ESQUADRÃO IMORTAL

O DIA EM QUE O MARACANÃ SE VESTIU DE VERDE E BRANCO!

Houve uma época em que a região Sul, era apenas conhecida no cenário futebolístico, pela dupla GRENAL, que colecionava títulos como Libertadores, Campeonato Brasileiro (ou Taça de Ouro) e até mesmo Mundial. Houve uma época em que o Paraná não era notado pelo “gigantes do futebol”, até que, em 1985, surgiu um time, um time que usava ás cores verde e branca, um time fundado em 1909, que não ganhava títulos desde 1979, que trazia o nome de Coritiba. O anonimato acabou em 1985, o futebol Paranaense passou a ser reconhecido entre os grandes, graças á Ênio Andrade que transformou o time em um esquadrão vencedor!

O COMEÇO

O começo para Ênio não foi nada fácil, em 5 jogos, o Coritiba venceu apenas um, que foi contra o Náutico pelo placar de 2x0. Desacreditado no campeonato e bem longe de conseguir uma vaga para a fase seguinte. Porém, no segundo turno, o Coritiba voltou para vencer , fora de casa, ganhou do São Paulo e Cruzeiro, na volta para casa,  perdeu para o Bahia, e empatou com o Vasco (sem gols). Por algum motivo sem explicação, o Coxa jogava melhor fora, do que dentro de casa, e foi assim na vitória diante do Goias, e do “poderoso” Flamengo, que contava com vários craques que vestiam a camisa vermelha e preta. Contra o Inter, empatou, e perdeu para a Portuguesa e Náutico. Apesar destes resultados ruins, a equipe conseguiu permanecer líder da chave, e precisa vencer apenas o Santos.

Dias antes do jogo contra o Santos, foi realizado um “exorcismo” por assim dizer no Couto Pereira, já que, havia algo que empedia a equipe de vencer jogos em seus domínios. Segundo á história, foram utilizados velas, cartuchos de pólvora, as traves, foram lavadas com água do mar, champanhe e pinga. No meio do campo, foi criada uma fumaça intensa, que tomou conta do estádio. E essa “macumba” toda acabou dando certo, o Coxa estava empatando com o time Paulista em 1x1, no último minuto, Lela, marcou e virou a partida, a torcida do Coritiba presente neste dia, explodiu de tanta alegria, o rime no sufoco se classificou para a próxima fase do Brasileiro.

Na sequência tivemos uma pausa para a eliminatórias para Copa do Mundo, foi ai que Ênio teve a chance de transformar o time desacreditado em um time campeão, o lateral Dida destacou o trabalho do técnico:

O Ênio tinha chegado com uma nova filosofia de jogo. Foi muito bom para a equipe. Ele fez alguns ajustes no grupo, dispensou alguns atletas e contratou reforços. Ajeitou algumas peças para encaixar no sistema dele”

(Dida em entrevista ao Globo Esporte em 2013)

A VOLTA

Na estreia, o Coritiba jogou contra o Sport, fora de casa, o Coxa apresentou um  futebol bem diferente do time da primeira fase, maduro e inteligente. Este jogo ficou em 1x1, mas, o Coxa pode mostrar o quando tinha crescido. O próximo jogo foi em casa, contra o Corinthians de Casagrande e Biro Biro, e o time alviverde saiu na frente com Lela, que pode comemorar com sua famosa careta, Rafael grande goleiro Coxa Branca, fez defesas espetaculares. O Coxa ainda venceu o Joinville (2x1) em casa. Na volta, novamente o time iria enfrentar o Timão, desta vez, fora de casa, o Coxa não conseguiu vencer e acabou perdendo pelo placar de 1x0. Nas últimas partidas venceu o Sport e o Joinville, se classificando para a semi final contra o Atlético MG.

