Existe trampolim no fim do túnel?

Com um cenário nada favorável e sem entrar em campo desde setembro de 2016, a Portuguesa respira com a ajuda de aparelhos. O novo presidente Alexandre Barros promete uma equipe competitiva para retornar à Série A do Campeonato Paulista e subir para Série C do Brasileirão. Trabalho nada fácil, já que o clube acumula dívidas milionárias e segue com toda a sua renda bloqueada pela justiça.

lusa.jpg

Fonte: Arquivo pessoal

A torcida rubro verde aguarda o resultado da suspensão do leilão do estádio, o acordo com a advogada Gislaine Nunes e as cenas do próximo capítulo do caso Héverton, mas será que os ventos devem mudar pelos lados do Pari?

A Lusa entra em campo pela Série A2 do Paulista no dia 29 de janeiro, domingo, às 17h, contra o Barretos no Canindé. Acredita-se que até a data da partida o estádio esteja liberado para receber as duas equipes. Nas redes sociais, a torcida promete lotar as arquibancadas com mais de 10 mil pessoas.

O grito preso na garganta de cada torcedor lembra que as cores verde e vermelho não podem ser esquecidas. Que o arrepio na pele quando o gol tão esperado acontece continue nos motivando a comparecer nas arquibancadas. Ou até mesmo que o torcedor ícone, Sardinha, guarde suas últimas lembranças de uma nova Portuguesa.

lusa1.jpg

Fonte: Gabriel Lopes, sede da Leões da Fabulosa.

Mas, afinal, a pergunta que fica é: existe trampolim no fim do túnel? Eu não sei, mas torço para que a resposta seja sim.

De rubro verde para rubro verde, Thaís Santos.