MOMENTO NOVO, PROBLEMAS ANTIGOS

Foto: Divulgação Paraná Clube

 

Pois muito que bem, meu caros. Para quem achou que voltaríamos em um ritmo acelerado, com o time mais encaixado, criação de jogadas e grandes chances de gol e vitória, achou errado. O retorno do Campeonato Paranaense, além de ser precipitado e irresponsável, foi feio em campo.

O Paraná Clube encarou o Coritiba na Vila Capanema em rodada válida pelo primeiro jogo das quartas de final e, para o nosso desânimo, saiu derrotado por 1x0 com a famosa Lei do Ex dando as caras.

Já era esperado que os jogos pós paralisação não seriam lá os mais bonitos de se acompanhar. São 4 meses sem jogos, pouquíssimo tempo com treino em campo e com bola, times prejudicados e sem ritmo. Mas mesmo sabendo de todas essas questões, não temos muito o que elogiar do que o time Paranista nos apresentou durante a partida.

Faltou ritmo, faltou energia, faltou vontade e faltou qualidade. Talvez seja até repetitivo escrever sobre isso, mas o que temos hoje, a realidade que assola o Paraná Clube, é um time extremamente fraco. São poucos os momentos em que conseguimos esboçar alguma coisa boa em campo. E se no time titular já é assim, o restante do elenco pouco pode ajudar a melhorar.

Mesmo com portões fechados, o jogo deste domingo se tratava de um clássico. Aqui seguimos a velha máxima de que clássico não se joga, clássico se ganha. A pegada é outra, o sangue no olho precisa existir, a vontade de vencer precisa ser maior do que tudo. Não foi.

Foto: Rodrigo Sanches/Paraná Clube

Não podemos dizer que o Coritiba fez um excelente jogo. De uma forma geral, os dois times fizeram uma partida ruim. É claro que o clima do estádio faz diferença. Ter como primeiro jogo um clássico, dentro de sua casa e com os portões fechados, muda o cenário que estamos acostumados a vivenciar em dias assim. Mas aqui precisamos ter a capacidade de adaptação, precisamos trabalhar até o psicológico para lidar com o momento atípico que vivemos e fazer tudo da melhor forma possível.

Nenhuma derrota é boa, derrotas em momentos decisivos e contra o rival são piores ainda. Mas precisamos lembrar que esse é só o primeiro jogo. Eles também não poderão encher suas arquibancadas, não terão a possibilidade de criar qualquer clima favorável e, se tivermos foco e raça, temos uma possibilidade muito grande de reverter essa largada negativa.

Não podemos deixar de nos atentar aos erros cometidos, aos detalhes que fizeram com que saíssemos com um gosto amargo da partida. É necessário estudar cada detalhe, é necessário que, nesse meio tempo até o próximo confronto, cada jogador consiga enxergar o que pode fazer para buscar a vitória, como pode entregar 110% em campo e conquistar a classificação.

Não precisamos lembrar que, por mais que o Campeonato Paranaense seja considerado por muitos um evento sem muitas vantagens, ainda assim é uma disputa, ainda assim exige esforço, dedicação e mexe com o torcedor. E nada mais justo do que quem veste as nossas cores se dedicar ao máximo para retribuir todo o apoio que encontra diariamente.

Que possamos evoluir nos próximos dias, que possamos encontrar a chave para dar o próximo passo rumo ao objetivo principal. Como dizem os experientes: O JOGO SÓ ACABA QUANDO TERMINA!

 

Por Gabrielle Bizinelli

 

Esclarecemos que os textos trazidos nesta coluna não representam, necessariamente, a opinião do Blog Mulheres em Campo