JUVENTUS TRIUNFA EM JOGO PONTUADO PELO RACISMO

 

Foto: Marco Bertorello/AFP

Foto: Mario Botorelo - AFP

 

O time venceu o Cagliari, por 2 x 0, e Kean ouviu gritos racistas vindos da arquibancada rival

 

Inadmissível que alguns torcedores ainda insistam em bater na tecla do racismo para descontar a frustração da derrota. Foi o que aconteceu, aos 40 minutos do segundo tempo, quando Kean marcou o segundo gol da Juventus, depois de receber um passe perfeito de Bentancur.

 

Na hora de comemorar seu tento, o jogador ouviu sons que pareciam de um macaco e teve objetos arremessados em sua direção.

 

Um ato que comprova que o preconceito está longe de acabar dentro dos estádios de futebol. No momento em que ouviu o coro, Matuidi imediatamente tomou as dores do companheiro de clube e foi conversar com o juiz pedindo alguma atitude e, depois, com Allegri, para quem deixou clara sua indignação.

 

Vamos ao jogo. A Juventus sem nove titulares não teve dificuldades em imprimir seu ritmo e dominar os noventa minutos. A abordagem de Allegri para a partida foi mais do que correta e ele colocou os Bianconeris em campo com o 3-5-2 e a dupla de ataque com Kean e Bernardeschi, para manter o centro de gravidade alto e procurar jogadas.

 

A equipe administra o ritmo sem dificuldade, no limite ele baixa levemente o centro de gravidade comparado ao início do jogo, os de fora chegam menos frequentemente no cruzamento e Kean recebe poucas bolas, mas os riscos corridos são praticamente nulos, o que garantiu a merecida vantagem.

Foto: Marco Bertorello/AFP

Momento do gol de Bonucci

Foto de Mario Botorelo - AFP

 

O primeiro gol veio aos 22 minutos numa jogada onde Bernardeschi bateu um escanteio e serviu Bonucci que subiu para cabecear e marcar seu gol de número 500.  

 

Sem poder contar com Cristiano Ronaldo, ainda em recuperação da lesão muscular sofrida em jogo pela seleção de Portugal, a Juve mais uma vez recorreu ao jovem Kean para compor o ataque ao lado de Bernadeschi.

 

Depois de duas chances desperdiçadas, a revelação de 19 anos, aproveitou cruzamento rasteiro de Bentancur, aos 39 do segundo tempo, e empurrou para a rede. O gol deu início a cânticos racistas pelo estádio.

Com o resultado, a equipe soma 81 pontos, 18 a mais do que o Napoli, vice-líder que tem um jogo a menos. A Juventus tem pela frente um jogo de alto nível, contra o Milan, às 13h30 (de Brasília) no sábado, em Turim, quando pode deixar ainda mais encaminhada a conquista da competição nacional.

 

Carla Andrade