EU E MEU “PRÉ” CONCEITO COM A ORGANIZADA

 

Sempre fui muito crítica, e tinha muita aversão quando se falava de Torcida Organizada. Sempre achei que tudo que eles faziam prejudicava o time, que era só baderna, que era só bagunça. Achava que eles só serviam pra usurpar o time e levar vantagem sempre.

 

Foto: blogpadrão

 

Até que graças a um blog conheci duas pessoas maravilhosa que são linha de frente em organizadas – Thata Bajano – Torcida Jovem Ponte Preta  e Jéssica Nogueira Torcida Independente São Paulo. Tive a oportunidade de conhecer de perto o quanto elas se esforçam para estarem unidas com suas torcidas e acompanhar o time do coração. Uma trabalha de domingo a domingo, faz “corres” para trocar o feriado, acompanha pela net e vibra como se estivesse no estádio. A outra sai mais cedo do trabalho, deixa o filho em casa, vira noite viajando e vai trabalhar no outro dia cedinho.

O que ambas tem em comum? A vontade de estar sempre ao lado da torcida e de estar presente sofrendo e gritando junto os 90 minutos. As campanhas pra doação de alimentos, de agasalhos, de ovos de páscoa. A ajuda quando aquelas casinhas pegaram fogo, quando aquela criança não tem nem o básico pra sobrevivência.

Em épocas onde nossa Confederação Brasileira de Futebol tenta elitizar o esporte, as organizadas lutam pra sobreviver e levar a festa para as arquibancadas. Lutam por valores acessíveis, lutam pelo sinalizador, brigam pelas faixas ou por um simples batuque pra fazer a festa.

 

Foto:futdointerior

A quem diga que eles estão ali pra prejudicar o time – SIM, eu também já pensei assim. E quando você começa a ler e ouvir as histórias, você percebe que não é tão simples assim.

Já pararam pra observar como nossas arquibancadas estão tristes sem o som dos tambores acompanhando as vozes da torcida? Já pararam pra observar que sem o som da torcida podem ter 10.000 nas arquibancadas e mesmo assim elas parecem vazias?

Saudades dos meus três anos de idade, que eu achava bonito ver a bandeira tremular. Daquele caldo de cana gelado, daquele pacotinho de amendoim. Daquele senhor que estava do meu lado com aquele radinho preto na orelha!

Hoje o que se vê são os “moderninhos” que estão ali pra criticar tudo e se achar mais torcedor que os outros. O que se vê são águas a R$ 5,00 e ingressos a R$ 100,00.

O futebol esta cada dia mais chato, mais elitizado e mais moderno. O futebol hoje é de empresários e Confederações e Federações.  Tentam calar a torcida quando ela protesta da forma mais baixa possível.

O futebol é e sempre foi festa. É a válvula de escape pro estresse da semana, é o encontro entre amigos, é o coração saindo pela boca, é a chacota com o rival, o assunto da semana.

Não nos calem, não calem a torcida. Não tentem mais nos elitizar, nos permitam viver cada dia mais nossa paixão!!


por Li Zancheta