ÍDOLO FABULOSO!!

É ídolo sim, e é ídolo ETERNO!

Marrento, brigador, sangue quente e por ai vai, sim, essas são características do FABULOSO! Não tem como negar, ele é o tipo de jogador que chega junto no adversário e no juiz também, e pouco se importa se isso lhe render um cartão, ele quer a vitória, o resto é consequência.

INFÂNCIA

Exibindo infancia - arquivo pessoal do atleta.jpgExibindo infancia - arquivo pessoal do atleta.jpgExibindo infancia - arquivo pessoal do atleta.jpg

Luís ao lado do tio e do avô Benedito - arquivo pessoal do atleta

Campineiro nascido em 8 de novembro de 1980, teve uma infância humilde, criado pela mãe e o avô.

O primeiro campo em que ele destacou? Foi o tal BURACANÃ, um campo de terra que ficava em baixo de uma pracinha e fazia alusão o gigante Maracanã.

Birô, como era conhecido na época, tinha apelido de craque devido à semelhança dos seus cabelos com os do atacante Birô-birô. Mau aluno foi reprovado duas vezes no colégio e sua mãe, dona Sandra, era sempre chamada na diretoria devido a alguma confusão do garoto indisciplinado, que vivia matando aula para faz o que mais gostava: jogar bola! 



O FUTEBOL

Desde muito cedo, Fabiano sabia o que queria, já jogava em times da Várzea, foi meia-direita do Alvorecer e do Arco-íris, antes de completar 14 anos, foi então que seu Avô Benedito mesmo sendo ponte-pretano conseguiu com que o garoto fizesse um teste nas categorias de base do Guarani Esporte Clube. Ele passou e permaneceu no juvenil durante um ano. 

Quando o garoto foi dispensado devido à mudança de categoria, Fabiano passou por momentos difíceis, chegou a desistir do futebol profissional, passou a trabalhar na oficina de um grande amigo do avô, mas também não durou muito tempo, e depois conseguiu uma vaguinha ajudando a carregar e descarregar caminhões no SEASA. 
Mas, foi ai que um amigo o convidou para fazer um teste no juvenil do Ituano e Luis passou, jogando por um ano na equipe, foi transferido em 1996 para a Ponte Preta, time que o Avô Benedito era apaixonado.

(ESPN)

E não demorou muito para ele brilhar na Macaca! Vice-artilheiro da competição, acabou como destaque na Copa São Paulo de Futebol Júnior em 1998, e foi ai que Fabiano se tornou Luis Fabiano e subiu para o time principal da equipe campineira, ajudou a equipe a voltar para primeira divisão do Campeonato Paulista e a chegar as finais do Brasileiro de 1999. 
 

Em 2000, foi vendido para o Rennes, mas não se adaptou ao futebol francês e foi emprestado ao São Paulo no final da temporada. 

Estreou pelo clube em 28 de fevereiro de 2001, marcou dois gols sobre o Botafogo-RJ, na final da Copa Rio-São Paulo, em uma partida que acabou em 4x1. Na semana seguinte, ajudou o clube do Morumbi a levantar a taça de campeão do torneio, ao todo foram 49 jogos e 30 gols, porém, o atleta teve de voltar ao Rennes que detinha seus direitos.

Em 2002, o São Paulo contratou Luis Fabiano definitivamente por cerca de US$ 2,1 milhões. E como era de se esperar, o artilheiro fez jus aos valores que o clube pagou por ele marcando 21 gols em apenas 25 jogos.

“Entre bater o pênalti e ajudar na briga, prefiro ajudar na briga” frase dita por LF9 ficou famosa no futebol. (Imagem/Estadão)

E assim foram as outras temporadas sempre marcando muitos gols, sempre conquistando a artilharia ou vice artilharia dos campeonatos em que disputou.
Luis recebeu sua primeira convocação para Seleção Canarinho em 2003, fez gol na estreia contra a Nigéria, ano em que também ajudou o tricolor se classificar para a Libertadores seguinte, coisa que não acontecia há 10 anos. E em 2004, Luis foi artilheiro da competição, mas infelizmente o time foi eliminado na semifinal. 

