JÁ PODE COMEMORAR, ROBERTSON?

Atlético vira sobre o atual campeão e vai às quartas de final da Champions

 

Foto: Twitter @Atleti

 

Que Deus perdoe essas pessoas que não gostam de futebol.

 

Após mais uma partida épica na Champions, não tem como começar esse pós jogo com outra frase do que a dita acima. O futebol é incrível, e na tarde desta quarta-feira (11), Anfield teve mais um jogo histórico em seu gramado. 

Liverpool e Atlético de Madrid entraram em campo pelo jogo de volta das oitavas de final da Champions League, com os Colchoneros carregando uma leve vantagem de 1x0 no placar. 

Todo mundo sabe que enfrentar o Liverpool em pleno Anfield é algo difícil, a torcida faz uma pressão absurda e o time vai no ritmo da sua fiel torcida ali presente.

A primeira etapa inteira foi dos dono da casa, que não deram um minuto de paz para o sistema defensivo do Atlético, mas parava sempre em Oblak, que fechou o gol para a equipe de Madrid.

Precisando da vitória para ter chances de seguir na competição, o Liverpool tentou balançar as redes com Chamberlain e Wijnaldum, que fizeram grandes finalizações. 

O trio Mane, Salah e Firmino também tentaram de todas as maneiras vencer o goleiro esloveno, mas todos sem sucesso. A primeira etapa se resumiu bastante em um jogo de ataque contra defesa, jogadores do Liverpool vs Oblak, até nos minutos finais, aos 43 minutos, Wijnaldum recebeu um lançamento de Chamberlain e cabeceou a bola para o fundo das redes. 

1x0 Liverpool, placar no agregado igualado e todo o segundo tempo pela frente. 

 

Foto: Twitter @LFC


 

Quando as equipes voltaram para a segunda etapa, o time comandado por Simeone voltou com o regulamento debaixo do braço, esperando uma brecha do adversário para sair em contra ataque e empatar a partida para fazer valer o critério de gol fora de casa.

Brecha essa que não apareceu, e o Liverpool continuava com toda pressão em busca do segundo gol, o da classificação.

Oblak continuava pegando até pensamento que pairava sobre a grande área, fazendo defesas excepcionais que salvava a pele do Atlético.

A primeira mudança de jogo ocorreu quando Simeone tirou Diego Costa para colocar Marcos Llorente, sem saber que o dono da 14 levaria o time rumo classificação.

Enquanto a defesa do time de Madrid trabalhou bastante tentando parar os jogadores adversários, os atacantes apenas assistiam a partida sem levar muito perigo para a meta de Adrián.

Nos minutos finais da partida, a pressão do Liverpool aumentou bastante, fazendo a torcida do Atlético implorar pelo fim da partida para ir a prorrogação logo, pois qualquer gol marcado a essa altura do campeonato seria crucial para qualquer equipe.

O arbítrio da partida deu dois minutos de acréscimos, e quando tudo se encaminhava para a prorrogação, o Atlético conseguiu uma falta perto da grande área adversária. Lodi foi para a batida e Saul mandou a bola para o fundo do gol, era o gol da classificação, o gol que levaria a equipe de Madrid direto para as quartas de final, mas o juiz assinalou impedimento do jogador e anulou o tento marcado. 

Fim de jogo, 1x1 no agregado e 30 minutos de prorrogação para a agonia de ambas as equipes e torcidas.

Nos primeiros 15 minutos da prorrogação, não dava nem para piscar que era um lance perdido. As duas equipes deixaram a cera de lado e foram em busca do gol. E foi o Liverpool que chegou a essa meta primeiro, com o brasileiro Firmino que recebeu a bola na grande área, mandou uma cabeçada na trave, mas viu a bola voltar para ele apenas empurrar a pelota para o fundo do gol.

Se Anfield já estava em um clima maravilhoso, depois da vantagem dada por Firmino a torcida "enlouqueceu" e empurrou os jogadores ainda mais para marcar mais gols.

Porém, a alegria dos donos da casa não durou por muito tempo. Tudo começou após saída de bola errada de Adrián - que estava substituindo Alisson, lesionado - que saiu jogando errado e viu a bola cair nos pés de João Félix, que estava bem discreto na partida mas acertou um belíssimo passe para Llorente fazer o gol do Atlético de Madrid, complicando a vida dos homens de Klopp, que, a essa altura, teria que ver o Liverpool virar a partida para poder se classificar.

Logo após o gol, Simeone fez sua segunda substituição na partida, tirando João Félix e colocando Morata em campo. E os poucos minutos do espanhol foram mais do que o suficiente para ele arrancar um contra ataque fatal e dar uma assistência para Llorente marcar o segundo dele na partida, empatar o placar em 2x2 e sacramentar a classificação de sua equipe.

O Liverpool voltou para a segunda etapa da prorrogação precisando fazer nada mais que dois gols e, por conta disso, foi todo para o ataque, mas a afobação nesse momento já era grande e a equipe pouco conseguia criar, e nem as jogadas individuais surtiram efeitos.

E no apagar das luzes, tivemos a virada fantástica da equipe de Madrid, levando sua torcida, comissão técnica e treinador a loucura. A jogada começou em uma tabela entre Llorente e Morata, até a bola sobrar para o atacante mandar de canhota para o fundo do gol de Adrian e fechar o caixão do atual campeão da Champions.

3x2 Atlético de Madrid em uma virada épica nos gramados de Anfield.

 

 

Oblak levou para a casa o troféu de melhor jogador da partida.

Foto: Twitter @Atleti

 

Depois de fazer o verdadeiro paredão na partida, Oblak foi eleito o melhor jogador da partida. O goleiro fez nada menos que 10 defesas difíceis durante todos os 120 minutos em campo.

O Atlético fez em campo aquilo que já está acostumado, sobre segurar a partida, sobre sofrer a pressão do adversário e puxar o contra ataque quando preciso, méritos dos jogadores e de Diego Pablo Simeone. 

No final da partida, o treinador Simeone falou sobre a classificação de sua equipe:

 

"Estou muito feliz pelo time e pelo clube. Estamos mais uma vez entre os oito primeiros da Europa. Foi uma partida pela história contra um rival extraordinário, muito forte, com uma intensidade raramente vista e um estádio bonito, com seu povo"

 

Diego e seus jogadores descobrem na próxima sexta-feira (20), seu próximo adversário.

 

Por: Thais Santos


 

*Esclarecemos que os textos trazidos nesta coluna não refletem, necessariamente, a opinião do Blog Mulheres em Campo