FIM DE ANO COM SALDO POSITIVO PARA O JUVENTUDE

 

Alviverde conquistou o acesso e disputará a Série B no próximo ano

 

(Foto: Léo Lemos / Divulgação)

Neste domingo (22), o Juventude deu adeus à Série C. Depois de vencer o Náutico por 2x1, no estádio Alfredo Jaconi, o alviverde sofreu uma derrota pelo mesmo placar e, com o agregado de 3x3, a decisão foi aos pênaltis. Com erros de Dalberto e Denner, o Ju despediu-se da competição nas semifinais. 

O jogo parecia uma reprise do primeiro mata-mata, na etapa inicial. O Ju não se encontrava em campo e deixava muito a desejar na atuação. A diferença é que desta vez o Náutico conseguiu aproveitar as chances e aplicar dois gols. 

A sorte do Ju é que a especialidade de Gilmar Dal Pozzo é a retranca. Muito melhor no ataque e com a vantagem no placar, o técnico optou por defender. Como o Timbu já vencia por 2x0, com gols de Álvaro, o comandante lançou dois volantes ao time titular: Maylson e Jiménez. Fahel também usou da arma que tinha: Breno. A partir de então, a partida começou a ficar boa para o lado verde. 

Breno, como sempre, entrou voando e deu esperanças ao torcedor alviverde. Agora pasmem: Braian Rodríguez também foi lançado ao time titular (na minha opinião, um erro). Mas, o centroavante entrou melhor do que de costume, o que assustou até São Pedro, causando chuva nos Aflitos.

Poucos minutos depois da entrada de Braian, Genílson marcou para o Juventude. O 2x1 levava a partida as penalidades máximas, mas esse não parecia o resultado esperado pelo elenco verde e branco. O ataque queria mais, tentava, mas sem sucesso. 

A arbitragem apitou o final da partida aos 49’. Agora era tudo pênalti, ansiedade e nervosismo. 

Eltinho, o mesmo que errou uma cobrança no tempo normal, foi o primeiro a bater pelo lado visitante. Dessa vez, com sucesso. Além dele, Genílson e Braian Rodríguez converteram para o Ju. Para o Timbu, o êxito veio com Jiménez, Josa, Maylson e Matheus Carvalho. Sendo assim, com o 4x3, o Náutico conquistou a classificação para a final.

 

 

(Foto: Léo Lemos / Divulgação)

Saldo positivo em 2019

Depois de um Campeonato Gaúcho para esquecer, o Juventude chegou às Oitavas de Final da Copa do Brasil. O time do interior gaúcho eliminou o, até então invicto, América-MG, o favorito Botafogo. Além de Palmas e Vila Nova. Com isso, a instituição arrecadou mais de R$ 6 milhões. 

Por fim, os torcedores também puderam terminar o ano com o acesso à Série B, um ano após o rebaixamento. E sem sofrimento. 4x0 foi o placar aplicado pelo Ju, no jogo que valia o ano. 

Está bom? Acredito que sim! Os jaconeros queriam o título, óbvio, mas considerando os altos e baixos que o Juventude viveu desde o início do ano, o resultado foi melhor do que o esperado!

Juventude brincou com a semifinal

Durante a semana, o ex-técnico Lisca disse que o Náutico estava levando a semifinal mais a sério. Muitos torcedores reclamaram da colocação, mas ele mentiu? Um time que empresta o técnico na véspera de uma semifinal — isso mesmo: empresta o técnico. Essa é nova, né?! — está levando a sério? É verdade que o clube não tinha condições de competir com a Chapecoense, mas o Timbu não tem nada a ver com isso.

Além disso, o Ju também emprestou o melhor jogador do time faltando — na melhor das hipóteses — três jogos para acabar o ano. Renato Cajá foi para a Ponte Preta. Bruno Alves também teve outro destino, o atacante desembarcou no CSA. 

Houve desmanche. E está aí a explicação para a fala de Lisca. 

Náutico faz o que tem vontade 

Depois da vitória diante do Paysandu, torcedores do Náutico invadiram o gramado para comemorar. Houve punição? Não.

Hoje, novamente houve invasão ao campo. Além disso, torcedores jogaram objetos no gramado. Haverá punição? Deixo para vocês responderem. 

A CBF brinca de ser amadora…

 

Por: Carol Freitas,

pelo futebol do interior