Mesmo com chuva, tem Furacão

Enfim o Furacão Paranaense estreia no campeonato paranaense jogando em casa, não exatamente na Arena da Baixada, mas no Janguito. Depois de tantas vitórias e histórias podemos considerar nossa segunda casa.

Falaremos então do jogo:  Um primeiro tempo morno. Sem jogadas espetaculares. Os dois times jogando na retranca, goleiros sem muito trabalho. Porém quem chegou primeiro foi o time visitante, logo aos dois minutos, o Maringá Helder Santos recebe pela esquerda e cruza muito forte e ela sai pela linha de fundo.

Atlético responde aos 7 minutos num lance onde Crysan toca em profundidade para Marcos Guilherme que cruza fechado, mas a bola fica tranquila para defesa do goleiro William Menezes.

Num outro lance do jogo, aos 14 minutos Vinícius recebe a bola pelo lado esquerdo, mas chuta fraco o que facilita a defesa do arqueira do Maringá. 

Furacão jogava melhor, tinha o domínio da bola, mas encontrava dificuldade pra chegar ao gol adversário, pois o Maringá jogava fechado, os 11 jogadores no campo de defesa só esperando um contra ataque.

A jogada mais perigosa no primeiro tempo veio só aos 36 minutos, com um cabeceio de Crysan que o goleiro Willian Menezes espalmou, mas o atacante rubro negro estava impedido no lance. Fim do primeiro tempo sem maiores emoções.

Volta do intervalo, mudanças no Furacão. Sai Léo entra Eduardo. Sai Crysan entra André Lima. Sai a Garoa entra a Chuva forte. A única coisa que não saiu foi à empolgação da torcida que cantou cada vez mais alto sempre que a chuva aumentava.

Com a entrada de André Lima já deu pra notar a mudança. Logo aos 4 minutos com ótima de Vinicius que cruza a bola na área André Lima e Marcos Guilherme tentaram mas a nenhum dos dois alcança e a bola se perde na linha de fundo.

Aos 14 minutos Vinicius entra correndo na área e deixa a bola para André Lima chutar rasteiro, mas a bola passa junto da trave direita e não entra. Boa chance Atleticana.

O lance de maior perigo de gol do Maringá veio aos 18 minutos do segundo tempo quando o lateral Adriano chutou forte na cobrança da falta e o goleiro Weverton defendeu e no rebote, Andrezinho chuta em cima da marcação, depois disso sem perigos na área Atleticana.

A história do jogo mudou aos 26 minutos, com a saída de Marcos Guilherme e a entrada de Anderson Lopes, alguns torcedores vaiando outros aplaudindo o menino sai de campo.

E logo aos 30 minutos Anderson Lopes, após uma cobrança de falta de Vinicius na barreira, o rebote sobra para Anderson Lopes que cabeceia no goleiro William que defende tranquilamente.

Aos 32 minutos o Maringá chega, sem perigo já que o Furacão estava atacando mais ficou vulnerável. Depois de uma troca de passes com Vieira Gabriel Barcos bateu baixo o que facilita a defesa de Weverton.

Ai vem o jargão “Quem não faz, tomaaa”, dito e feito. Dois minutos depois a Consagração. Anderson Lopes. Depois de uma cobrança de escanteio de Vinicius,  o arqueiro do Maringá saiu mal na jogada e deu rebote na cabeça do zagueiro do Maringá e caiu no pé de Anderson Lopes que não perdoou e mandou pra rede pro primeiro e único gol da partida.

Aos 43 minutos zagueiro Rogélio atinge Sidcley que cai, na sobra Otávio cruza, mas a bola desvia e sai para escanteio. No lance o zagueiro é expulso e o jogador atleticano recebe atendimento.

Na cobrança de escanteio, Vinicius cobra, Deivid desvia e André Lima bate de primeira e o zagueiro do Maringá estava lá para salva em cima da linha! Quase o segundo. Fim de jogo! E o Furacão mantém o 100% de aproveitamento no ano.

ATLÉTICO-PR

Weverton; Léo, Christián Vilches, Paulo André e Roberto, Deivid, Otávio e Vinícius, Marcos Guilherme, Sidcley e Crysan

 

MARINGÁ

William; Adriano, Rogélio, Cleiton e Helder Maranhão, Zé Leandro, Jefferson Luis e Andrezinho, Vieira e Gabriel Barcos

Por Nay Bortolotti