Após esta etapa, Luis foi ao Porto, onde foi campeão da Super taça de Portugal e também campeão do mundo. Em 2005, foi para o Sevilla onde também se tornou ídolo, ganhou quase todos os títulos que disputou, foi destaque, goleador. 

Foi ai que o já FABULOSO chamou atenção novamente da Seleção Brasileira. Em 2007, após a contusão do atacante Afonso Alves, o técnico Dunga resolver convocá-lo para as eliminatórias. Luis se consagrou com a camisa amarela, em um jogo épico no Morumbi lotado contra o Uruguai, marcando 2 gols e saindo de campo ovacionado pela torcida, já em 2008 Luis foi artilheiro da Seleção.

(Imagem/Cosme Rimoli)

E não parou por ai, em 2009, ajudou a equipe brasileira a ser campeã da Copa das Confederações no maior estilo centroavante, marcando 5 gols em 5 jogos disputados. 
Foi titular na copa da África em 2010, disputando 5 partidas e marcando 3 gols. 

Ele voltou à Espanha após a Copa do Mundo, viveu mais uma última temporada de glória, em Sevilla deixou a equipe com 107 gols marcados, e uma identidade única com o torcedor espanhol, mas em 11 de Março de 2011, o artilheiro assinou seu retorno ao São Paulo, Luís Fabiano abriu mão de € 4,5 milhões, uma parte vinda de salários e premiações e outra grande parte era a sua porcentagem pela negociação. 

O então presidente na época, Juvenal Juvêncio declarou “ É a concretização de um sonho e um presente para toda a coletividade são-paulina.”.

E no domingo, 27 de Março de 2011, Luís chegou ao aeroporto internacional de Guarulhos, cercado por mais de 300 torcedores, o atleta ficou impressionado com a quantidade de pessoas prontas para recebê-lo!

(Imagem/Marcos Iboli)

Naquele domingo, Fabuloso ainda foi a Arena Barueri assistir um clássico contra o Corinthians (time que fez inúmeras proposta pelo camisa 9, todas recusadas!). E lá viu seu ídolo e amigo Rogério Ceni marcar o 100º Gol de sua carreira.

Mas, a verdadeira festa ficou para a noite de terça-feira (29 de março), o São Paulo preparou um festa extremamente grandiosa para a apresentação do goleador, o mestre de cerimônias foi o São Paulino fanático Cesar Filho juntamente com o Goleiro Rogério Ceni, a musica ficou por canta da banda Planta e Raiz, Andreas Kisser, Nando Reis, Jairzinho e Max B.O que cantou a musica “O Dono da 9” Em homenagem ao jogador.

(Imagem/Soberanos)

Quem também marcou presença levando a arquibancada ao delírio, foi a ESCOLA DE SAMBA INDEPENDENTE, que é oriunda da maior torcida organizada do São Paulo. 

A festa recebeu mais de 45 mil torcedores, nunca no Brasil houve uma festa tão grande para recepcionar um jogador.
Nas arquibancadas vimos fumaça, sinalizador, bandeiras de mastro, tudo aquilo que o futebol moderno nos tirou. 
Luís sorria feito criança, não aguentava a emoção de estar ali.

(Imagem/Paulo Pinto AE)

E lá se foram 4 anos, 4 temporadas em que Fabuloso fez inúmeros gols, ajudou o clube ser campeão da Copa Sul-Americana, Luís, se tornou o 2º maior artilheiro da história do Morumbi, o maior em média de gols, maior artilheiro do São Paulo em Campeonatos Brasileiros, em Copas do Brasil e em Libertadores (este empatado com Rogerio Ceni).

FABULOSO é o 3º maior goleador de toda historia do São Paulo Futebol Clube.·.

