Ferroviária x Fluminense: o duelo entre time reformulado e o time revigorado

O período forçado de testes e ajustes que a eliminação no Campeonato Carioca ocasionou encerra hoje nas laranjeiras. O Fluminense volta aos gramados para enfrentar a equipe da Ferroviária em Araraquara, interior de São Paulo, às 19h30, pela Copa do Brasil e espera conseguir uma vantagem parecida com a que teve contra o Tombense-MG e que o deixou livre do jogo de volta.

 

A escalação anunciada como “força máxima” é a mesma que carrega a derrota para o Botafogo por 1x0 no dia 24. Diego Cavalieri, Jonathan, Gum, Henrique e Wellington Silva; Pierre, Cícero, Gustavo Scarpa, Gerson e Osvaldo; Fred. Por sorte e para o alívio de seus torcedores, Levir Culpi e os próprios jogadores garantem que a postura em campo será diferente e que o Fluminense está com foco total para a partida.

 

Em entrevista para a ESPN, Levir selecionou as palavras com cautela, demonstrando respeito pelo adversário, mas expondo a postura que seus comandados entrarão em campo.

 

- Temos que buscar gols como fizemos com o Tombense. Ganhar por um placar dilatado faz parte do jogo e vai acontecer se conseguirmos nos impor para isso. É importante entrarmos em campo respeitando o adversário e buscando a conquista da vitória – afirmou o treinador.

 

(Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

 

Gustavo Scarpa manteve a linha de raciocínio de Levir Culpi, entretanto, foi mais ousado na hora de se pronunciar. Eleito o craque da Primeira Liga e um dos grandes nomes da temporada, o jogador assumiu a responsabilidade e se mostra com a cabeça no lugar.

 

- Tivemos uma boa semana de preparação para essa partida contra a Ferroviária e acredito que a equipe tenha boas condições de mostrar um futebol mais eficiente do que o visto contra o Botafogo e mais próximo dos nossos melhores jogos nesta temporada. Respeitamos demais o nosso adversário, que disputa o Campeonato Paulista, de um alto grau de exigência. Portanto, vamos precisar estar em uma boa noite para atingirmos nossos objetivos – analisou o camisa 20 tricolor também para o site ESPN.

 

Imagem por: O Imparcial (fonte FutebolInterior)

Já o treinador Antônio Picoli, pela primeira vez a frente da Ferroviária na Copa do Brasil, não terá seu time titular da temporada a disposição. Fernando Gabriel, Hugo, Rosseto, Tiago Adan e Rafinha não estão mais no elenco. Além deles, Igor Julião, lateral direito, e o atacante Samuel, dois nomes bem conhecidos pela torcida do Fluminense, deixam a locomotiva após um período de empréstimo e estão fora da partida. Luiz Paulo e Caique vão assumir as posições respectivamente. O último nome é Luiz Gustavo, que assume a vaga do volante Renan, expulso no empate contra o Salgueiro no dia 13 de abril. Alexandre Cajuru, Wanderson, Marcão, Thallyson, Juninho, Fernando Gabriel, Danielzinho e Tiago Marques completam o provável time titular.

 

Há pouco mais de uma semana no time e com tantas mudanças no elenco, quem pensa que Picoli está apreensivo ou receoso com o desafio, está enganado. As palavras do treinador mostram que o Ferroviária não facilitará a vida dos cariocas.

 

Imagem por O Imparcial (fonte FutebolInterior)

 

- Penso que a vida é feita de oportunidades e quando você tem a condição de enfrentar o Fluminense por uma Copa do Brasil, precisa ter a consciência da importância do jogo, e a capacidade de saber aproveitar bem o momento – categorizou em entrevista disponível no site futebol interior. Essa é a primeira vez na história que o torcedor afeano verá seu time disputar a segunda fase da copa.

 

Caso a equipe tricolor consiga a vantagem de três gols, o técnico Levir Culpi terá mais onze dias para treinar e encontrar a “cara do Fluminense”. O primeiro adversário do Brasileirão é o América MG, dia 15 de maio, fora de casa. Se não conseguir o resultado necessário, o jogo de volta será em Volta Redonda na próxima semana.

 

Além do discurso de respeito ao adversário, Levir deixou claro que leva a sério a palavra mágica das Laranjeiras: prioridades. Ciente que o time ainda não está com a liga necessária para se manter um time favorito no Brasileirão, a equipe precisa se agarrar a Copa do Brasil como um atalho para Libertadores.

 

- Já conversei com os jogadores que estamos com alguns objetivos agora. O primeiro é a Copa do Brasil, depois, o Brasileiro. O objetivo do Fluminense é a Libertadores e os títulos. A Copa do Brasil é muito interessante. São jogos perigosos, de tudo ou nada. Em um jogo pode se decidir a classificação. Gosto muito deste campeonato. O custo-benefício é ótimo, te leva para a Libertadores. Todos querem ganhar – palavras do Levir disponíveis no site oficial do clube.

 

Enquanto a novela Fred e Levir parece se arrastar silenciosamente, mas ninguém ousa sequer a jogar uma faísca, as balanças ainda estão a postos nas redes sociais. Do lado do capitão, os dez jogos sem marcar parecem cada vez mais pesados e a torcida aguarda ansiosamente pelos gols decisivos. Já o treinador aparece com mais moral, sobretudo por ser bicampeão da Copa do Brasil, em 1996 com o Cruzeiro e em 2014 com o Atlético-MG.

 

Resta saber se os dias de descanso foram necessários para que a ordem, a paz e o bom futebol voltaram aos corações e aos pés do tricolor carioca. A Arena Fonte Luminosa promete ser palco de um bom jogo, com transmissão pelo SPORTV e pela ESPN. O árbitro do jogo é Diego Almeida Real (RS) e seus assistentes são Vantes Antonio Zanotti (ES) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR).

Por Marjorie Mendonça