Juramos que não vamos parar

 

Que o futebol sempre foi predominantemente masculino, isso nós já sabemos. Mas isso não impediu de conquistarmos o nosso espaço, seja no gramado, na imprensa ou nas arquibancadas.

Ser mulher e gostar de futebol é um desafio. Vão lhe questionar a escalação do seu time, quando foi o primeiro gol do Camisa 10 quando ele ainda jogava no Sub-15, o que é impedimento, quem é o juiz e quem é bandeirinha, e por aí vai...

Isso sem contar as famosas frases incentivadoras de que as mulheres só estão no estádio para acompanhar os seus cônjuges, ou atrás de novos relacionamentos. Após ouvir tudo isso, ainda sim resistimos, afinal, costumam dizer que o amor sempre vence.

O amor pelo futebol pode surgir quando pequenininha vinda da tradição dos pais, ou quando crescemos e percebemos o quão lindo é um clube, uma torcida, uma camisa. Escolhemos o clube, mas na maioria das vezes ele nos escolhe e aí começa a mais bela e sofrida história de amor da nossa vida.

A sofrência chega a ser maior do que quando ouvimos Marília Mendonça. É um choro de tristeza de um lado, um riso de desespero do outro. É pênalti perdido, escanteio mal batido, bola na barreira, na trave, na mão do goleiro, na arquibancada, menos no gol; é aquele momento que você para e pensa o que está fazendo ali, até que.... GOOOOL! O momento de êxtase! Os jogadores correm pro abraço e você também, nessa hora a torcida é uma família alegre comemorando o hexa - que virá, eu creio haha- abraços e alento misturados a sorrisos e lágrimas dos integrantes da sua torcida.

 

Na foto: Paulinha, torcedora do ABC FC e integrante do Movimento 90! Foto: Rennê Carvalho

 

Seja daquelas que assiste ao jogo sentada nas cadeiras tomando sua cerveja ou refrigerante ou daquelas mais conhecidas como loucas, que sobem em alambrado, muretas, tiram a camisa na hora do gol, jogam a cerveja para cima, correm pro abraço sem medo de se doar, afinal, ser torcedora é vibrar e se emocionar junto com o time. Ainda tem até aquelas que gostam de acompanhar de longe, no bar, na casa de amigos, pelo rádio, cada uma do seu jeitinho torcem e amam o seu time, e cada uma do seu jeitinho merece todo o respeito do mundo.

Que esse amor nunca acabe, pelo contrário, que cresça. Já imaginou que lindo o estádio cheio de homens e mulheres numa só voz empurrando o time para primeira divisão ou para um título que está por vir? Sem preconceito, sem machismo, sem piadinhas, sem desrespeito, só alento, muito alento, e uma cerveja gelada por que futebol e cerveja combinam, né?

Que sejamos insanos e amantes do futebol, somente do futebol.

As mulheres não são e nunca serão enfeites de arquibancada, elas estão lá por amor e para somar nessa loucura coletiva que são as torcidas organizadas, torça com elas e não contra elas.

 

Por Ana Neves