Não há estádio mais humano

 

 

Com essa frase de Ruy Carlos Ostermann eu começo a falar sobre esse "tal" estádio, sobre a minha segunda casa.

 

 

Foto: Site Oficial do clube

 

 

Antes do Estádio Bento Mendes De Freitas ser utilizado para jogos, o Grêmio Sportivo Brasil, isso mesmo, com S, costumava jogar em vários lugares dentro da cidade de Pelotas, no primeiro ano de fundação do clube os jogos aconteciam na Félix Da Cunha, ou qualquer rua que estive boa para uma boa partida . Em menos de dez anos, o clube que foi fundado no dia 7 de Setembro de 1911 havia conquistado um espaço enorme para realizar os jogos, mais precisamente um terreno de 130m x 130m, onde hoje é um bairro, Simões Lopes, nesse local passavam os trens, logo, jogadores e torcedores ficaram conhecidos como "os negrinhos da estação", sem entrar muito em um assunto que deve SIM ser falado, não vou tirar o foco do texto e vou apenas dizer que os jogadores eram negros e sim, o BRASIL permitia jogador negro, entendam como quiser.

Bueno, aos trancos e barrancos chegou o ano de 1939, nesse ano o então "guri" Bento Mendes De Freitas, com 36 anos de idade foi eleito do Presidente desse tão amado clube, eis que o mesmo, com uma visão mais jovem e para frente fez uma "campanha" para compra de um terreno na melhor rua da cidade: João Pessoa e estava escrito, seria ali a nossa casa, a nossa Baixada, o nosso caldeirão e nosso estádio, casa de uma nação vermelha e preta.

 

 

Ex Presidente Bento Mendes De Freitas, melhor pessoa

Foto: Livro Identidade Xavante

 

 

Mas pensam que foi fácil? Não! Aliás, quando alguma coisa for fácil para o meu time, eu mudo de nome. No dia 30 de agosto a compra foi realizada com sucesso, depois de muita luta e persistência os negrinhos já conseguiam sorrir de orelha a orelha, pois acabou, e tínhamos/temos nosso lar. No dia 23 de maio de 1943, o já então Grêmio Esportivo Brasil, com E, inaugurou! Estava ali, ele, o Bento Freitas, localizado na Rua João Pessoa, onde tu só pega a descida da Rua Princesa Isabel e te acha.

 

 

Rua Princesa Isabel

Foto: Arquivo pessoal (mamãe sabe o que é bom)

 

 

Em 1978 o Brasil iria disputar o Campeonato Brasileiro e precisou ser expandido, onde surgiram as cadeiras cativas, começou a criar forma essa coisa linda que É até hoje. Com a ajuda de muitos colaboradores, torcedores, pessoas desconhecidas, o projeto saiu do papel. Por isso, hoje nós afirmamos que não é o clube que tem uma torcida, é a torcida que tem um clube, um time e um estádio, todos Rubro-Negros se unem por uma só causa: O BEM DO NOSSO XAVANTE, e nesse caso citado não foi diferente.

 

 

Foto: Alice Silveira

 

 

Primeiro jogo: O primeiro jogo do Brasil, não foi realizado na Baixada e sim em um campo aberto no bairro fragata no dia 11 de outubro de 1911, o adversário foi o Clube Sete De Setembro, e a partida ficou empatada em 2x2.

Primeiro jogo no Bento Freitas: Um jogo amistoso para inaugurar o local onde seria o abrigo do torcedor Rubro-Negro, O Brasil recebeu o Força Luz (Porto Alegre), só para variar, a torcida compareceu em grande número.  A maior e mais fiel mostrando sua força desde sempre. Os donos da casa venceram pelo placar de 3x2, no dia 23 de maio de 1943.

Primeiro gol: Lucão (Brasil De Pelotas)

Maior público: Um dos maiores públicos já registrados foi entre Brasil e Flamengo, no dia 18 de julho 1985, naquele dia todos os caminhos levavam à Baixada, e foram mais de 22 mil vozes empurrando o "time pequeno" que venceu o Fla de Zico e Zagallo por 2x0, que por sinal, ele, o Zico, fez até um seguro de suas pernas, pois temia ser "atacado" pelos jogadores Xavantes durante os 90 minutos, segura aí Zico, aquele time tinha potencial e não precisou disso.

Maior goleada: Brasil 5 x 1 Avenida, dia 30/06/2013. Na era Rogério Z.

Falando por mim, que aqui escrevo:

Dia mais feliz dentro do Bento Freitas: Difícil escolher um, muito difícil mas vamos lá: Um jogo entre Brasil e Ypiranga/Erechim, que jogo! Precisávamos reverter uma derrota cruel no primeiro jogo, onde o Ypiranga venceu por 2x0, logo, 3x0 seria o placar ideal e FOI. Com gols de Alex Martins (1) e Nicolás (2) garantimos a vaga para a final da copa Paulo Rogério Amoretty. Sofrido, na garra, na raça, no grito e na competência. Foi louco, com Suca (treinador na época) e tudo.  Dia 25 de novembro de 2007 para sempre na memória.

 

 

Por você eu viverei!

