Hoje não tem futebol.

 

Hoje não tem futebol. Hoje o verde do campo foi trocado pelo azul do céu, hoje o cartão vermelho é preto, o cartão amarelo também é preto. Hoje os gritos de alegria foram trocado pelas lágrimas de tristeza, hoje o que era festa se transformou em luto.

 

Foto: Uol Esportes

 

As portas fecharam, hora de partir, destino Medellín, mas o voou da vida mudou de rota, Medellín? Não! Vocês foram além! Vocês acreditavam que poderiam voar, e voaram. Da série D, para série C, daí pularam para a B, e enfim chegaram a série A, suficiente?! Não! Vocês foram além, da série A para a Sul-Americana, está bom? Não! Foram mais além.

 

Chegaram à Sul-Americana sem perspectivas, jogo a jogo provaram que era um time do além, passaram de fase, suficiente? Não! foram além, passaram pelas oitavas, pelas quartas, chegaram a semifinal, e agora está suficiente?! Não, foram além. Aos poucos foram mostrando para a América quem era a Chapecoense. Ah! Conseguirem unir um país ao seu favor, há tempos não se via um país tão unido por um só time, nas ruas, nos bares, nas rodas de conversas, eram eles, só davam eles, que magia é essa? O que eles tinham? Não dá para explicar, são coisas do além.

Vimos São Danilo salvar com os pés a bola que os levaram para a tão sonhada final. O mesmo país que comemorou por essa bola não ter entrado, hoje chora por isso. E se essa bola tivesse entrado? E se eles não tivessem ido para a final? E se? Quantas histórias cabem dentro dos “e si”.

Malas prontas, nas bagagens apenas o necessário, toda a história de um time do além, que saíram lá da cidade de Chapecó para conquistarem a América. Eles não sabiam que chegaria além, América era pouco para eles, de tanto que voaram chegaram ao céu.   

 

Foto: Meu Timão

 

O voou da vida é imprevisível, um dia é festa, no outro luto, dormimos com os sonhos e acordamos com as tragédias. E vocês voaram com a certeza que o time do além não veio para aprender, vieram para ensinar, sim! Ensinaram o país inteiro a se unir, ensinaram para todos que isso nunca será apenas um jogo, ensinaram que esporte transforma. Comemoramos juntos e hoje choramos juntos, hoje não tem cor, hoje não tem camisa, nem bandeira ou hino. Hoje Somos todos Chapecoense.

 

Aos que foram fica aqui meus sentimentos, que Deus possa confortar as famílias. Mas a sua historia não acaba aqui: FORÇA CHAPE!

 
 

Carla Sobrinho