Isso aqui não é Flamengo

(Foto: reprodução/internet)

São 56 dias, três eliminações, quatro jogos na Copa do Brasil, três derrotas e uma vitória. Esta é a temporada do Flamengo até aqui. E na última quarta-feira (18) a derrota veio com o amargo da vergonha. Perder não é feio, eliminações acontecem, faz parte do esporte, mas perder do jeito que o Flamengo perdeu por 2 a 1 para o Fortaleza, em Volta Redonda, no estádio Raulino de Oliveira, foi algo vergonhoso.

Os gols da partida foram Marcados por Pio: aos três minutos do primeiro tempo e aos 19 do segundo. Alan Patrick, de falta descontou aos 43 minutos, repetindo o placar do primeiro jogo, em Fortaleza. O Flamengo mais uma vez foi apático, mais uma vez errou passes, posicionamento. Sem Guerrero em campo, cruzava bolas na área para o amigo imaginário do Canteros ninguém. No começo do primeiro tempo, Flamengo tinha oito finalizações e nenhum gol. O Forlateza tinha uma finlaização e um gol.

Mas o time tem peças boas, o trabalho está sendo bem feito...isso é o que comissão técnica e diretoria querem nos fazer acreditar. Muricy passou mal na terça, não estava na beira do campo, mas o 4-3-3 estava lá. O tal esquema que ele aprendeu no estágio no Barcelona e tenta implantar há cinco meses no Flamengo, mas que não tem dado certo. As desculpas no início era o cansaço de muitas viagens e de disputar duas competições ao mesmo tempo. A viagens longas acabaram quando eles resolveram adotar Volta Redonda, no estado do Rio de Janeiro, como casa. Depois foram a falta de tempo para trabalhar. Flamengo, antes do primeiro jogo contra o Fortaleza, passou 10 dias sem jogar, apenas treinando. Perdeu e perdeu jogando mal.

Guerrero não jogou. Ederson foi improvisado no ataque: Fernandinho, recém-contratado, e Felipe Vizeu, recém promovido da base, eram opções. Não foram utilizados. Cirino vinha fazendo boas partidas e marcando seus golzinhos. O titular foi Emerson Sheik, que não vive sua melhor fase.

O resultado disso foi um time apático, desorganizado, sem objetividade e que se tornou presa fácil para um time de série C. O Flamengo conseguiu a façanha de, pela primeira vez, ser eliminado na segunda fase da competição.

Agora resta só o Brasileiro – e a Sul Americana no segundo semestre -, uma competição, tempo de sobra para treinar. Porém, vem a apreensão. O que esperar desse time que não engrenou até agora? Devemos nos preocupar com o rebaixamento? Com três eliminações humilhantes, não é exagero se preocupar com isso.

Muricy quis fazer do Flamengo um Barcelona, tem falhado grandemente. Muricy, as do Flamengo cores são o vermelho e preto, Flamengo é um time de raça e não de tik taka. Somos o Brasil e não a Catalunha. Devolva o Flamengo e faça com que ele volte a ser um time de raça, amor e paixão. Porque o que tenho visto nos últimos cinco meses: Aquilo não é Flamengo.

Camila Leonel