Fluminense perde invencibilidade no Beira-Rio

Time misto de Abel esbarra na forte marcação imposta pelo Colorado

 

“Achei bom. Vimos uma direção deste trabalho que fazemos valorizando a base do clube. Hoje, tivemos alguns garotos em campo. Patrick errou muito e isso é natural. Foi seu primeiro jogo e ele tinha que errar mesmo. O dia em que ele entrar para a equipe titular, que está com um time certinho, seu rendimento será outro. Já tirou a fralda descartável dele. Agora pode começar a fazer xixi no banheiro sozinho. E assim damos moral a todo mundo. Todos remando do mesmo lado e em busca de um só objetivo. Tem coisa que não saiu legal. Mas a gente precisa ver uma atuação desses jogadores. Vi o meu time inconformado com o resultado. Um time que nunca jogou, só treina”.

Esta foi a análise do técnico Abel Braga a respeito da partida do Fluminense contra o Internacional, realizado nesta quarta (08), no Beira-Rio, válida pela segunda rodada da Copa da Primeira Liga.

O time reserva perdeu de 1 x 0 para o colorado e assim a invencibilidade de quatro jogos que a equipe mantinha. O fato desagradou alguns torcedores.

“O torcedor está chateado com a derrota? Só que, lá no fundo, ele pensa assim: tem alma o meu time que veio aqui e sufocou os caras no final. Isso é o que queremos”, disse Abel.

Foto: Nelson Perez

 

O Internacional veio com um time defensivo, bem fechado e apostou tudo na estratégia dos três volantes, impedindo o avanço do ataque Tricolor. Desde o início do jogo, apostou nos contra-ataques e a primeira oportunidade apareceu com D'Alessandro, que recebeu da esquerda de Roberson, ajeitou e bateu no gol, mas Julio César defendeu.

O Fluminense não conseguia criar e seguiu tentando desviar da forte marcação. E o jogo foi meio chato de se ver, até que aos 24 minutos Charles, formado na base, marcou o gol do colorado, que surgiu numa tabela com Dourado e com a contribuição de Roberson, que saiu na frente de Júlio César e tentou o chute. O goleiro defendeu e a bola sobrou para o volante que chutou.

O Tricolor tentou dois chutes de fora da área. Léo bateu cruzado e mandou para fora. Depois, Lucas Fernandes que também não foi feliz na finalização.

O segundo tempo começou um pouco mais animado. Logo no início, D'Alessandro cruzou da direita e Roberson desviou antes de Júlio César e a bola foi na trave. Uendel ainda tentou aproveitar o rebote, mas chutou na defesa Tricolor.

Com o gol garantido, o colorado optou por travar se meio-campo e prendeu a bola o quanto pôde. Aos 24 minutos, Carlinhos acionou Andrigo, que bateu no canto do gol do Fluminense, onde Julio César defendeu.

E aos 44 minutos, em nova cobrança de falta que Marquinho cobrou, Danilo afastou mal, e a bola sobrou para Patrick, que marcou.  O auxiliar apontou impedimento de Nogueira no lance e anulou o gol. Um verdadeiro reboliço foi criado entre os jogadores do Fluminense, que partiram para cima do árbitro questionando a decisão. Sem dúvida, um lance muito duvidoso.

E o que os reservas mostraram em campo? Renato deixou muito a desejar quando no quesito apoio, além de ter demonstrado grande deficiência nos cruzamentos. Danielzinho passou em branco e não fez diferença em campo. Luiz Fernando não se adaptou na lateral-direita.  Léo foi um dos poucos que participou ativamente da partida, principalmente na criação de jogadas ofensivas. Osvaldo parecia nem estar em campo e Marcos Júnior pouco contribuiu.

Marquinho reclamou de tudo com o juiz e pouco colaborou com o time. Talvez tenha perdido a oportunidade ofertada pelo técnico. Ele até que tentou dar certo ritmo, mas reconheceu, ao final da partida, ter errado nas cobranças de faltas.

“Não aproveitamos os espaços. Erramos muitos passes. Erro coletivo, de um time que não atua junto. Tivemos luta. Nenhum jogador se sentiu confortável. Tentamos ao máximo empatar, mas não deu”, disse ele.

 

Bela Homenagem

Foto: Nelson Perez

Elenco presta homenagem ao jovem agredido

 

O time do Fluminense entrou em campo com uma faixa com os dizeres #ForçaScudi. Uma homenagem ao torcedor Pedro Scudieri, de 23 anos.

O rapaz foi brutalmente agredido no Maracanã enquanto voltava do estádio de Los Larios, em Xerém, na noite do último domingo (05). Ele foi golpeado por barras de ferro e pedaços de madeira. O jovem foi encaminhado ao Hospital do Amparo, no Rio Comprido, onde passou por cirurgia bem sucedida no crânio na tarde de segunda-feira.



 

Ficha Técnica

INTERNACIONAL 1 X 0 FLUMINENSE

Árbitro: Marco Aurelio Augusto Fazekas Ferreira (MG)

Assistentes: Felipe Alan Costa de Oliveira (MG) e Magno Arantes Lira (MG)

Cartões amarelos: Anselmo e Charles (INTER); Marcos Júnior, Luiz Fernando e Renato (FLU)

Gol: Charles, aos 24 minutos do primeiro tempo

INTERNACIONAL: Danilo Fernandes; Alemão, Paulão, Klaus e Uendel; Rodrigo Dourado, Anselmo (Carlinhos) e Charles ; D'Alessandro e Valdívia (Andrigo); Roberson (Diego). Técnico: Antônio Carlos Zago

FLUMINENSE: Júlio César; Renato(Danielzinho), Nogueira, Henrique e Léo; Douglas, Jefferson Orejuela, Luiz Fernando e Marquinho; Osvaldo, Marcos Júnior (Maranhão) e Lucas Fernandes (Patrik). Técnico: Abel Braga


Carla Andrade