FALTOU ACERTAR O PÉ!

 

 

Mesmo tendo mais chances no jogo, o Bahia ficou apenas no empate com o Atlético-PR, na tarde do último domingo (29), na Arena Fonte Nova, em partida válida pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro.

 

 

TÁTICA PERFEITA

Guto Ferreira teve uma prova de fogo contra o Atlético-PR. O time do comandante Fernando Diniz é a sensação do campeonato, surpreende com seu jeito de jogar futebol, com paciência, compactação e por serem adeptos do jogo com a bola no chão, passando por todos os setores, sem forçar nenhuma jogada.

 

 

Felipe Oliveira / EC Bahia

 

 

Para jogar contra o Furacão, o técnico do tricolor teve que ser inteligente e treinar o time para quebrar a jogada do adversário, e conseguiu. O Bahia subiu a marcação, sem deixar espaços para que o Atlético conseguisse completar suas jogadas. Apesar de o time visitante ter a maior posse de bola do jogo, as chances mais claras foram do Bahia, que também conseguiu finalizar mais vezes que o time do Paraná (23 x 9).

 

 

FALTOU A PONTARIA

O Bahia conseguiu quebrar a tática do Atlético, mas ainda assim não teve êxito para abrir o placar. Os atletas ainda pecam na finalização, foram 23 desperdiçadas, quando não ia pra fora, parava nas mãos do goleiro Santos, que foi um dos protagonistas da partida.

Ainda no primeiro tempo, Elber teve chance de abrir o placar, mas o arqueiro do Furacão defendeu em dois tempos, do outro lado, Zé Rafael também tentou, mas acertou a trave.

 

 

Felipe Oliveira / EC Bahia

 

 

No segundo tempo, apesar do ritmo menor, a proposta do jogo continuou a mesma e o placar também. Tentativas não faltaram: Edigar bateu em cima do goleiro Santos, Elber tentou no rebote, mas o arqueiro voltou a defender. Léo também arriscou e Santos, mais um vez salvou o Atlético-PR.

A partida terminou mesmo no 0x0. Um empate dentro de casa pode ser visto como resultado ruim e de fato perder 2 pontos é pra se lamentar. Porém, o gosto que ficou foi de que o time do Bahia evoluiu e temos SIM um técnico inteligente. Guto foi capaz de destruir a tática de Fernando Diniz, o técnico referência no cenário atual, os jogadores conseguiram cumprir com o planejado e o que se viu na Fonte Nova foi um jogão de bola.

 

 

AUXILIAR ESTEVE NO COMANDO DURANTE A PARTIDA

Apesar dos elogios ao técnico Guto Ferreira, o mesmo não pôde comparecer ao confronto contra o Atlético-PR, pois foi expulso no último jogo contra o Santos. Em seu lugar, o auxiliar Alexandre Faganello esteve à frente da equipe contra o Furacão.

 

 

Felipe Oliveira / EC Bahia

 

 

Faganello comentou sobre a atuação da equipe na partida: "Faltou o principal, que foi o gol. No segundo tempo a gente continuou com a mesma proposta de jogo, roubando a bola no nosso campo de ataque para sair rápido e criar situações de gols. Tivemos 22 finalizações contra nove deles. Isso mostrou o que foi o jogo. Fomos superiores do início ao fim contra uma equipe que vem sendo taxada como uma das melhores, com uma proposta diferente, mas tenho que exaltar o time do Bahia. Merecimento não existe no futebol. Faltou um pouquinho para fazer o gol que nos daria o triunfo".

 

 

PRÓXIMOS CONFRONTOS

Com o resultado, o Bahia ocupa o 12º lugar com 4 pontos no Campeonato Brasileiro. O próximo compromisso na competição é contra o Sport, no domingo (6) na Ilha do Retiro, em Recife. Antes, o tricolor volta a campo na quinta-feira contra o Botafogo-PB no Estádio de Pituaçu, às 21h45 na segunda partida das quartas de finais da Copa do Nordeste. O Esquadrão venceu o primeiro jogo por 2x1 e pode até sofrer uma derrota por 1x0 que garante a classificação.

 

 

FICHA TÉCNICA
Bahia 0 x 0 Atlético-PR

 

 


Campeonato Brasileiro - 3ª rodada
Local: Arena Fonte Nova, em Salvador
Data: 29/04/2018 (domingo)
Horário: 16h
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Assistentes: Guilherme Dias Camilo e Sidmar dos Santos Meurer (ambos de MG)

Cartões amarelos: Zé Ivaldo e Paulo André (Atlético-PR) / Élber, Zé Rafael (Bahia)

 


Bahia: Douglas; Nino Paraíba, Rodrigo Becão (Everson), Lucas Fonseca e Léo; Elton; Élber, Gregore, Vinícius (Régis) e Élber; Edigar Junio (Júnior Brumado). Técnico: Alexandre Faganello

 


Atlético-PR: Santos; Pavez, Paulo André e Zé Ivaldo; Matheus Rossetto, Bruno Guimarães, Lucho González (Jonathan) e Carleto; Nikão, Guilherme (Raphael Veiga) e Pablo (Lucas Ribamar). Técnico: Fernando Diniz.

 

 

 

Por Júlia Fraga,

#BBMP!