outro lado do mundo para acompanhar o time, não à toa recebeu a alcunha de Fiel torcida.

Sofredores por natureza, fiéis por escolha. Os alvinegros resistiram há 23 anos de jejum, a demora pelo primeiro título brasileiro, a queda em 2007 e ao sonho da Libertadores, por devoção ao manto corinthiano. Ídolos se fazem por honrar a camisa e pela raça colocada em campo, não pelas taças erguidas. A gente valoriza quem dá o sangue, quem joga como se fosse o último jogo da vida!

Sorrimos e choramos, fomos do céu ao inferno ao longo desses mais de um século. Amargamos o fundo do poço, para alcançar a glória no topo do mundo!

Vivemos momentos épicos, como gol de Basílio 77, o tento de Ricardinho no último segundo diante do Santos, e a incrível defesa de Cássio diante do Vasco pela Libertadores. Levamos a loucura o mundo com nosso amor, invadindo o Maracanã e o Japão. Caímos, sentindo uma dor imensa ao soar do apito no confronto diante do Grêmio que sacramentou o nosso rebaixamento, mas ressurgimos, empurrados pela força da nação.

Lutamos contra os ditadores que quiseram mandar no time e no Brasil, fazendo valer o nosso sangue e reaça. Expulsamos o responsável por um dos maiores escândalos de nossa história, mostrando a nossa força. 

O Corinthians foi o escolhido, pelo Doutor da bola, dono de uma inteligência inigualável e capaz de mobilizar toda uma equipe para lutar pela democracia. De punhos cerrados, lamentamos sua partida num dia de Corinthians campeão. Foi escolhido pelo Doutor do corpo, que com orgulho dizia ter a alma alvinegra pois ela é eterna. O Corinthians é casa de imigrantes sonhadores, pessoas que precisam de abrigo. É morada de quem vive por um só ideal, de quem tem o coração batendo num só ritmo,  que se enche de orgulho e estampa um sorriso no rosto, para soltar o bom e velho Vai Corinthians!

O Coringão é o responsável por nossas melhores histórias, presenteadas com amizades de quem entende a nossa loucura e compartilha do mesmo amor. Afinal, quem não tem um irmão ou uma irmã que o Corinthians deu? Quem nunca abraçou um desconhecido para vibrar um gol e ganhou um amigo de alma?

 

Seremos eternamente gratos a Joaquim Ambrósio, Antônio Pereira, Raphael Perrone, Anselmo Correa e Carlos Silva, por terem dado vida ao nosso amado Coringão. Vida longa ao Timão!

É como a gente canta: ninguém melhor do que nós para falar de você! Feliz aniversário ao grande amor da minha vida, ao meu ansiolítico, ao meu refúgio! Tudo e todos na vida passam, mas o Corinthians é eterno! O Corinthians é o termômetro da minha vida, capaz de me dar força de vontade para viver!

Por Mariana Alves