 

SEMI FINAL

O primeiro jogo foi contra o Atlético Mg, no estádio Couto Pereira, que estava lotado. O Coritiba novamente se mostrou um time vencedor, e foi pra cima do Galo, o time só conseguiu marcar o gol no segundo tempo com Heraldo, que fez o Couto Pereira estremecer. No jogo de volta, em Minas, o Coritiba foi com a defesa armada, o placar estava em suas mãos, e um deslize poderia desclassificar a equipe Coxa Branca. O goleiro Rafael se mostrou impecável novamente, e foi um dos nomes do jogo, pegou tudo e garantiu o empate em 0x0, levando assim o time para a final e de quebra para a Libertadores da América.

 

A FINAL, O GRANDE CAMPEÃO DE 1985

Jogadores do Coritiba comemorando após a última cobrança de pênalti
Foto: UOL 

A final era disputada em partida única, quem possuísse a melhor campanha, decidiria em casa, com isso, o Coritiba enfrentou o Bangu no Maracanã. Duas equipes consideradas “pequenas” mostraram o quanto o futebol é preconceituoso, e que neste dia se mostraram GIGANTES no futebol Nacional.

Além de enfrentar o Bangu, o Coxa teve que enfrentar também, 91 mil torcedores, entre eles, Flamenguistas, Botafoguenses, Vascaínos e Tricolores, que se uniram para lotar o estádio e torcerem juntos para o time de Moça Bonita e pelo futebol Carioca. Um belo gesto, que hoje em dia, não vemos mais, infelizmente.

Com o sangue frio, e acostumado a jogar (e ganhar) fora de casa, o Coxa foi pra cima do Bangu, e abriu o placar com um golaço de falta, batido com índio aos 25 minutos do primeiro tempo. Mas o Bangu não deixou por isso mesmo, e 10 minutos depois, empatou a partida com Lulinha. O jogo seguiu pegado, tanto no fim do primeiro tempo, quanto no segundo, e foi assim que a partida se encaminhou para os pênaltis.

Em suas cobranças, os jogadores se mostraram tranquilos e decisivos, converteram todos os pênaltis, com 5x5, a cobrança foi para alternadas, e em sua primeira cobrança, Ado do Bangu, mandou a bola pra fora, deixando assim, os 91 mil torcedores, aflitos e de mãos cruzadas, tento que torcer ainda mais contra o Coritiba. Gomes foi para a cobrança com tranquilidade e fez o gol, o gol do primeiro título Brasileiro do Coritiba.

 

 COMEMORAÇÃO

Torcida do Coritiba recebendo o time campeão de 85
Foto: Portal do Coritiba

A festa obviamente foi em Curitiba, onde equipe Coxa Branca foi recebida com buzinaços, foguetório e gritos de É CAMPEÃO! A festa seguiu das ruas para o Couto Pereira, onde a torcida pode assim, comemorar junto com os atletas essa enorme conquista.

Um título conquistado na raça e na força de vontade, com a coragem de um técnico, que apostou em um time desacreditado por todos. Ênio calou um estádio inteiro, calou torcedores que cantaram vitória antes da hora, mostrou que com determinação, se pode ter um time campeão. Equipes como Atlético Mg, Sport e Brasil de Pelotas, tiveram mais vitórias que a própria equipe Coxa Branca. O Coritiba foi o único time no mundo, a ser Campeão Nacional com um saldo negativos de gols, mas o diferencial de Ênio, foi fazer um time competitivo, mas, saber segurar o placar quando necessário.

O time que não era conhecido por quase ninguém, e considerado por muitos “pequeno”, mostrou a verdadeira grandeza do futebol, e foi CAMPEÃO BRASILEIRO DE 1985!

Hoje é com orgulho imenso que carregamos a estrela no escudo.

Jogadores com a taça de Campeão Brasileiro de 1985 

Foto: Campeões do futebol 

 

TUA CAMISA ALVIVERDE COM ORGULHO PARA SEMPRE HEI DE AMAR

JOGANDO PELOS CAMPOS BRASILEIROS, DESPERTANDO NA TORCIDA EMOÇÃO, CORITIBA CAMPEÃO DO POVO, ALEGRIA DO MEU CORAÇÃO…

(Texto baseado na pesquisa do site Imortais do Futebol)

 

Por: Patrícia Moro