INGLATERRA CARIMBA PASSAPORTE PARA SEMIFINAL

A seleção inglesa vence a Noruega, por 3 x 0, e tornou-se a primeira equipe a garantir vaga na próxima fase da competição

 

https://img.fifa.com/LiveBlogging/UploadedMedia/MM/5/7521/F1/A60I9754_2019062770519560.JPG

Foto: Getty Images - FIFA

As inglesas entraram em campo do Stade Océane, em La Havre, na tarde desta quinta (27), com um objetivo claro de vencer o duelo contra as norueguesas e, assim, passar para as semifinais desta edição da Copa do Mundo de Futebol Feminino. Com domínio de posse de bola, 59% elas ditaram o ritmo da partida e souberam aliar talento e paciência para furar a forte marcação das adversárias. 

Fizeram o gol mais rápido da Inglaterra em um mundial, aos dois minutos, com Jill Scott batendo seu próprio recorde, depois de dez minutos contra a Argentina em 2007. Com o feito, a jogadora tornou-se a segunda a marcar em três edições da competição, ao lado de Fara Williams. Os outros dois tentos, que deram números finais ao duelo, foram de autoria de Ellen White, que também quebrou recorde e é a atual maior artilheira da equipe no mundial, com seis gol, e Lucy Bronze, eleita como a melhor jogadora do confronto pela FIFA. 

As inglesas cresceram durante as etapas do torneio e mostraram elegância e a liberdade que faltava em suas primeiras exibições, com uma apresentação madura feita neste confronto. 

A Inglaterra iniciou a partida com pressão e no primeiro minuto fizeram dois bons cruzamentos para a área. Aos dois, Parris subiu com velocidade pela direita e cruzou rasteiro na área para Jill Scott que chutou no canto direito e abriu o placar. Com isso, aumentaram a pressão e partiram para uma série de tentativas ofensivas, em receber marcação. A Noruega ficou visivelmente abalada por sofrer um gol tão rápido e demorou a se reencontrar dentro de campo. 

Com um pouco mais de quinze minutos, recuperaram sua estabilidade defensiva com Maria Thorisdottir mais atenta e bem colocada. A Noruega iniciou o duelo com a tática de defesa e foi obrigada a mudar o estilo e partir para o ataque, com o intuito de recuperar o prejuízo. O problema foi a defesa bem postada das inglesas, que dificultou muito qualquer tentativa de saída do seu meio de campo. 

Com a vantagem, as inglesas passaram a trabalhar com mais calma o toque de bola e o jogo acabou por ficar morno e um pouco sem graça. Até que, aos 40 numa jogada belamente construída, Parris recebeu a bola pela direita e subiu com rapidez para a área, onde passou a bola para Ellen White fazer o segundo gol. Ela estava livre de qualquer marcação, numa falha clara da defesa da Noruega. 

C:\Users\Carla\Desktop\Blog MULHERES EM CAMPO\COPA DO MUNDO FUTEBOL FEMININO\OITAVAS DE FINAL\ellen White inglesa reuters.jpg

Ellen White autora do segundo gol

Foto: Reuters

O retrato da segunda etapa foi bem parecido com o futebol apresentado até então, com as inglesas ousadas nos contra-ataques e as norueguesas recuadas. Em novo erro das defensoras norueguesas e numa jogada ensaiada, veio o terceiro gol das inglesas. Mead bateu falta para trás e encontrou Lucy Bronze livre na entrada da área e a atacante mandou um chute bem colocado e forte para as redes. 

Um golaço aplaudido por David Beckham, que esteve presente no estádio, ao lado da filha Harper, para apoiar a seleção de seu país. O jogador expressou sua alegria com um farto sorriso nos lábios na hora em que tocou nas palmas das mãos da filha para celebrar o feito. 

Noruega perdeu-se em campo e não conseguiu finalizar as bolas com precisão, perdendo muitas chances de gols. Aos 37, um pênalti foi marcado a favor das inglesas, por conta de um empurrão de Thorisdottir em Houghton na área, após cobrança de falta. O placar poderia ter sido ampliado, caso Parris não tivesse sua bola defendida pela arqueira Hjelmseth, que pulou no canto certo. Fez-se a festa nas arquibancadas do estádio em La Havre, com a classificação da Inglaterra.

A Inglaterra vai enfrentar o vencedor do jogo entre os Estados Unidos e a França, nesta sexta (28), em Parc des Princes. 

 

Carla Andrade