GRANDES OBJETIVOS, GRANDES DESAFIOS

A Seleção Brasileira estreia no Torneio da França, primeira competição preparatória para as Olimpíadas

 

A Seleção Brasileira estreia nesta quarta-feira (4), às 15h no Torneio da França. Mas não é um início qualquer. A competição que reúne quatro seleções – Brasil, Holanda, Canadá e França – é o pontapé inicial na preparação para as Olimpíadas de Tóquio, marcadas para o mês de julho. O primeiro desafio do Brasil será logo contra as vice-campeãs do mundo, Holanda, na cidade de Valenciennes.

Foto: A2M/CBF

As duas equipes já se enfrentaram quatro vezes na história (veja retrospecto ao fim do texto) com três vitórias para o Brasil e um empate em 0 a 0.

O duelo contra as número três no ranking de seleções femininas da FIFA, será uma prova de fogo para Pia Sundhagen selecionar as 18 jogadoras que vão em busca de uma inédita medalha de ouro para o Brasil. Para este jogo, o grupo fez apenas um treino nesta terça-feira onde foram afinados tanto a parte tática quando as jogadas ensaiadas.

“A Holanda jogou a final da Copa do Mundo, isso já diz muito. É um time muito bom, a técnica está fazendo um bom trabalho. Teremos algumas situações de jogo de um contra um, elas atuam muito pela lateral do campo e fazem muitos cruzamentos. Espero que elas nos deem chances de contra-ataque. As holandesas dão espaço no meio do campo e, as vezes, em frente a linha defensiva. Claro que tudo é uma questão de estar no lugar certo na hora certa, e estarmos na mesma página. Se soubermos tomar a melhor decisão na hora certa, será um bom jogo para nós”, analisou a técnica em entrevista ao site da CBF.

Foto: A2M/CBF

Apesar do resultado contar – mesmo que se diga que não – o mais importante é fazer experiências para ver o que funciona e, o mais importante, quem funciona.

“Estamos fazendo alguns testes, nós da comissão técnica pensamos em ter três diferentes escalações neste torneio, porque queremos dar oportunidade para as jogadoras. Ao invés de jogarem apenas os últimos 20 minutos, talvez elas possam atuar todo o jogo, porque precisamos de algumas respostas. Mas não apenas isso, queremos encontrar jogadoras que atuam em diferentes posições. Só teremos 18 jogadoras nas Olimpíadas,  e espero levar apenas seis defensoras. Então precisamos de um plano, caso algo aconteça. Isso é o que iremos testar nesses três jogos”.

Do lado das Leoas Laranjas, a técnica Sarina Wiegman comentou à emissora holandesa, NOS, que o torneio é “uma ótima chance para desenvolvermos o time, tentarmos coisas". Prova disso foi a aparição de algumas novatas na lista de convocadas como é o caso da zagueira Lynn Wilms, do Twente; a lateral Aniek Nouwen, do PSV; e as atacantes Ashleigh Weerden, também do Twente, e Joëlle Smits, do PSV. Além dos testes, retornar a Valenciennes para as holandesas será uma oportunidade de relembrar a Copa do Mundo Feminina, onde elas jogaram por duas vezes na cidade ao Norte da França.

O torneio é organizado pela Associação Francesa de Futebol em homenagem a cinquenta anos de futebol feminino no país. Além das mulheres da Orange e do país anfitrião, o Brasil e o Canadá também estarão presentes na França.

Retrospecto:

06/08/1988 - Torneio Internacional da China | Foshan Stadium, Foshan (China)

Brasil 2x1 Holanda

06/06/1997 - Amistoso | Stadion Willem ll, Tiburg (Holanda)

Brasil 2x1 Holanda

12/12/2010 - Torneio Internacional de São Paulo - Estádio Pacaembu | São Paulo (Brasil)

Brasil 3x2 Holanda

20/08/2014 -Goffertstadion | Nijmegen (Holanda) 

Por Camila Leonel

 *O conteúdo presente nesta coluna não reflete, necessariamente, a opinião do Blog Mulheres em Campo