Faltou a classificação, mas sobrou raça.

 

Foto:espn

Não deu para o Palmeiras na noite de quinta-feira. A missão era difícil, todos sabiam. Depender de outro jogo para garantir a classificação era uma loteria, quanto mais quando se soube que o Nacional jogaria contra o Rosário com vários desfalques. O Palmeiras cumpriu seu papel, venceu e ainda descontou o saldo de gols que seria necessário para a classificação, caso o Nacional tivesse ganhado o jogo no Uruguai.

O Rosário bateu no Nacional por 2 a 0 e o Palmeiras bateu o River Plate-URU por 4 a 0, em um jogo sensacional, onde só faltou a classificação, mas raça o time teve de sobra. Já fazia algum tempo que eu não via um Palmeiras jogar com tanta vontade como eu vi ontem.

O jogo demonstrou como o time está evoluindo cada dia mais sob o comando do Cuca e até jogadores antes tão contestados estão demonstrando uma grande evolução. Caso do Egídio que ainda foi autor do primeiro gol palmeirense na noite de ontem.

Mas se o Palmeiras perdeu a vaga para as oitava do continental, não foi por culpa do Nacional, mas sim por sua própria culpa, pois perdeu pontos importantes em outros jogos. Começando pelo empate com o River lá no Uruguai, que era incontestavelmente o time menos perigoso do grupo. Ou as duas derrotas para o Nacional, principalmente, a derrota em casa para os uruguaios. O Cuca, em entrevista após o jogo, optou por assumir a culpa em virtude do jogo contra o Rosário na Argentina, pois caso tivéssemos ganhado aquele jogo (e tivemos condição para isso), hoje estaríamos classificados.

Embora admire a postura do comandante alviverde, não culpo ele pela eliminação. A culpa é bem anterior a isso. Durante a fase de grupos a defesa palmeirense mostrou falhas enormes, foi vazada oito vezes, além de falha na marcação das bolas paradas e marcação de pênaltis bobos que prejudicaram a equipe.

Há quem sustente que o Marcelo de Oliveira deveria ter caído antes, mas se ele tivesse caído antes provavelmente o técnico de hoje não seria o Cuca. No final do ano passado ele, em virtude de problemas particulares, não estava disponível. E se fosse outro técnico será que teria dado jeito no time fraco taticamente do Marcelo? Não sabemos, são muitos “e se” dolorosos para pensar nessa sexta-feira amarga.

De resto eu estou vendo o Palmeiras com outra cara, tanto taticamente quanto dos próprios jogadores. O Cuca já declarou que o projeto dele é a conquista do Brasileirão e ele está certo. O problema do futebol brasileiro é sempre ser muito imediatista, nenhum projeto é feito a longo prazo, não é dada oportunidade para um treinador fazer um projeto nos clubes. O Palmeiras é um grande exemplo, durante a era Paulo Nobre teve tantos técnicos que eu já perdi até as contas, todos mantidos por curto período de tempo, sem conseguir dar padrão ao time.

A eliminação precoce é dolorosa, mas há muito que se confiar nesse time que tem tudo para ganhar o Brasileiro deste ano e disputar a Libertadores do ano que vem. Temos que aprender a entender a ideia de projetos a longo prazo. Precisa de raça pra ser campeão sim, e ontem essa sobrou, mas agora falta planejamento ao Palmeiras para este e os próximos anos.

 

Destaques

Os destaques da partida pra mim têm dois nomes: Allione e Matheus Sales. Confesso que eu sou muito fã desses dois jogadores, embora alguns palmeirenses achem que eu exagero com eles, mas eu acredito muito na evolução desses dois.

 

(Fonte: UOL Esporte)

Allione desde sua contratação, a pedido do Gareca, oscila entre boas e medianas apresentações, nos últimos jogos sempre que tirado da reserva tem demonstrado ótimo empenho e marcando muitos gols para o Palmeiras. Só ontem foram dois gols dele. Acredito que ele tem tudo para ser uma das peças importantes deste novo Palmeiras. Ontem jogou muito bem, bem posicionado aberto pela direita, foi eleito o melhor jogador da partida e com méritos.

Matheus Sales - esse menino mostra uma maturidade que eu vejo em poucos jogadores, principalmente do Palmeiras. Saído da base há pouco tempo, vem sendo uma ótima opção do lugar do Arouca. Aliás, eu deixaria o Arouca no banco, pois esse não rendeu nem metade do que jogou no Santos. Cuca, por favor, invista nesse menino, ele tem condições de evoluir cada vez mais.

 

Cleiton Xavier voltou!

Oito meses sem disputar uma partida pelo Palmeiras, o Cleiton Xavier voltou! Você não leu errado, é isso mesmo! Há quem nem acreditasse que um dia ele sairia do Departamento Médico, mas ele saiu e entrou muito bem no jogo.

Cleiton entrou no segundo tempo no lugar do Robinho (muito mal na partida) e com pouco mais de 30 minutos jogados, foi o quinto jogador a mais tocar na bola (78 toques) e o terceiro a mais acertar passes (68 acertos de 76 intentos).

Entrou e jogou bem que continue assim e que não lesione mais, pelo amor de Dio!

 

Marcela Permuy, Eterna devota de São Marcos