Feriado Real!

O PALMEIRAS CHEGA PARA MAIS UM CHOQUE-REI COMO FAVORITO, MAS NÃO CUSTA NADA LEMBRAR QUE QUANDO SE TRATA DE CLÁSSICO, NÃO HÁ FAVORITISMO.

A vigésima terceira rodada do Brasileirão tem cheiro de poeira... O velho clássico entre Palmeiras e São Paulo tem muita história para contar, afinal são setenta e quatro anos de confronto.

Como sempre falamos aqui, a bagagem histórica é muito importante, porque o futebol é feito de memórias.

Mas o presente é o grande presente que o futebol traz! É o elenco atual que entra em campo e decide a partida. Tudo acontece no "aqui e agora" dos noventa minutos de bola no pé.

E aí, quando essa mistura entre passado e presente, é forte, pode ter certeza, que não falta emoção.

Apesar do rival histórico estar vivendo hoje, uma crise interna e ocupar a insossa décima segunda posição na tabela, os jogadores e todo mundo já está "careca de saber" que clássico é clássico e que realmente tudo pode acontecer.

O experiente comandante do Verdão sabe disso melhor que ninguém e não se deixa contagiar pela imprensa, que insiste em falar de favoritismo, ele trabalha com os pés bem fincados no chão e a cabeça focada no objetivo que traçou desde a primeira rodada: manter a estabilidade, para que o tão sonhado e merecido título venha.

E quando se trata de clássico, a preocupação dobra e é fácil ver uma ruga na testa do sereno Cuca. Todo trabalho é pouco.

Para o jogo de amanhã, a grande preocupação era Moisés, machucado no último confronto. O nosso profeta tem, junto com Tchê Tchê, a importante função de abrir o caminho, levando o time à terra prometida do gol, maestrando o meio de campo com aquela "liga" para o ataque.

O dono da camisa vinte e oito fez um intenso trabalho de recuperação durante a semana e foi relacionado, mas a sua efetiva participação, ainda é dúvida.

E por falar em "abrir caminhos" e "terra prometida", o nosso menino abençoado, que está representando a seleção brasileira em amistosos, desfalcaria a equipe mais uma vez, mas quem tem Jesus no time tem que fazer milagres: a diretoria já providenciou tudo para que ele volte para São Paulo a tempo de pisar os pés no Allianz Parque para o clássico. Aleluia!

Desta forma o técnico do Alviverde garante força total para o confronto.

Os vinte e cinco convocados são: Jailson e Vinicius Silvestre, Egídio, João Pedro, Jean e Zé Roberto, Edu Dracena, Mina, Thiago Martins e Vitor Hugo, Gabriel, Matheus Sales, Thiago Santos e Tchê Tchê, Allione, Cleiton Xavier, Fabrício, Moisés e Vitinho, Dudu, Erik, Leandro Pereira, Rafael Marques, Róger Guedes e Gabriel Jesus.

“E o São Paulo? Vocês irão aproveitar a má fase deles para vencer o jogo?”, perguntou um repórter numa das entrevistas coletivas da semana, “Do São Paulo eu não sei nada, não estamos preocupados com a fase deles, o que eu sei é que nós vamos aproveitar o nosso bom momento, para fazer um grande jogo...” disparou com muita tranquilidade, Zé Roberto, no auge da sua experiência.

É isso Zé! Quando se trata de clássico, realmente não há favoritismo.

Mas um time que tem identidade e que sabe do seu potencial, não precisa ser favorito. Ele sabe quem ele é e isso basta pra entrar em campo e ganhar.

Esse é o Palmeiras de Cuca. O Palmeiras de milhões de torcedores apaixonados. O Palmeiras líder absoluto do Brasileirão.

Pra cima deles Verdão!

Por Ale Moitas