Hora de Acordar!

 

19 mil. Esse é o número de ingressos vendidos até o momento, para a partida de sábado (25), às 16h30 no Allianz Parque, válida pela sexta rodada do Paulistão.

O que dizer da torcida Palmeirense? Faltam palavras.Essa torcida sim, é campeã e não merece o resultado que vem sendo apresentado pelo time.

Fomos Tricampeões da Copa do Brasil em 2015, Eneacampeões do Brasileirão em 2016 e agora em 2017, começamos com um time morto, sem gás, sem coragem, sem cara de Palmeiras...

E não nos faltam opções, não preciso listar os nomes que tiraram nosso sono em época de mercado da bola e agora temos disponíveis e que não são fracos. Nosso time reserva é bom, o titular melhor ainda.

Então o que explica?

#Deixaocaratrabalhar ou #ForaEduardo ?

Já gritei as duas coisas, nos momentos de revolta, gritei o nome do Cuca e depois de cabeça fria, lembrei que no começo de 2016, o próprio Cuca não teve um bom início.

Paulistão é a oportunidade que temos para avaliarmos o trabalho do técnico e do elenco e o Palmeiras começou mostrando um futebol muito fraco contra o Botafogo-SP em casa, apanhou em Itu, deu um alívio pra torcida em casa contra o São Bernardo e nos fez ter esperanças em Araraquara contra o Linense, porém no dia do Derby Centenário, na casa do nosso maior rival, não convenceu e mostrou um futebol muito fraco, um time perdido, um técnico sem pulso e sem coragem.

O Derby no geral, é pra ser esquecido. Jogo feio, violento e com um erro de arbitragem gigantesco, que manchou ainda mais esse clássico e será a principal lembrança dessa noite.

O que a torcida espera neste sábado, é mudanças. Não adianta termos esse elenco forte, cheio de vontade, se não somos um time, se não temos organização, se não estamos bem treinados, se o técnico não muda nunca, insiste no erro e tem medo de ser criativo.

Libertadores em 2017 é nossa prioridade e então?

Dá pra encarar Libertadores, com um time que perde jogando contra 10?

Em entrevista concedida por um dos jogadores mais experientes do elenco, o goleiro Fernando Prass, na tarde de quinta (23), admitiu a “falta de dinâmica” do grupo e disse que entende a cobrança da torcida:

"Acho que a pressão é maior pela expectativa que se cria. Quando cheguei ao Palmeiras, a expectativa era voltar à Série A. Em 2014, era a volta da Série B, o que é sempre muito complicado. Em 2015, era a reformulação, vindo de um ano complicado, então a paciência foi maior. Mas você vem de uma Copa do Brasil, de um Brasileiro, aí você quer a Libertadores. Cria-se uma ansiedade muito grande, o torcedor obviamente fica mais exigente. O palmeirense é muito apaixonado. A gente tem consciência de que a Libertadores é importante, muito difícil, tanto é que os times aqui no Brasil não têm tantas, mas a gente sabe que temos de evoluir e evoluiremos naturalmente para chegarmos fortes à Libertadores"

 

Foto: César Greco/Ag.Palmeiras/Divulgação

 

Nesses dois dias que antecedem o duelo contra a Ferroviária, o time fez dois treinos quinta e sexta durante a tarde. O técnico Eduardo Baptista deve manter o mesmo time da última partida, com exceção do volante Felipe Mello que se recupera do ferimento no olho, resultado de um choque com o zagueiro Mina e o principal candidato a substituí-lo é Thiago Santos.

Outra novidade, é que o atacante Borja foi inscrito no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF e teve confirmada sua inscrição no lugar do lesionado Moisés, fica para a comissão técnica decidir se relaciona ou não o jogador já neste sábado, lembrando que Borja perdeu os treinos de quarta e quinta, por conta da viagem ao Uruguai para premiação “Rei da América” e também que ele ainda não foi apresentado oficialmente.

Um lado negativo nessa estreia, seria a possibilidade de “mascarar” as falhas que vem acontecendo. Uma boa estreia do Borja, “acalmaria” a torcida e daria um crédito ao técnico, mas e na falta do Borja? O time não pode ficar dependente de um jogador.

A equipe da Ferroviária, vem instável no campeonato e passando por uma crise com a saída do seu diretor de futebol, José Manuel Evaristo na manhã desta sexta (24). Tem um histórico de vitórias e empates, tendo perdido apenas para o Mirassol. Sábado a intenção é entrar para esse histórico, com mais uma derrota para a Ferroviária!

Tá mais do que na hora de reagir Verdão!

AVANTI PALESTRA! <3

 

por Mariana Paiva