Na vitoria ou na derrota eu grito forte: Corinthiano eu serei até a morte!

Corinthians é derrotado pelo Cruzeiro e fica de fora das decisões da Copa do Brasil

 

O Corinthians viveu momentos singulares na partida. Foto: Globo Esporte

 

Com a vantagem construída na Arena Corinthians, a equipe alvinegra podia até perder por um gol de diferença, ou empatar, mas quando Arrascaeta entrou em campo, no lugar do lesionado Rafinha, a partida foi incendiada. Saímos perdendo, e Rodriguinho, que tem surpreendido foi buscar o empate, colocando o time na semi-final, novamente.

Em um jogo bem jogado, Oswaldo mexeu bem na primeira etapa, corrigindo o posicionamento da equipe, ao colocar Guilherme com um verdadeiro 10 e adiantar Romero. Mas a defesa pecou, principalmente o lateral Fagner, que com seguidos erros, deixou livre Arrascaeta, que comandava o ataque Celeste.

Apagado no segundo tempo, o Corinthians viu o Cruzeiro, construir uma boa vantagem. Primeiro, após o pênalti infantil e discutível, de Pedro Henrique em Arrascaeta, que foi convertido por Ábila e em seguida com gol de cabeça do zagueiro Bruno Rodrigo, que subiu sozinho.

 

Oswaldo duelou com Mano. Sorte maior do técnico Cruzeirense. Foto: Uol

 

O time lutou, mesmo com suas enormes limitações e Oswaldo de Oliveira, mexeu com o que tinha  a disposição e sentiu a falta de opções no ataque. A zaga seguia dormindo e Arrascaeta aumentou a vantagem, em jogada ensaiada.

Rildo entrou e diminuiu, dando esperanças à torcida, mas o time Celeste catimbou e o juiz permitiu o lenga lenga.  Era o fim do sonho do Tetra e da salvação da temporada.

 

Vida que segue

 

O Corinthians enfrentará no Brasileirão, Flamengo (domingo), Chapecoense (29/10), São Paulo (6/11), Figueirense (16/11), Internacional (20/11), Atlético-PR (27/11) e Cruzeiro (4/12) e tem  a obrigação de encarar cada confronto, como uma final.

 

“Vamos trabalhar bastante. Vejo potencial para melhorarmos e vencermos a maioria das partidas que ainda temos pela frente. Nesses sete jogos, queremos dar mais agressividade à equipe. Ainda falta um pouco disso ao Corinthians, ser mais agressivo na marcação, ser mais agressivo na chegada à área adversária”, cobrou Oswaldo.

 

O que não anima o torcedor é a queda de produção do time no segundo turno. Com aproveitamento pífio, o Corinthians só venceu adversários da parte de baixo da tabela, e a maioria, dentro de casa. Dos jogos restantes, 3 serão em Itaquera.

2016 é um ano pro Corinthiano esquecer: seguidos desmanches, eliminação pelo Audax no Paulistão e pelo Nacional-URU na Libertadores, vai e vem de treinadores, despencada no Brasileirão e agora a eliminação na Copa do Brasil para o Cruzeiro. Faltando poucas rodadas para o fim do Nacional e ocupando a 7º colocação, fica uma tremenda interrogação sobre a cabeça do torcedor: E agora?

Agora nos resta torcer e ver se o time tem forças para buscar uma vaga para a competição continental. Renasce, sacode a poeira e dá a volta por cima, diz um samba dos Gaviões e nada nesse momento, se encaixa mais a situação alvinegra do que isso.


 

Por Mariana Alves