FOI TENSO

Argentina começa jogando bem, mas Aldana “Cometti” pênalti derradeiro que culmina na derrota por 4x1

 

(Foto: @argentina)

Há alguns anos um amistoso ocorreu entre Argentina e Brasil. O placar não foi favorável para a Albiceleste, que perdeu naquela ocasião por 5x0. Pensamos: “Será que no amistoso de 2021, a história mudaria?” Mas não foi bem assim...

Nesta quinta-feira (18), no Orlando City Stadium, aconteceu mais um Brasil-Argentina, agora válido pelo She Believes Cup, e mais um capítulo escrito sobre esse baita Clássico Sul-americano. 

O que se viu no primeiro tempo foi uma Argentina que acertou na marcação, correu bastante, buscava fazer suas jogadas, buscava armar os contra-ataques. Quando se pensava que talvez desse certo ir para o intervalo pelo menos empatando contra o time brasileiro, Cometti cometeu falta em Adriana dentro da área e a juíza assinalou pênalti. Isso mesmo, pênalti a favor das brasileiras. No confronto entre Pereyra e Marta, a atacante brasileira levou a melhor e abriu o placar.  

Intervalo de jogo e na volta do descanso, para a infelicidade da torcida argentina, mais um gol contra a Albiceleste. As brasileiras fizeram o que quiseram com a defesa Argentina e marcaram seu segundo gol. O terceiro tento brasileiro foi marcado por Adriana. Pouco tempo depois, o grito de gol que estava entalado  na garganta de todo Argentino pôde finalmente sair. 

Aproveitando um cruzamento, Larroquette cabeceou, balançando as redes adversárias e diminuindo assim a vantagem do placar para 3x1. A alegria durou pouco. Já perto do final do jogo, outro gol sofrido pela goleira Pereyra. Outra vez as brasileiras fizeram o que quiseram com a defesa Argentina, Cristiane mandou para Geise, que mandou para o gol sem que Pereyra pudesse fazer nada para impedir a redonda de estufar as redes. Com o placar de Argentina 1x4 Brasil, o jogo terminou. 

Agora é se preparar para o próximo confronto que será no domingo (21), diante do Canadá. 

Por Adriene Domingos 

 

*Esclarecemos que os textos trazidos nesta coluna não refletem, necessariamente a opinião do Portal Mulheres em Campo