JEITO COPEIRO

 

 

O Grêmio enfrentou na noite desta quinta-feira (20) em Assunção, no Paraguai, o Guaraní. A partida válida pela 3ª rodada da fase de grupos da Libertadores da América terminou em 1x1 e com assinatura copeira do Tricolor.

 

 

unnamed (1).jpg

Foto: Lucas Uebel - Grêmio

 

 

Durante toda a semana, vínhamos acreditando que o time seria titular e que os atletas estariam brigando com aquele fator chamado tempo. Para a surpresa do torcedor, 45 minutos antes da partida a escalação foi divulgada com apenas dois jogadores titulares, Marcelo Grohe e Edilson, e todos os outros foram preservados. Dessa forma, o Grêmio entrou em campo com Marcelo Grohe, Edilson, Rafael Thyere, Bressan, Bruno Cortez, Michel, Jailson, Arthur, Lincoln, Fernandinho e Lucas Barrios. À disposição do técnico Renato Portaluppi estavam Leo, Bruno Rodrigo, Kaio, Machado, Gastón Fernández, Everton e Pedro Rocha.

 

Sabemos que era um jogo de alto nível e claro, esperávamos a equipe titular. Mas a equipe que entrou em campo mostrou raça e empenho dando o seu melhor em campo, conseguindo arrancar um empate e continuar na liderança da chave.

 

Tá achando que foi fácil assim? Errou!

 

No 1° tempo do jogo, o Grêmio conseguiu criar oportunidades através de bons passes e domínio da partida, e quase abriu o placar com chances de Lincoln, Barrios e Fernandinho, mas sem sucesso. Aos 30 minutos da primeira etapa, o adversário começou a colocar pressão e chegou ao gol, mas calma. Para a nossa alegria e tranquilidade, o gol foi anulado por impedimento. Sinceramente, foi até bom que eles quase  marcaram o gol, assim fizeram com que o Tricolor acordasse e soubesse que quem não faz, leva.

 

 

unnamed (2).jpg

Foto: Lucas Uebel - Grêmio

 

 

O Grêmio tentou, tentou e tentou abrir o placar, mas não estava sendo fácil. Deu bola na rede para o lado de fora, trave, chute lá na arquibancada e até bola que passou de fininho, mas que só assustou o goleiro.

 

No 2° tempo, o Tricolor voltou com a mesma formação e se mostrou superior mais uma vez, sobre os donos da casa. Mas quem abriu o placar no Paraguai foram os donos da casa. Aos 27 minutos da segunda etapa, Palau cruzou para López e de cabeceio mandou para o fundo do gol: Guaraní 1x0 Grêmio.

 

Renato fez algumas alterações, que demoraram para ter algum efeito. Aos 23 minutos, saiu Lincoln para a entrada de Pedro Rocha; aos 29 saiu Barrios e entrou Everton e ainda, saiu Fernandinho e entrou Kaio aos 37 minutos.

 

Naquele momento, quando estávamos perdendo o jogo e com os nervos à flor da pele para buscar o empate, o pior aconteceu. Michel foi punido com o seu 2° cartão amarelo e expulso da partida.

 

Com um a menos em campo e com o Guaraní ganhando, o Tricolor não desistiu e criou oportunidades, pressionando o adversário. E para a nossa alegria, deu certo!

 

Naquela noite ele era destaque por usar um número da camisa diferente do que estamos acostumados. Ele que usa tradicionalmente o número 32 na camisa, ontem estava usando a 9. Curiosidade à parte, o gol veio aos pés de Pedro Rocha quando recebeu passe de Arthur, pegou de primeira e chutou forte para o gol, deixando tudo igual.

 

 

unnamed.jpg

Foto: Lucas Uebel - Grêmio

 

 

Nos acréscimos, Pedro Rocha ainda teve chance de virar o jogo, mas a bola bateu na trave.

 

O jogo terminou aos 48 minutos, com aquele gostinho de vitória depois desse sufoco que foi a busca pelo empate. Com esse placar, continuamos líderes no grupo 8 da Copa Libertadores e deixando a assinatura do Grêmio. Sinceramente, saiu até barato esse resultado. Podíamos ter levado mais por estar com um a menos, e com a zaga deixando passar o que não devia.

 

Não podemos duvidar do Tricolor, independente de ser equipe titular ou reserva, é Grêmio. O torcedor continuou acreditando, até porque sabemos que para nós, se fosse fácil não seria o Grêmio. E deu certo, o jeito copeiro mais uma vez marcou o jogo, mostrando que buscar o resultado até o final, é possível sim.

 

E você deve estar se perguntando, qual o significado de copeiro? Essa expressão vem de um gíria que ficou conhecida a partir de uma música da Geral, que caracteriza uma ação por ser aguerrido/guerreiro, ou seja, é bem o que o Grêmio é, busca de forma inacreditável e na raça o seu objetivo.

 

Após a partida, a delegação embarcou para Porto Alegre onde se reapresenta para começar a preparação para domingo, na semifinal do Gauchão.

 

 

Queremos a Libertadores! Queremos o Gauchão! Seremos campeões!

 

 

Por Bethania Formighieri