Guarani perde a primeira e não agrada treinador

Na noite de quarta feira (1), o Guarani foi até Bragança Paulista para enfrentar os donos da casa e saiu com a sua primeira derrota na Série A2. O time fez um primeiro tempo apático, não se acertou dentro de campo e não agradou o técnico bugrino.

 

“Um time que tem qualidade, com a camisa que tem, a torcida que tem, não pode fazer um primeiro tempo assim, não. Se pudesse, teria feito as 11 mudanças no intervalo”, disse Ney da Matta insatisfeito.

guarani 1.jpg

Foto: Globo Esporte

O primeiro tempo jogado pelo Guarani é para se esquecer. Ou melhor, ser estudado para que não seja repetido tão cedo. Para a partida contra o Bragantino, Ney da Matta realizou duas mudanças na equipe que venceu o Oeste na primeira rodada em casa. Entraram Renato e Denis Neves nos lugares de Uederson e Marcinho. O Bugre inicou a partida levando pressão do time da casa, o que já era esperado para os minutos iniciais. Logo aos 3’ do primeiro tempo, Rafael Grampola ficou livre e chutou em cima do goleiro Luis Henrique. A equipe da casa se animou e continuou em cima do Guarani. Aos 10’, Rafael Chorão chutou firme para mais uma boa defesa do arqueiro bugrino. O alviverde de Campinas só foi chegar com proximidade na defesa adversária aos 25’, quando Gilton deu passe para Denis Neves, que chutou fraco, para defesa do goleiro Renan Rocha. De tanto persistir, o Bragantino conseguiu. Aos 36’, cruzamento de Fabiano para encontrar a cabeça de Adriano Paulista, que só teve o trabalho de escorar para o gol. Bragantino 1x0. E o que talvez não pudesse piorar, piorou. Logo em seguida, aos 37’, o Bragantino aumentou o placar, o jogador Kellyton cruzou para Anderson Ligeiro, que ampliou o placar no Estádio Nabi Abi Chedid.

guarani.jpg

Foto: Site oficial do Guarani Futebol Clube

O Guarani parecia assustado na partida, as jogadas não surtiam efeito, a equipe fez um primeiro tempo abaixo do esperado. Intervalo de jogo. Ney da Matta realizou duas mudanças logo na volta para o segundo tempo. Ernani e Marcinho entraram nos lugares de Escobar e Denis. Aos 9’, o Bugre já chegou com perigo, em jogada de Gilton, o zagueiro Guilherme Mattis afastou a bola. Parecia uma postura diferente do que tínhamos visto no primeiro tempo, o time animava a torcida bugrina presente em Bragança. E foi aos 18’ que o Guarani descontou. Em cruzamento de Fumagalli, Diego Jussani escorou para Braian Samudio marcar o primeiro. As mudanças de Ney da Matta deram mais movimentação à equipe, o Guarani conseguia chegar na defesa do Massa Bruta com perigo, o jogo estava mais movimentado no segundo tempo. Ainda atrás do placar, o treinador bugrino fez mais uma mudança, Renato deu lugar a Lorran, buscando mais velocidade pelo lado do Bugre.  Auremir, aos 22’ do segundo tempo, arriscou e Renan Rocha fez uma ótima defesa. A equipe comandada por Ney da Matta tentava, mas o tempo parecia correr contra o Guarani. Na última chance do Bugre na partida, Lorran quase empatou, ele chutou cruzado e a bola passou raspando a trave. Mas não tinha mais tempo para mais nada. O Guarani conheceu sua primeira derrota no Paulista da Série A2. E agora vai em busca da reabilitação.

 

Ficha Técnica

Bragantino 2x1 Guarani

Local: Estádio Nabi Abi Chedid, Bragança Paulista-SP

Horário: 19h30

Arbitragem: Raphael Claus; Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse e Bruno Salvado Rizo

Gols:

Bragantino: Adriano Paulista, aos 36’ e Anderson Ligeiro, aos 37’, do 1ºT

Guarani: Braian Samudio aos 18’, do 2ºT

Público: 1.121 pagantes

Renda: R$ 13.030,00

 

Guarani:

Luis Henrique; Lenon, Philipe Maia, Jussani e Gilton; Escobar (Ernani), Auremir, Renato (Lorran), Fumagalli e Denis Neves (Marcinho); Braian Samudio.

Técnico: Ney da Matta

Bragantino:

Renan Rocha; Kellyton, Juliano, Guilherme Mattis e Fabiano; Adenilson, Edson Sitta e Rafael Chorão; Adriano Paulista, Anderson Ligeiro e Rafael Grampola.

Técnico: Alberto Félix

guarani 2.jpg

Foto: Globo Esporte

O próximo compromisso do Guarani é contra o São Caetano, na segunda feira (6), às 20h, no Brinco de Ouro da Princesa.

Torcedor, o Guarani precisa de você. Você é fundamental para que a equipe cresça na competição. Você aí, bugrino nato, que nunca abandona o time, que está sempre presente, que tem o orgulho de dizer que o Guarani nunca jogará sozinho, deve vestir sua camisa, trazer sua bandeira e comparecer à nossa casa, para sermos mais uma vez o 12º jogador.

 

 

Nossa família bugrina tem raça e tradição.

 

Por Fernanda Martins.