E em novembro de 2015 Luís precisou assumir para os torcedores (e para si mesmo) que a renovação de contrato não aconteceria, por diversas vezes o atleta disse que nem ao menos foi procurado para um conversa o que fez com o atleta (e os torcedores) ficasse bem chateado com a Diretoria.

Em 28 de outubro de 2015, Fabuloso entrou em campo com a faixa de capitão e os olhos cheios de lagrimas, contra o Figueirense fez sua última partida com a camisa do Tricolor Paulista, o atacante chorou, marcou gol, deitou no escudo do clube e prometeu um dia voltar para ajudar de outra maneira que fosse possível.

(Imagem/Mauro Horita)

“É uma emoção muito grande. Foram muitos anos da minha vida dedicados a esse time, com muito amor envolvido. Está bom, foi bom enquanto durou. Foi sofrido, entre amor e ódio. O que importa são as lembranças boas e os números que vão ficar” – Uma das declarações do atleta em meio a lagrimas.

Na semana seguinte, no dia 4 de dezembro, o São Paulo preparou em seu centro de treinamentos uma homenagem singela ao camisa 9, com declaração de diversos jogadores, diretores e sócios torcedores do clube, o jogador mais uma vez foi as lagrimas, e fez algumas declarações mais do que de amor ao clube em que ele tanto ajudou.

(Imagem/Rubens Chiri)

“– Estou morrendo um pouco, pelo amor e carinho que tenho pelo São Paulo. Todo divórcio é complicado, mas a vida continua.” 
No final ainda prestou uma homenagem ao avô o velho Ditão “Dedico a meu avô. Quem recortou o primeiro recortinho quando entrei no primeiro jogo, com 17 anos, na Ponte Preta, foi o meu avô. Ele me ajudou muito. Onde ele estiver, dedico a ele toda a minha trajetória. Agradeço todos que me ajudaram, mas meu avô era especial”.

Agora Fabiano faz parte do elenco da Tianjin Quanjian Football Club da China.

No final das contas, Luís Fabiano não se tornou um ídolo por causa de títulos, nem por causa dos inúmeros gols feitos e recordes batidos, FABULOSO se tornou ídolo por sua identidade com o torcedor São Paulino, por seu carisma, por ser além de jogador, torcedor fanático daquele clube, Luís é ídolo, porque não se deixou levar por dinheiro, porque não aceitou jogar em rival, porque abriu mão de dinheiro para voltar, porque tem raça e se entregou totalmente em todos os jogos em que entrou em campo, claro que Luís errou, errou muito principalmente tomando cartões desnecessários e ficando fora de jogos importantes que ele faria a diferença, mas o amor que ele sente pelo São Paulo é algo que ameniza tudo isso.

 Quem tem a oportunidade de conhecer o Fabuloso sabe o quanto ele é um cara bom caráter, um cara humilde, que preserva sua família, sua ideologia, que da atenção para cada torcedor, para cada admirador de seu trabalho, Luís é ídolo porque veio de baixo, por que venceu na vida, porque acreditou no seu sonho e fez dele realidade. 
Eu como colunista do São Paulo neste blog e mais que isso como São Paulina Fanática que sou não posso deixar de dizer que cai nas graças do ainda Luís Fabiano Magrinho que fazia seu primeiro gol lá no Maracanã contra o botafogo, que me tornei fã assídua desse jogador, mais do que isso, desse ser humano. 
E só tenho a agradecer por tudo que ele fez pelo nosso time de coração, por toda dedicação, e colocar o nome dele no meu filho ainda foi pouco para agradecer e homenageá-lo.

13263710_1167385936606011_7805973793688621617_n.jpg

Foto: Arquivo pessoal da colunista

 

 

“A vida me fez São Paulo, e eu fiz do São Paulo a minha Vida”.

 Luís Fabiano Clemente.

Por Jéssica Nogueira Gonçalves