NA LANTERNA SIM, DOS AFOGADOS NÃO!

 

Na fé da torcida em Jesus Cristo, depois de mais de um mês, a Macaca voltou a vencer.

 

 

(Foto: GE)

 

Tem quem vá dizer que o time não fez mais que obrigação em vencer o Afogados-PE, mas eu prefiro pensar que depois de tudo que a equipe tem passando, a vitória veio na melhor hora.

Não precisamos desmerecer o adversário, que eliminou um dos grandes favoritos da competição, o Atlético Mineiro. Sabemos o quanto o campeonato é difícil e o quanto times como o que enfrentamos ontem (12), lutam para ganhar em função da boa premiação.

Brigatti trouxe uma proposta nova ao elenco e ao que tudo indica, as mudanças surtiram efeito. Deus ouviu nossas preces, veio em forma de esquema tático e deve ter sentado com nosso comandante para bater um papo.

Jogando pelo 4-4-2 com dois meias e dois atacantes de referência, Saraiva ficou no banco (graças a Deus) e deu lugar para a entrada de Safira, e Zanocello ocupou o lugar de Bruno Rodrigues. Com isso, até o menino Jeferson voou em campo na noite de vitória.

Roger, por sua vez, teve a oportunidade de tirar a “inhaca” que anda rondando seu corpo, mas para quem diz que o atacante só faz gol de pênalti, ontem ele mostrou que a lenda não é tão verdade assim. Podendo ampliar o placar, a bola parou nos pés do pequeno mini craque Wallef, que joga de boné à noite porque o refletor atrapalha.

Mas para a tristeza de muitos que gozaram e ficaram felizes quando o atacante perdeu o pênalti, respondendo à altura, um minuto depois, Roger deixou o seu, e aí foi só comemorar. Ainda em tempo, nasci para ver macaco feliz quando o jogador perdeu um gol, apenas para poder criticá-lo.

Com o placar mais folgado, a Macaca ainda deixou o terceiro com Bruno Reis que resolveu finalmente desencantar. 3 x 0 e quase dois milhões na conta.

O jogo de volta é na próxima quinta-feira (19), às 20 horas, no Vianão. A macaca pode perder por até dois gols de diferença e garantir a classificação para a próxima fase.

Com 3 x 0 e um fôlego a mais, é como nosso treinador adora dizer: vamos virar a chave! Pelo Paulistão, agora é dérbi. É tapa na cara, é sangue no olho, é comer grama. É na casa do adversário, é suor dobrado!!!

Preto e Branco é minha cor!

Por Li Zancheta

 

*Esclarecemos que os textos trazidos nesta coluna, não refletem, necessariamente, a opinião do Blog Mulheres em Campo.