Não deu para segurar...

O jogo da noite desta quarta-feira (26) foi sem sombra de dúvidas mais uma partida emocionante, infelizmente não conseguimos a classificação. A torcida que compareceu ao estádio na Colômbia estava com grande expectativa.  

 

Tivemos azar logo no sorteio para a Copa Sul-Americana, pegamos uma chave onde ali estava o atual campeão da Libertadores e o melhor time do continente.  

 

A missão era difícil sim, e o empate em casa nos deixou com obrigação de fazer o resultado fora. Não podemos negar que o Nacional é um time tecnicamente superior ao nosso. Mas o verdão está de parabéns, pois pela primeira vez chegou às quartas de final da Sula.

 
 

 

Fonte: Coritiba

 
 

O JOGO

 

No primeiro tempo, o Coritiba surpreendeu e se manteve muito bem dentro de campo, para coroar a situação do verdão, Cezar Gonzales abriu o marcador com um lindo golaço de falta. Apesar do Nacional apresentar mais posse de bola no primeiro tempo, quem chegava mais à grande área adversária era o Coritiba com uma postura ofensiva.

 

Mas a realidade veio no segundo tempo, o elenco dos mandantes se propôs ao nosso, naturalmente, a diferença entre os times era nítida.

 

Na etapa complementar foi a vez dos colombianos reagirem, voltaram muito mais ofensivos. De fora da área, Miguel Borja, que inclusive é o artilheiro da equipe, mandou para o gol.  Também tivemos alguns milagres em campo, Berío entrou na área coxa-branca e chutou com tudo, a bola simplesmente bateu na trave e voltou.

 

O Coxa ainda sofreu por uma injustiça da arbitragem, depois de cobrança de escanteio, Borja pegou de voleio e mandou a bola de cara para o gol, Wilson não teve chances de defesa, ao tentar cortar uma cobrança de escanteio, o juiz entendeu que Kazim tocou a bola com a mão, o que não aconteceu, e marcou penalidade máxima, uma cobrança injusta de um pênalti que na realidade não aconteceu, mais uma vez, Borja bate a penalidade e finaliza o jogo com o placar apontando 3x1 para o Nacional.

 
 

Fica aquele pensamento que podíamos ter avançado mais na competição, tivemos um gostinho por umas rodadas, porém ninguém pode se abater com a eliminação.

 

Sábado temos o Botafogo pela frente e agora é canalizar energias e forças para tentar segurar o Botafogo fora de casa pelo Brasileirão. Mais uma pedreira.

 

Da Sula ficaram boas lembranças, um marco histórico sim para o time do Coritiba. Acreditamos que foram plantadas raízes para o ano vindouro de 2017. Precisamos dessas competições internacionais para que a evolução do elenco seja corriqueiramente.

 
 

JUNTOS ATÉ O FIM!!!

 

Por: Jéssica Bandeira