NÃO FOI DESTA VEZ

 

Em jogo emocionante, Flamengo conquista o tri da Copa São Paulo, após apagão Corinthiano

 

Ahhh que saudades que eu estava do Pacaembu! Saudades de ver a Fiel cantando, de ver o bom e velho Tobogã, de ver aquele estádio imponente, nossa velha casa, que eternamente estará no coração de cada torcedor alvinegro. O reencontro veio com direito a uma final contra um de nossos maiores rivais, mas o resultado não foi o esperado.  

Corinthians e Flamengo, entraram em campo as 10hrs desta segunda-feira, pela final da Copa São Paulo de Futebol Junior. O clássico do povo, teve casa cheia, cerca de 29 mil torcedores compareceram ao estádio, e foi marcado por uma impressionante virada rubro-negra.

A comissão técnica do Corinthians estava no Pacaembu, retornando da pré-temporada nos EUA, o que significava uma boa chance dos meninos mostrarem serviço ao técnico Tite. E foi isso que aconteceu no primeiro tempo, deixando  Tite, satisfeito com o que viu.

 

O Jogo....e que jogo!

 

O jogo foi de dois tempos bem distintos. No primeiro, o Corinthians dominou a partida, após abrir o placar, com Gabriel Vasconcelos, que aproveitou bem o cruzamento de Léo Príncipe, girou e marcou. A equipe do Rio, simplesmente sumiu em campo e minutos depois com um golaço, Matheus Pereira ampliou o placar, 2x0.  Em sua comemoração, Matheus imitou o grande ídolo, Dr. Sócrates.  

 

622_9a3d296d-7bac-37c1-aefa-9dbd495ed716.jpg

Gabriel, comemora seu gol contra o Flamengo. Foto: espn

 

Com placar favorável, o técnico Osmar Loss, alertou sobre um possível recuo do Corinthians e a equipe foi ao vestiário, sabendo que precisaria manter o mesmo ritmo se quisesse sair com o título, mas o que se viu, foi um time completamente relaxado e omisso em campo.  

A reação rubro negra foi construída em apenas 10 minutos! Logo no primeiro lance do segundo tempo, após cobrança de escanteio, Paquetá descontou para o Fla, o auxiliar Danilo Simon, assinalou impedimento de maneira errônea. Dois minutos depois, Matheus Sávio, cobrou escanteio na cabeça de Trindade, que não desperdiçou, 2x1.  

Aos 8 minutos, Matheus Sávio, bateu cruzado e empatou, aumentando o nervosismo no estádio. O atacante Léo Jabá errou na saída de bola, que originou o gol de empate e acabou sendo substituído.

 

matheus-savio-do-flamengo-comemora-gol-de-empate-no-tempo-normal-nos-penaltis-time-carioca-fez-4-a-3-1453732738494_300x300.jpg

Matheus Sávio, em comemoração ao gol de empate. Foto: uol

 

Evidentemente cansados, as duas equipes baixaram o ritmo, depois dos 30 minutos e a final por pênaltis já era uma certeza. Nas cobranças, o Corinthians desperdiçou três pênaltis consecutivos, com Matheus Pereira, Gabriel e Claudinho. Patrick, converteu a última cobrança e com 4x3, o Fla, garantiu o tricampeonato.

 

Foto:coluna do torcedor

 

As duas equipes, deixam o torneio de forma invicta e o título foi mais que merecido ao rubro-negro. Os meninos do Rio, foram verdadeiros guerreiros em campo e souberam, lutar para reverter o placar desfavorável. Aos Corinthianos, fica a lição de que não existe essa de "já ganhou". Futebol, se resolve e se joga dentro das quatro linhas. Deixar-se levar por estádio cheio e placar favorável é dar sorte para o azar, talvez desta maneira eles aprendam que vestir o manto sagrado do alvinegro de Parque São Jorge, não é algo para qualquer um.  

Não posso terminar este texto, sem pontuar minha insatisfação com a torcida organizada, que novamente atrapalhou o espetáculo, com uso de sinalizadores. O clube não pode mais ser responsabilizado, por erros de torcedores. Ir ao estádio, cantar, apoiar o time durante os 90 minutos, seja na base ou no profissional, na série b ou no Japão, colocar o nome Corinthians como algo sagrado e honrado, me fazem amar a minha torcida, mas ao ver casos como este, onde atitudes podem prejudicar nosso bem maior, não há maneiras de se calar. Nação, vá ao estádio simplesmente TORCER!

Deixo também meus parabéns ao excelente trabalho do técnico Osmar Loss, que chegou a sua segunda final de Copinha seguida. O trabalho de lapidar joias para futebol é algo difícil e demorado. Conter os ânimos e o estrelismo precoce de alguns é tarefa de um verdadeiro professor.  

Muitos meninos, sonham em vestir a camisa de um grande clube, e a base das equipes significam o primeiro passo para a realização deste sonho. Boa sorte a todos os jogadores que disputaram o torneio, este é apenas o começo!

 

Mariana Alves, em homenagem ao meu querido rubro negro Neto Gomes