HAJA CORAÇÃO!

Com placar magrinho, Sport vence o Botafogo no Nilton Santos

 

Foi de prender o fôlego, mas pode soltar a respiração, torcedor rubro-negro. Pela 34ª rodada do Brasileirão, no duelo da sobrevivência, para ambas as equipes apenas a vitória interessava. O Sport, que dormiu na Zona do Rebaixamento devido à vitória do Fortaleza sobre o Coritiba, não podia nem sequer se dar ao luxo do empate, tinha que vencer ou não sairia. Do outro lado, o Botafogo que respirava por aparelhos, caso saísse derrotado, seria matematicamente rebaixado. No bom “pernambuquês”: é pau de dar em doido.

O clube recifense, vindo de derrota para o Flamengo em pleno Recife, tinha que se recuperar fora de casa. Mesmo com o retrospecto de pior visitante no Campeonato, do lado alvinegro também havia a situação de ser o pior mandante. No duelo, um tabu: 27 anos que o Leão não vencia o Botafogo como visitante, porém, como tabus também podem ser quebrados, os três pontos ficaram com os rubro-negros.

 

Iago Maidana comemora o gol da vitória do Sport

(Foto: André Durão)

 

De maneira enérgica e com os garotos em campo, o anfitrião da partida tomava a iniciativa do jogo. Com maior percentual de bola no pé, a equipe ia trocando passes, no entanto, sem eficácia de chegar ao gol do adversário. Já os veteranos recifenses, no melhor estilo Jair Ventura, obtiveram sua melhor chance de gol justamente no lance do pênalti marcado a favor. Aos 19 do primeiro tempo, Marcão aproveitou de fora da área, mandando para o gol, mas o goleiro defendeu, mas antes da defesa, a bola havia desviado no braço de Romildo e o VAR foi acionado. O árbitro da partida concedeu a cobrança ao Leão e, aos 21 minutos, o zagueiro artilheiro Iago Maidana cobrou com categoria para o fundo das redes, abrindo o placar. Aos 35 do primeiro tempo, por pouco o Leão não ampliou o placar, Ewerthon recebeu a bola após o escanteio e chutou para fora. 

Em vantagem no placar, o Sport recuou, ficando praticamente toda a segunda etapa jogando apenas na defesa do Botafogo, que novamente teve mais posse de bola sem eficácia contra o goleiro Luan Polli, que só foi acionado nos chutes de Matheus Nascimento e José Welison. Por pouco, o time da casa não empatou aos 30. Na velocidade, Rafael Navarro recebeu a bola na esquerda, bateu cruzado e raspou a trave do goleiro rubro-negro. O goleiro botafoguense ainda fez uma grande defesa no chute de Dalberto. Por fim, sem alterações no placar, vitória dos recifenses que respiram, por enquanto, aliviados fora da Zona do Rebaixamento. Com esse resultado, os cariocas foram matematicamente rebaixados, com apenas 24 pontos somados.

 

PRÓXIMA PARTIDA

 

O Sport Club do Recife enfrenta na próxima quarta-feira (10), o Internacional, às 19:00 no Beira-Rio. 

 

Por Rannyelle Barbalho

 

  • Esclarecemos que os textos trazidos nesta coluna não refletem, necessariamente, a opinião do Portal Mulheres em Campo.