Feliz Aniversário Branco

 

O melhor lateral esquerdo que já passou pelas Laranjeiras é ídolo eterno no coração da torcida do Fluminense

 

Branco com o uniforme tricolor

Foto: Acervo do Fluminense

 

Impossível para todo o Tricolor esquecer a seguinte escalação: Paulo Vítor; Aldo (Getúlio), Duílio, Ricardo Gomes e Branco; Jandir, Delei (Leomir) e Romerito; Assis, Washington e Tato (Paulinho). Técnico: Carlos Alberto Parreira.

Esse elenco admirável dos anos 80 consagrou-se na história do clube e conquistou os títulos de Tricampeão Carioca, 83, 84 e 85, e Campeão Brasileiro de 1984. E dentre eles, Branco brilhava em campo com atuações quase perfeitas. Fez uma parceria magistral com o ponta-esquerda Tato e atormentou as zagas rivais com técnica e chutes poderosos. O aniversariante do dia foi sem dúvidas, um dos grandes destaques deste elenco. Ele fez 157 partidas e marcou 12 gols defendendo a camisa das três cores.

 

Time do Fluminense de 1983 á 1985 com Branco

Extraída da Internet

 

E para o lateral, este foi o melhor time de sua vida e ele se orgulha muito por ter feito parte. E sobre seu melhor jogo, ele nem pensa para responder:

“Foi a semifinal do Brasileiro contra o Corinthians, em 1984, no Morumbi lotado pela torcida deles. Foi muito significativo e incrível aquela partida. Perfeita em todos os sentidos. Lembro até hoje que a torcida deles não nos deixaram dormir. Foram para a porta do hotel onde o Fluminense estava concentrado e soltaram fogos a noite toda. Quando acordamos, no café da manhã, eu disse: vamos para dentro. Já que eles não nos deixaram dormir, vamos acordá-los em campo. E vencemos por 2 x 0, com gols de Assis e Tato”, recorda.

 

Branco em ação pelo Fluminense contra o São Paulo em 1984

Foto: Globo Esporte

 

E o talento de Branco veio de berço. Desde menino seu passatempo favorito era com a bola e ele jogou muitas peladas nas ruas de sua cidade Natal, Bagé, no Rio Grande do Sul. Vendo o carisma do filho, seus pais logo o colocaram numa escolinha até que ele foi chamado pelo Guarani de Bagé, onde começou sua carreira. De lá passou pelo Internacional até chegar ao Fluminense, com apenas vinte aninhos. O jogador afirma que foi um grande presente esta transição e que ficou bastante surpreso com a rapidez com que o clube carioca realizou a transação. E foi amor à primeira vista, um sentimento que ele carrega em seu peito até hoje e garante que será por toda a vida.

Comemoração de gol com o elenco

Foto: Acervo Internet

 

“Me sinto muito amado pela torcida. Aonde vou e encontro com um Tricolor sou tratado com muito carinho, sempre me reverenciam. Meu time de coração é o Fluminense. Não tem como ser de outro jeito”, afirma.

O jogador foi convocado para disputar três Copas do Mundo, 1986, 1990 e 1994, e depois daquele golaço de falta que fez contra a Holanda, nas quartas-de-final da competição em 1994 conquistou lugar cativo no coração de toda a torcida brasileira.

 

Branco com a taça conquistada na Copa de 1994

Foto: Extraída da Internet

 

Depois de sua passagem grandiosa pelo Fluminense, Branco defendeu equipes de Portugal e da Itália. Retornou ao Brasil em 94 para jogar no Corinthians e por pouco não conquistou mais um título brasileiro. Mas encerrou sua carreira no Fluminense, o seu grande amor.

O blog Mulheres em Campo parabeniza o jogador e presta esta singela homenagem ao talento deste craque que marcou seu nome na história do futebol mundial.


Carla Andrade