GRAÇAS A DEUS A LEI DO EX NÃO É DAS MELHORES

 

Jogando fora de casa pela 2° rodada do Campeonato Paranaense, o Operário Ferroviário conquistou somente um ponto após empatar com o Cianorte no Estádio Albino Turbay, na partida que aconteceu nesta quarta-feira (23) às 20 horas.

 

(Foto: CianorteFC)

 

O Alvinegro começou com Simão, Léo, Alisson, Sosa, Chicão(C), Peixoto, Lucas Batatinha, Indio, Bruno Batata, Robinho e Jean Carlo. Já o Leão do Vale começou com Silvio, Breno, Mauricio, Montoya(C) Jovany, Formiga, Fernandinho, Carrilho, Dartora, Frontini e Paulinho.

 

O JOGO

O jogo começou bom para a equipe do Cianorte. Logo aos 10 minutos, depois de ganhar muita velocidade no meio de campo e perder a bola, houve um escanteio, Montoya apareceu na área e mandou para o travessão. O Fantasma também teve sua chance no começo do jogo com o escanteio de Jean Carlo, porém a bola passou por todos.

 

Podemos também dizer que o jogo foi cheio de cabeçadas, pois Peixoto se chocou com Carrilho, paralisando a partida por cerca de 3 minutos para atendimento médico. Com muitas faltas e agressividade no jogo, amarelou para o lado do visitante: Indio levou cartão aos 29 minutos do primeiro tempo.

 

E ai, se não tivéssemos o Simão! Estaríamos roubados sem o melhor goleiro da Série C. O goleiro alvinegro executou defesas inigualáveis que misturavam seu talento com um pouco de sorte. O famoso cartão amarelinho também não deixou de aparecer para o lado do time da casa e aos 39 minutos Paulinho, craque do time e talvez o melhor jogador da partida, levou o seu cartão.

 

O segundo tempo começou com ótimas jogadas do Operário. A principal no início do segundo tempo foi uma grande batida de Leo que o goleiro Silvio espalmou e outra também foi feita por Batatinha que o defensor agarrou.

 

A primeira alteração do jogo se deu aos 19 minutos na equipe do Cianorte: saiu Fernandinho e entrou Vandinho, ex-jogador do Operário. Essa alteração foi seguida de outras duas da equipe Pontagrossense: saiu Jean Carlo e entrou Jardel - estreando em partidas oficiais com a camisa preta e branca -, e para fechar mais o time saiu Lucas Batatinha para a entrada de Rafinha.

 

Mas a alteração que realmente mexeu de vez com o Operário foi a saída do meia Robinho para entrada do lateral Allan Vieira. Enquanto Gersinho fechava o time, Cristian, treinador do Cianorte, colocava o time com força no ataque.

 

Cristian também realizou outras duas alterações, com a entrada de Xavier no lugar de Frontini e Raphael Alemão no lugar de Paulinho.

 

O maior acontecimento do jogo foi aos 44 minutos de jogo, após Chicão cometer uma falta dentro da área do gol. O jogador levou cartão vermelho e a torcida clamou por pênalti, porém só quem estava por perto entendeu o motivo do pênalti não ser dado: no momento em que ocorreu o choque entre os jogadores, a bola já havia saído de campo, razão pela qual não havia sido pênalti.

 

7 minutos de acréscimo, um jogador a menos e a partida fora de casa terminou em 0 a 0. A rodada não terminou, porém o Operário está em segundo lugar do grupo com 4 pontos, perdendo para o Toledo apenas pelo saldo de gols (nosso 1, deles 2).

O próximo jogo do Fantasma será a estreia no Germano Krüguer nessa temporada. O confronto contra o CR Cascavel (o mesmo que perdeu a final da segunda divisão do estadual para nós e ganhou do Athletico na estreia do campeonato) será no dia 27/01 às 17 horas. Teremos como provável capitão Sosa, pois Chicão ficará indisponível após a expulsão.

 

A tal lei do ex

Silvio, Sidinei, Maikinho e Vandinho, atualmente jogadores do Cianorte já vestiram o uniforme do Fantasma.

 

Vandinho foi artilheiro da Taça FPF em 2016 e graças ao seu gol na final do mesmo campeonato conquistamos a vaga na série D e estamos onde estamos. No final do ano de 2017 depois do título da D, Vandinho saiu do Alvinegro de Vila Oficinas.

 

Nenhum dos 4 jogadores fez valer a “Lei do ex”. Graças a Deus!

 

Malu Rios