Lisca Doido: O cara que trouxe de volta o orgulho alviverde

 

(Foto: @Gonza_Rodriguez)

Diante de tantos grandes nomes, grandes ídolos que já passaram pelo Esporte Clube Juventude e fizeram seu nome no Alfredo Jaconi, há três anos um cara chegou ao clube para fazer história, e não é qualquer cara, é O CARA. 

O cara que nos trouxe esperança novamente, o cara que soube honrar o nosso manto e que fez com que o nosso time inteiro realmente vestisse a camisa, o cara que veio para fazer o torcedor acreditar novamente na nossa volta para a elite do futebol brasileiro e nos forneceu a escada para subida do primeiro degrau, a saída do inferno. Foi graças a ele que pudemos soltar aquele grito que vinha preso a muito tempo de "adeus série D". 

Luiz Carlos Cirne Lima de Lorenzi é o nome desse cara que contagiou a nação alviverde com sua loucura, com seu amor à camisa, e principalmente com o respeito que teve e ainda tem com cada um de nossos torcedores, ganhando o apelido de "Lisca Doido" o qual mostrava que tinha orgulho cada vez que vibrava junto com a torcida gritando "lisca, lisca doido". Inspirado nos dois grandes técnicos e também amigos Abel Braga e Tite, Lisca demonstrou o tamanho do seu potencial reerguendo o Juventude e mostrou que com certeza um dia poderá ser ele quem vai servir de exemplo para novos técnicos que estarão ingressando no futebol brasileiro.

(Foto: Juventude Oficial)

Em 2012 o Juventude conquistou o bicampeonato da Copa FGF, denominada Helio Dourado, sob o comando do grande Lisca, garantindo a participação na série D em 2013, e melhor ainda, contra o Brasil de Pelotas, no estádio Bento Freitas, em Pelotas. 

Com o grande goleiro Fernando fazendo o possível e o impossível para defender as faltas a favor do xavante pertinho da grande área, e o nosso Lisca Doido ali no cantinho do gramado torcendo e vibrando como qualquer torcedor ali presente. Apesar de alguns momentos de aflição durante o jogo, no final foi o Juventude quem saiu com a taça, e como o próprio Lisca disse em entrevista após o jogo ‘‘a dificuldade não nos atrapalhou, nos motivou mais ainda’’. 

Neste tempo em que comandou a equipe do Juventude, Lisca sempre demonstrou ser um cara visionário, com pensamento de vencedor, e fez com que tanto o time, quanto a torcida se contagiassem com esse seu jeito, ele acreditou no time e fez com que a equipe e a torcida acreditassem nele, entrassem em sintonia e fez do Juventude um vencedor, mesmo que não tenha ficado no comando da equipe por muito tempo, com certeza, saiu do clube com a sensação de dever cumprido.  

(Foto: Juventude Oficial)

No dia 30 de julho de 2013, Lisca completou um ano no comando da equipe alviverde e em entrevista para o clube falou sobre o apelido que recebeu no Alfredo Jaconi de Lisca Doido:

- ‘‘Num primeiro momento eu fico um pouco chateado, porque o doido sempre aponta pra algo negativo, mas aqui no Juventude eu gosto muito. Porque o “Lisca Doido” é algo que vem da torcida e muito por causa dessa doideira de querer fazer a coisa acontecer, de vibrar, de querer que o Juventude ganhe, de se entregar de corpo e alma ao trabalho. De muitas vezes passar até por um ridículo, mas pelo clube, vibrando e se dedicando. Então essa doideira, esse “Lisca Doido” é carinhoso e é um reconhecimento dessa entrega ao trabalho. Vejo, então, com muita satisfação e até mesmo fomento quando a torcida grita “Lisca, Lisca doido”, girando os dedos em volta da orelha, mas é com muita alegria que aceito isso. E esse doido é doido pelo trabalho.’’

(Foto: Juan Barbosa / Agencia RBS)

No dia 22 de dezembro de 2013, após empate em 0x0 contra o Metropolitano, conquistamos o tão sonhado acesso a série C, diante de toda a emoção, a torcida eufórica invadindo o gramado, estava ele, o nosso Lisca doido, pulando pelo gramado do Alfredo Jaconi, abraçando torcedores e jogadores, mostrando que não estava aqui só de passagem, mas sim para fazer história no coração de cada torcedor jaconero. 

Ele transmitiu a garra que trazia junto a ele a cada jogador do elenco que comandou, fazendo assim que cada um deles sentisse orgulho de vestir aquela camisa verde e branca, e no campo mostrar a mesma garra que o grande Lisca mostrava para cada um deles. Após o jogo, o treinador foi surpreendido com um banho gelado, com direito até a espumante. 

A euforia era tanta que a bancada de imprensa foi ao chão e Lisca ainda completou ‘‘acabou o sofrimento, acabou o peso’’ e realmente, o enorme peso que foi tirado de cada torcedor alviverde vai ficar marcado para sempre.

Lisca se despediu do Juventude de cabeça erguida, deixando para a torcida aquele gostinho de quero mais. E por onde passou depois da sua saída do verdão mostrou a consideração e o reconhecimento que ainda tem pela torcida alviverde. Agora no comando do Ceará ainda carrega o apelido de Lisca Doido, mas relembra que a torcida do Juventude tinha um jeitinho diferente de torcer.

Fica aqui o agradecimento em nome de toda a papada para o cara que soube fazer acontecer, que nos trouxe de volta aquele orgulho de torcer para o nosso querido Esporte Clube Juventude. Obrigada Lisca Doido, pela tua loucura, profissionalismo e por ter honrado o nosso manto com tanto carinho!


Fernanda Andreazza