Hora de reencontrar a querida e também incômoda Chapecoense.

 

Quando tratamos de classificar times de acordo com sua história, torcida, dimensão ou poder financeiro, mesmo quem não se envolva tão fortemente no futebol consegue observar e, de certa forma, julgar equipes. Não quero parecer uma torcedora pouco humilde, mas pela lógica, se afirmaria que em um confronto entre Grêmio e Chapecoense, levando em consideração os feitos de cada clube e o inevitável favoritismo, os gaúchos levariam vantagens contra os catarinenses.

Porém, a Chapecoense é aquele time que distorce a lógica, quebra paradigmas, faz jogos históricos. Em 2014, quando a “Chape” voltou para a Série A do Brasileirão, os Tricolores tiveram êxito nos confrontos dos dois turnos. Algo que pode parecer natural para alguns. Entretanto, naquele mesmo ano, o Brasil viu o Verdão do Oeste fazer história ao aplicar emblemáticos 5 a 0 no Internacional que, teoricamente, também é um time maior que a Chapecoense. Bastou essa partida para o time de Santa Catarina cair na graça dos gremistas. A goleada passou a ser lembrada ainda mais quando o Grêmio aplicou o mesmo placar no rival no ano seguinte. É como se tivesse surgido uma identificação entre ambos.

Entretanto, tamanha simpatia pela Chape perdeu um pouco do seu encanto em 2015. Nos dois confrontos entre Grêmio e Chapecoense no Campeonato Brasileiro do ano passado, o triunfo foi catarinense. No primeiro turno, os gremistas quebraram na Arena Condá uma sequência de cinco vitórias seguidas ao serem derrotados por 1 a 0 pelos donos da casa. Mas a derrota do segundo turno teve um gosto muito, mas muito mais amargo para os Tricolores. A Arena em Porto Alegre viu os mandantes abrirem um placar de 2 a 0 no primeiro tempo, e também viu uma virada incrível dos visitantes com boas atuações de Tulio de Mello e o impossível Apodi…

 

Fonte: Diego Vara / Agência RBS

 

Para o reencontro desta quarta-feira (15/06), às 19h30 na Arena Condá, o time do Grêmio mescla voltas com baixas. Após o empate com o Fluminense que foi desastroso para o meio-campo gremista, Roger não conta com os volantes Ramiro e Maicon, suspensos. Edinho, que geralmente era peça de reposição no setor, já está no Coritiba após a negociação envolvendo Negueba. Enquanto se especulava sobre como o treinador combinaria atletas da base com possíveis recolocações de titulares, eis que a Seleção Brasileira foi eliminada da Copa América do Centenário. Assim sendo, o volante Wallace já se integrou à delegação que viajou para o estado vizinho e tem tudo para ser titular na partida.

Outro reforço que vem da eliminação da Seleção é o goleiro Marcelo Grohe. O defensor da meta gremista tem a missão de ajudar sua equipe diante de um adversário que, por vezes, se mostrou bastante imprevisível, principalmente em seus domínios. Outro retorno que pode ser visto com bons olhos pelos Tricolores é o de Luan, que após cumprir suspensão de um jogo também voltou aos planos de Roger.

 

Fonte: Lucas Uebel / Divulgação Grêmio FBPA

 

Dessa forma, a escalação gremista provavelmente será composta por Marcelo Grohe, Edilson, Pedro Geromel, Wallace Reis, Marcelo Hermes, Wallace, Jailson, Giuliano, Douglas, Éverton e Luan. A arbitragem será de Luiz Flávio de Oliveira, e os auxiliares serão Danilo Ricardo Simon Manis e Alex Ang Ribeiro.

Um bom desempenho gremista em Chapecó é fundamental para a equipe conseguir manter tranquilamente a meta para a segunda sequência de 5 jogos do Campeonato. Após o confronto, o Tricolor terá duas partidas em casa, mas garantir pontos em qualquer ocasião é fundamental para continuar na parte de cima da tabela. Sabemos (e muito!) que nosso adversário dessa quarta é uma verdadeira pedra no nosso sapato. Mas também temos que confiar no potencial e vontade dos jogadores, e no bom trabalho que vem aparecendo. Quem sabe não tentamos fazer na casa da Chapecoese a festa que eles fizeram na nossa casa no ano passado?


por Cintia Menzomo