Melhor que o esperado!

Após o apito final do árbitro na partida de estreia da seleção suíça diante da pentacampeã brasileira, foi possível ver muitos torcedores de vermelho comemorando o empate em 1 a 1 conquistado pelos europeus. Sim, a busca pelo empate no início do segundo tempo foi visto como uma verdadeira conquista diante de um desafio tão complexo já no primeiro jogo da Copa de 2018.

Os primeiros minutos de jogo foram atordoantes para os suíços. Mesmo com sua tão conhecida e consistente estrutura defensiva, a postura dos brasileiros em tentar impor seu estilo de jogo e o belo chute de Coutinho que abriu o placar em Rostov fizeram com que os planos suíços não saíssem como o esperado e planejado. Em um primeiro momento, os adversários dos brasileiros não conseguiam nem mesmo aproveitar algum contra golpe que pudesse clarear uma jogada que possibilitasse uma reação.

 

Foto: Reuters / Globoesporte.com

 

O capitão da equipe europeia havia salientado na véspera do jogo que não via uma forma de anular o craque Neymar durante os 90 minutos de uma partida. Já em campo, os suíços utilizaram as faltas como uma forma de fazer com que o principal jogador brasileiro não conseguisse dar prosseguimento nas evoluções do esquema de jogo definido por Tite para seus comandados.

 

Talvez pela dificuldade do próprio Neymar em aparecer mais no jogo, os brasileiros diminuíram um pouco o ímpeto em atacar após o marcar seu primeiro gol, o que deixou a Suíça um pouco mais tranquila na partida. Sem maiores ajustes no intervalo, a equipe retornou para o segundo tempo com a missão de buscar alguma reação na etapa final da partida.

O que talvez os próprios suíços não esperavam é que essa reação viria já nos primeiros minutos do segundo tempo. Em uma cobrança de escanteio, um lance cheio de polêmicas resultou no gol de empate dos europeus. A jogada já foi alvo de análise e repetições muitas e muitas vezes pelos mais diversos especialistas desde o final da partida.

Ao pular mais alto que toda a linha defensiva brasileira, o meio-campista Zuber marcou o primeiro gol de sua equipe nesse mundial. Após o lance, os jogadores brasileiros questionaram um empurrão que teria impossibilitado Miranda de pular na jogada e impedir o jogador suíço de converter a gol. Bem posicionado, o árbitro mexicano da partida concluiu que não houve irregularidade e também não se valeu do recurso do árbitro de vídeo para questionar a validade do lance. Após o empate, os europeus procuraram de todas as formas se defender e garantir este que era considerado um ótimo resultado.

Em geral, esse primeiro ponto conquistado pelos suíços teve um gosto muito especial para os jogadores, comissão técnica e torcida. Não perder para o adversário mais forte do seu grupo foi uma verdadeira injeção de ânimo para todos, ânimo esse que será muito utilizado na próxima sexta-feira, 22/06, diante da Sérvia, atual líder do Grupo E.

Pode-se dizer que a confiança adquirida é proporcional à tamanha expectativa e ansiedade existente antes da estreia. No final das contas, foi um início muito melhor do que o esperado!

 

Cintia Menzomo