Foi um: Ai, Jesus!

 

Em um jogo bastante movimentado, o Flamengo empatou com Fluminense e conseguiu a classificação para semifinal da Sul-Americana. Nesta quarta-feira (01), o Flamengo mostrou que temos goleiro, que temos técnico, temos banco, temos torcida e acima de tudo, temos vontade em vencer. Mesmo estando atrás do placar por duas vezes, conseguimos arrancar o empate após estar perdendo por 3x1 e classificamos.

 

 

Gilvan de souza/flamengo

 

Resumo da partida

 

O primeiro tempo começou bem movimentado e logo aos 3’ em um erro de marcação, principalmente da avenida, ops, lateral Trauco, que deixou o Lucas livre pra marcar. Juan até tentou chegar, mas não deu, nem pra ele e nem pra uma defesa de Diego Alves. Com o gol tricolor, o jogo se encaminhava para os pênaltis. Com gritos de incentivo do nosso goleiro, o Flamengo passou a ir pra cima e a pressionar o Fluminense. Aos 9’ Diego sofreu falta de Lucas na entrada da área. Ele mesmo cobrou... E meus amigos, que cobrança, que categoria, sem chance para o goleiro adversário. Gol, tudo empatado e até o momento, Flamengo se classificando.  E a partir daí o jogo esquentou e a chaleira ferveu de vez. Escanteio para o Fluminense, Diego caiu na área e recebeu um pisão (SIM... foi na maldade) de Douglas. Pra quem está acostumado com o Diego calmo, não imaginou que ele fosse pular no pescoço do Douglas, literalmente. Aí muita discussão, muito bate boca e o árbitro “acalmou” os ânimos. Mas como o jogo prometia, nos minutos seguintes, mais confusão e dessa vez envolvendo Willian Arão e Lucas, mais xingamento, mais discussão, empurra-empurra e um: vamos resolver lá fora. E vocês devem tá se perguntando: e o futebol? Bom esse mesmo só voltou a ficar bonito aos 40’, não para gente, mas para os tricolores que pulou no placar mais uma vez. Sornoza cobrou escanteio, Renato Chaves subiu sozinho e cabeceou para o gol (impressionante, como nesse jogo, bola na área do Flamengo era desesperador). 2x1 Fluminense.

 

Segundo tempo à equipe rubro-negra resolveu deixar as discussões de lado e focar no jogo. Entrou mais centrada e pressionando mais os tricolores. Mas como no primeiro tempo, sofremos gol logo nos primeiros minutos da segunda etapa e de bola parada. Aos 9’ Gustavo scarpa cobrou falta pelo Fluminense, em um erro de marcação de William Arão, Renato chaves mais uma vez subiu sozinho e cabeceou para o fundo das redes. Redenção do jogador tricolor (final do carioca) ou a classificação heroica rubro-negra viria? Se dependesse de Diego Alves, a classificação seria rubro-negra. Após o gol, jogadores esboçaram um abalo, pois para ficarmos com a classificação das semifinais, precisávamos de mais dois gols. E nos gritos de “Vamos lá que a gente vai empatar... VAI!” A equipe rubro-negra foi equipe sim. Jogadores, Técnico e torcida, todos para cima do tricolor. E a equipe que parecia desalinhada, finalmente jogou junto e o empate veio como o Flamengo é, na RAÇA. Perdendo por dois gols de diferença, Rueda resolveu mexer na equipe, tirou Trauco, recuou Everton para lateral e Colocou Vinicius Junior na partida. Alteração deu certo e o jovem atacante passou a ir para cima, com forte marcação, passava a deixar Diego e Everton Ribeiro mais livres. E o segundo Gol do Flamengo não demorou pra aparecer, aos 22’ Vinicius achou Everton Ribeiro, que deu um toque sensacional de letra para Felipe Vizeu marcar para o Flamengo. 3x2.

 

“Eu sabia que se fizéssemos o segundo gol, a torcida ia nos levar para o terceiro”.

Diego Alves

 

Gilvan de souza/flamengo

 

Sim, levamos ao terceiro. O Fluminense se fechou, se recuou e parecia temer. Não conseguia criar, ou chegar com perigo ao gol do Flamengo. Aos 39’ falta em cima de Vinicius Jr. Pará cobrou a falta, Arão subiu e cabeceou. A bola até bateu na trave, mas tinha destino certo, o fundo do gol. O estádio veio abaixo o grito e choro tomaram conta. O misto de alegria, felicidade e alívio que só um torcedor de verdade sabe como é. O Flamengo até teve oportunidade de passar a frente do marcador, mas o goleiro adversário fez uma bela defesa. O gol até não fez falta, pois o empate em 3x3 já estava de bom tamanho. Apito final e classificação nossa.

Próximo adversário na sul-americana é o Junior Barranquilla da Colômbia, mas o Flamengo já entra em campo neste domingo, pelo brasileirão contra o Grêmio.

 

Destaque

 

O destaque de hoje não vai pra um ou dois jogadores, o destaque hoje vai para o coletivo, para vontade em campo, para determinação. O destaque vai para aquilo que a torcida tanto pede, RAÇA. Nesse clássico deu pra relembrar o velho flamengo, aquele que tinha se perdido. A torcida, os jogadores e o técnico jogaram juntos. Isso é ser Flamengo, é não abaixar a cabeça diante da derrota e não se conformar com o empate, é sempre buscar o resultado, a vitória. Porque mesmo que não ganhe, mostrou vontade de vencer. Finalmente reencontramos nossa identidade, fomos do inferno ao céu nesse jogo, mostramos que Flamengo é dos resultados improváveis, mostramos porque os adversários temem em jogar contra o Flamengo no maracanã. O jogo desta quarta-feira (01) vai ficar na memória de milhões de torcedores, assim como outros, esse jogo foi o do reencontro, da lembrança do porque somos Flamenguistas.

 

Gilvan de souza/flamengo

 

FICHA TÉCNICA:

 

Data/hora: 01/10, às 21h 45min (Brasília).

Local: Estádio Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Patricio Loustau (FIFA/ARG)
Auxiliar 1: Diego Bonfa (FIFA/ARG).

Auxiliar 2: Cristian Navarro (FIFA/ARG)

4º árbitro: Germán Delfino (FIFA/ARG)

 

FLAMENGO: Diego Alves; Pará, Rhodolfo, Juan (Rafael Vaz) e Trauco (Vinícius Junior); Willian Arão, Cuéllar (Lucas Paquetá), Everton Ribeiro, Diego e Everton; Felipe Vizeu.

Técnico: Reinaldo Rueda.

 

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Lucas, Renato Chaves, Reginaldo e Marlon; Richard, Douglas (Pedro) e Sornoza (Wendel); Gustavo Scarpa, Marcos Junior (Romarinho) e Henrique Dourado.

Técnico: Abel Braga

 

Por Rayane Almeida