Nada é impossível para o clube da fé!

Às ‪21h45(BSB) desta quarta-feira (13), o coração de todo são-paulino estará em Medellín (COL), onde o time enfrenta o Nacional e mesmo diante de toda complexidade, não há como não acreditar, não há como não ter FÉ!
 

A missão do tricolor
O São Paulo precisa fazer 2 gols e não tomar nenhum para levar a decisão aos pênaltis. Já para passar direto no tempo normal, o tricolor necessita marcar 2 A MAIS que os donos da casa, ou seja 3x1, 4x2, 5x3, dai em diante. Não se vê nada de impossível nisso e com certeza será difícil, mas impossível JAMAIS!
 
Preparativos de Bauza
O time desembarcou na cidade colombiana na segunda-feira (11) e já fez seu primeiro treino no Estádio Atanasio Girardot, que serviu também como reconhecimento de gramado e foi fechado para a imprensa na maior parte do tempo. Patón comandou um trabalho tático, exigiu que o time pressionasse a saída de bola e simulou algumas situações de jogo, sempre apontando os pontos fortes do Nacional. Quando o treino foi liberado à imprensa o grupo já aprimorava finalizações.
 
Já na terça-feira, Patón definiu a equipe que vai entrar em campo e o time vem com Denis; Bruno, Lugano, Rodrigo Caio e Mena; Hudson, Thiago Mendes, Wesley, Centurión e Michel Bastos; Calleri.
 
A maior parte do treino foi fechada à imprensa, em determinado momento João Schmidt sentiu novamente a lesão na coxa direita, chegando a chorar e Michel Bastos consolou o garoto. Pôde-se observar treino intenso de finalizações com Michel Bastos e Centurión, o argentino no lugar de Ytalo é a única grande mudança da equipe em relação a que jogou quarta-feira passada (6).
 
FALA LUGANO!
 
Diego Lugano, campeão da Libertadores de 2005 com o São Paulo, foi o escolhido para falar com a imprensa após o primeiro treino na segunda-feira e disse sobre a dificuldade da partida e sobre fazer historia:
 
“É uma tarefa difícil pela diferença de gols, ainda mais em uma semifinal de Taça Libertadores. Temos que virar fora de casa contra um time que tem sido superior aos outros. É muito difícil, mas com certeza faremos um esforço. E vamos tentar até o último minuto dar o melhor. A camisa do São Paulo é pesada, tem história, é preciso acreditar.”
 
 
FOTO: Rubens Chiri / saopaulofc.net
 
Temos a sorte de estarmos jogando uma semifinal de Libertadores. Muito mais do que pressão, é uma alegria, uma motivação. Estamos competindo por coisas grandes, não vamos deixar de sonhar, de lutar. O futebol dá muitas voltas. Talvez quarta-feira o São Paulo faça história aqui.” – Completou o camisa 5.
 
O único Brasileiro vivo na competição!
 
Se o tricolor vai ou não disputar a final contra o Boca Juniors-ARG ou Independiente del Valle-EQU, só saberemos após o apito final do arbitro chileno Patricio Polic e dos seus assistentes Marcelo Barraza e Christian Schiemenn. O que já sabemos e ninguém pode nos tirar, é que chegamos mais longe do que qualquer outro brasileiro nessa edição da Copa Libertadores da América. Sabemos também que os nossos jogadores deram tudo de si nos momentos em que mais precisamos e que na noite desta quarta-feira não será diferente.
 
A camisa do São Paulo pesa, pesa porque tem história, porque conquistou 3 vezes a América e nas 3 pintou o mundo de vermelho, branco e preto. Não é atoa que todos os futebolistas desse país vão parar ‪amanhã, se não para torcer, será para secar o soberano! Eu acredito em uma virada histórica do Tricolor, mas independente dessa virada acontecer ou não o SÃO PAULO FUTEBOL CLUBE continuara GIGANTE!
 
 
Por Jéssica Nogueira Gonçalves