MEU CORITIBA, ALMA GUERREIRA!

O Coritiba enfrentou na noite desta quarta feira (28) o Belgrano em Córdoba, na Argentina. O jogo foi às 21h45 (Horário de Brasília) e o time alviverde viajou com uma desvantagem, já que precisava fazer dois gols de diferença para poder passar de fase, e a história terminou com um final feliz, pelo menos para o lado Coxa Branca.

Um estádio lotado, em que 60 mil torcedores do Belgrano faziam festa, a maioria dava como certa a classificação do time Argentino, mas também devemos ressaltar os guerreiros que ficaram 40 horas na estrada para poder privilegiar e apoiar nosso time. Voltando ao jogo... O técnico Carpegiani ousou, colocou 4 atacantes em campo e foi para o tudo ou nada, pois apenas a vitória importava.

No primeiro tempo o Coxa atacou, tentou, mas a bola parecia fugir e quem acabou abrindo o placar, aos 29 minutos, foi o Belgrano após cobrança de escanteio. Com um empurra empurra na área, o jogador adversário mandou uma bicleta indefensável para o goleiro Wilson, 1x0 e o Coritiba precisaria de 2 gols para levar a decisão para os pênaltis. O time começou a pressionar até que, aos 42 minutos, o empate veio. Benitéz fez lançamento pela direita para Iago, que mandou de cabeça para o gol, empatando a partida e devolvendo as esperanças ao time Coxa Branca.

FOTO: Coritiba Oficial

No segundo tempo o Coxa mostrou porque é o time da alma guerreira, foram 9 tentativas de chegar ao gol e 51% de posse de bola. Carpegiani logo mudou o time, tirou Vinicius e colocou Carlinhos com a intenção de movimentar ainda mais a equipe e deu certo. Aos 19 minutos, após uma bela cobrança de falta de Juan, Nery Bareiro subiu e fez o gol da virada do Coxa, 2x1. Agora era fazer mais, não tomar gol, ou segurar e levar para os pênaltis, mas o time alviverde não se abateu, tentou, chutou, mas a noite era pra ser emocionante... a decisão foi para os pênaltis.

A torcida rezou, se ajoelhou, quem estava presente cruzou as mãos e pediu bençãos ao goleiro Wilson já quem estava a km de distância, deixou o coração batendo lá em Córdoba. A primeira cobrança era nossa e Leandro, para atacar os cardíacos, errou... Suarez na sequência fez, o que colocou ainda mais pressão. Bernardo, sem medo, mandou certinho pro gol, Bieler na sequência fez para o Belgrano. Juan também não desperdiçou a chance, na sequência, Lema fez para os Argentinos e Gonzáles para o Coxa. Luna fez a 4ª cobrança para o Belgrano, mas Wilson defendeu e a emoção tomou conta. A cobrança agora era do Coritiba, a última, e Wilson mostrou como é que um goleiro faz gol de pênalti. Na sequência, todos sabiam que se o Belgrano perdesse, a classificação alviverde viria e Wilson mostrou que além de saber bater pênalti ele também sabe defender. Foi assim que Gaston mandou e o arqueiro do Coxa defendeu, fazendo o time vibrar de tanta alegria e emoção, com a torcida eufórica podendo comemorar uma classificação sofrida, porém na raça do time do Coritiba.

Foi a primeira vitoria Internacional do Coxa, o técnico Carpegiani falou que é esse o time que ele quer ver jogando e dedicou a vitória para a torcida:

"Queremos devolver a alegria que o torcedor estava tendo, que nos promoveu no primeiro jogo, na nossa casa, no Couto Pereira, uma festa fantástica. Naquela oportunidade, nós não produzimos, não jogamos bem. Hoje, além da classificação, quero dizer que a equipe jogou, botou a bola no chão, com jogadas pela direita, pela esquerda... Jogou o futebol que eu realmente quero. Sem sombra de dúvida, uma equipe madura, serena. Tudo que eu quero que o Coritiba faça, fez hoje. Mais jogadores ofensivos. Temos que colocar a bola no chão e jogar. Sou rabugento e hoje eles satisfizeram isso. Na casa do adversário, com 60 mil pessoas, o time calou o estádio. Esse é o futebol que eu quero, que eu fico satisfeito. A torcida merecia a festa que proporcionou e queremos ela de volta. Reconquistamos a festa. Em casa, agora, vamos ter um pouco mais de seriedade e garra. A torcida em momento algum vaiou, com exceção de algumas vaias no final. Nós queremos dar essa alegria a ela. Nós dedicamos a nossa torcida, tudo que ela proporcionou" – disse o treinador em entrevista à rádio Transamérica. 

Muitos desacreditados davam como certa a nossa derrota e eliminação, muitos fizeram apostas no Belgrano, riram da gente, mas nós tínhamos jogadores que queriam essa classificação, um técnico sem medo que deu apoio ao seu time e esperanças a sua torcida. Torcida essa que em parte pôde fazer a festa no estádio do Belgrano e quem não pôde deixou um pedacinho do seu coração na Argentina. Dias antes a mídia anunciou que passaria o jogo, crentes de uma derrota, desistiram, mas nada impediu a torcida de apoiar, que no dia de hoje sai embelezando as ruas de verde e branco e com um sorriso no rosto.

FOTO: Coritiba Oficial

É impossível não ter sentindo tanta emoção ao ponto das suas mãos suarem e tremerem, teve gente que fez promessa, até disse parar de beber. Impossível não ter gritado de raiva no gol adversário ou na cobrança de pênalti perdida, mas o melhor foi gritar de alívio quando Wilson defendeu e nós sabíamos que estaríamos classificados. Nós somos a torcida que nunca abandona, toecedores do time da alma guerreira, AQUI É CORITIBA!

#Classificados #QuemRiPorUltimoRiMelhor #AquiéCoxa #AlmaGuerreira #CoxaDoido #Sulamericana

Por Patrícia Moro

Curta Blog Mulheres em Campo