FOI DIFÍCIL DE VER O ADVERSÁRIO COMEMORANDO NA NOSSA CARA E NA NOSSA CASA.

CRB até saiu na frente, mas tomou a virada e perde por 3x2, mesmo com o apoio de toda a massa regatiana. 

 

      Fonte: Ailton Cruz/ Gazeta de Alagoas


 

Saudações Nação Regatiana! 

 

Eu digo: vocês chamam a gente para ir ao Trapichão para ver isso? Meu Deus do céu, só pode ser brincadeira. Que desgraceira foi essa que aconteceu dentro da nossa casa, diante dos nossos olhos? Realmente, ser Regatiano não é fácil. Se eu não infartei nesse jogo, não infarto nunca mais. 

Quem é que vai explicar essa derrota vexatória para o Náutico? Será que em algum ano a gente vai passar de fase de forma mais amena? Acho que não, porque quando o assunto é CRB é tudo sofrido. 

Uma quarta-feira, onde largamos tudo para trás para ir ao Trapichão, saímos mais cedo do trabalho, ficamos devendo hora lá para o patrão para ter visto o time sair na frente, sofrer o empate, ficar a frente do placar de novo, sofrer um novo empate e depois sofrer a virada do time pernambucano. Foi de desesperar. Foi de sangrar os olhos. Foi uma facada no peito. 

A decepção não foi apenas nossa, mas também de Professor Marcelo Cabo, que falou dos gols horrendos que sofremos na partida:

 

"A gente reputa que foi um duro golpe essa derrota de hoje. É lamentar pelos gols que a gente tomou, uma equipe madura nossa, equipe de Série B, não pode tomar o primeiro e o terceiro gols de forma nenhuma". 

 

O CRB esteve vencendo a partida por 2x1. Tinha totais chances de ter buscado o terceiro gol, que talvez tivesse liquidado o jogo a nosso favor, mas a postura do time foi a de recuar, o que deu um gás para o time visitante que buscou os seus dois gols e saiu comentando a vitória na nossa casa e na nossa cara. 

Sobre isso, Marcelo Cabo também disse:

 

"Desde o jogo do América-RN, passa pelo Vitória, a gente quando está na frente do placar, baixa a linha. É uma coisa que eu falei à beira do gramado quando a gente fez o 2 a 1: "Continua em cima, não deixa eles desenvolverem o jogo". Aí o nosso time baixou linha, deixou eles circularem a bola, tomou o empate... A equipe deles já estava satisfeita com o empate, foi aí que eu fiz as alterações para buscar a vitória. Mas aí deu a pane. A gente fez a falta, sabia que não poderia cometer a falta e foi punido" 

 

Punição pelo primeiro tempo mais ou menos

 

Regatas tem um sério problema em começar uma partida encaixando bem a marcação. Isso demorou para acontecer, tanto que o Náutico abriu o placar com Silva. A resposta regatiana não demorou a vir, e pouco depois, após troca de passes, Luidy arrisca o chute de fora da área e iguala tudo no Rei Pelé. 

 

Segundo tempo mais empolgante 

 

Já na etapa complementar, o negócio ficou sério. Era lá e cá, mas temos menino Longuine, goleador que só. Nosso segundo gol foi marcado por ele, depois de tabelar com Léo Príncipe. Longuine só teve o trabalho de dar um toque para a direção do gol e correr para o abraço. Com o Glorioso Alvirrubro Alagoano vencendo por 2x1, normal era que o time tentasse o terceiro gol, não é mesmo? Só que não. A palavra recuo imperou e o Náutico, astucioso, foi chegando perto até que conseguiu marcar seu gol de empate. Hereda fez uma excelente jogada, foi fazendo fila, largou nossos homens para trás, chegou no bico da área e a redonda ficou para Jorge Henrique, que estufou as nossas redes, empatando em 2x2 o jogo. 

Aí começou o nosso desespero. Antes de marcarem o gol da vitória, o visitante ainda criou outra chance com Jorge Henrique, mas nosso goleiraço Edson Mardden fez uma linda defesa. Mesmo assim, os caras chegaram ao terceiro gol através da cobrança de uma falta, sem chances nenhuma para Mardden defender. Foi nos acréscimos, não dava tempo para mais nada. CRB 2x3 Náutico. 

Que decepção da gota. 

Eu não esperava por isso. Zoado! Feio, horroroso, decepcionante. 

Tenho nem palavras mais para descrever tamanha azaração. 

Depois disso o Regatas está na sexta posição do grupo A com cinco pontos, a mesma pontuação do ABC, que ainda vai jogar e pode abrir vantagem sobre nós. 

Chegou a hora de me apegar a fé e fazer uma promessa para ver se o time passa de fase. 

Amém! 

 

O próximo jogo do Galo será pelo Campeonato Alagoano no sábado (07), às 17h, quando receberá o CEO no Rei Pelé.  

 

Na vitória ou na derrota: O nosso lema é amor ao CRB! 

 

Por Adri Domingos   

 

*Esclarecemos que os textos trazidos nesta coluna, não refletem, necessariamente, a opinião do Blog Mulheres em Campo.