Foto: Arquivo pessoal

 

 

Dia mais triste dentro do Bento Freitas: Bom, eu pensava que uma derrota, uma eliminação, um gol perdido, uma expulsão, um rebaixamento fosse triste, cruel com todos nós, mas a vida deu uma rasteira e mostrou que existe coisa pior, a única coisa que não tem solução: a morte. Nunca imaginei ver os jogadores do meu time dentro do gramado em caixões, no dia 16/01/2009 lá estava eu, vivendo o pior momento com o Brasil, vendo os corpos do Milar, Régis e Giovani sendo velados, morreram em um acidente na vinda para Pelotas depois de um amistoso na madrugada do dia 15/01/2009, estavam se preparando para o Campeonato Gaúcho. O ônibus capotou, a cidade inteira parou e chorou.

 

 

Foto: Lucas Rizzatti/Globoesporte.

Estarão sempre aqui - Régis, Milar e Giovani

 

 

Para finalizar, hoje em dia a Baixada está passando por mudanças, arquibancadas novinhas, doeu bastante ver a demolição delas, mas para vir coisas novas e boas, precisamos desapegar do passado, né? Mas será um estádio novo com a mesma alma. Minha recordação está na estante da minha casa, um tijolo de lá onde fica a Garra Xavante, melhor lugar para se localizar lá dentro. Lá onde fica o coração do Bento Freitas; Temos muito chão ainda pela frente, mas eu ainda ei de ver a minha segunda casa, linda, nova e com tudo que ela merece.

 

 

Uma imagem de dor e sofrimento

Foto: Site Oficial do clube

 

 

Na Baixada me criei, frequentadora desde os 8 anos de idade, criei uma afinidade do tamanho do mundo por esse local, fiz amigos, churrascos, chorei, gritei, sorri, com chuva, sol eu estava lá e vou continuar até quando me for permitido. Tenho o meu nome gravado na calçada, sei ir de olhos fechados, conheço cada cantinho e a vontade de estar lá dentro é inexplicável, não precisa ter jogo para eu fazer o meu chimarrão, me sentar e ficar observando, um lugar que mesmo com todas dificuldades que passou, passa e ainda irá passar, traz uma paz, uma calmaria e uma emoção que eu nunca senti em nenhum outro lugar. Eu tenho orgulho do meu estádio, ele é um aos olhos de vocês e outro aos nossos olhos, por isso jamais questionem a loucura de ser Xavante, não tem explicação, é sentimento e sentimento apenas se sente. Faço questão de estufar o peito e dizer: SOU DA BAIXADA!

 

 

Foto: Arquivo pessoal


 

" O meu lugar é cercado de luta e suor, esperança num mundo melhor e cerveja pra comemorar..." - Arlindo Cruz




Foto: Arquivo pessoal

 

Estádio Bento Freitas, localizado na Rua João Pessoa, nº 694 - Bairro Centro - Pelotas/RS.

 

 

Foto: Alice Silveira


 

Informações: Arquivos pessoais, livros, dvds, jornais e minha memória que só funciona quando tem Xavante no meio.

 

Bruna Porto

 

 

Com essa frase de Ruy Carlos Ostermann eu começo a falar sobre esse "tal" estádio, sobre a minha segunda casa.

 

 

Foto: Site Oficial do clube

 

 

Antes do Estádio Bento Mendes De Freitas ser utilizado para jogos, o Grêmio Sportivo Brasil, isso mesmo, com S, costumava jogar em vários lugares dentro da cidade de Pelotas, no primeiro ano de fundação do clube os jogos aconteciam na Félix Da Cunha, ou qualquer rua que estive boa para uma boa partida . Em menos de dez anos, o clube que foi fundado no dia 7 de Setembro de 1911 havia conquistado um espaço enorme para realizar os jogos, mais precisamente um terreno de 130m x 130m, onde hoje é um bairro, Simões Lopes, nesse local passavam os trens, logo, jogadores e torcedores ficaram conhecidos como "os negrinhos da estação", sem entrar muito em um assunto que deve SIM ser falado, não vou tirar o foco do texto e vou apenas dizer que os jogadores eram negros e sim, o BRASIL permitia jogador negro, entendam como quiser.

Bueno, aos trancos e barrancos chegou o ano de 1939, nesse ano o então "guri" Bento Mendes De Freitas, com 36 anos de idade foi eleito do Presidente desse tão amado clube, eis que o mesmo, com uma visão mais jovem e para frente fez uma "campanha" para compra de um terreno na melhor rua da cidade: João Pessoa e estava escrito, seria ali a nossa casa, a nossa Baixada, o nosso caldeirão e nosso estádio, casa de uma nação vermelha e preta.

 

 

Ex Presidente Bento Mendes De Freitas, melhor pessoa

Foto: Livro Identidade Xavante

 

 

Mas pensam que foi fácil? Não! Aliás, quando alguma coisa for fácil para o meu time, eu mudo de nome. No dia 30 de agosto a compra foi realizada com sucesso, depois de muita luta e persistência os negrinhos já conseguiam sorrir de orelha a orelha, pois acabou, e tínhamos/temos nosso lar. No dia 23 de maio de 1943, o já então Grêmio Esportivo Brasil, com E, inaugurou! Estava ali, ele, o Bento Freitas, localizado na Rua João Pessoa, onde tu só pega a descida da Rua Princesa Isabel e te acha.

 

 

Rua Princesa Isabel

Foto: Arquivo pessoal (mamãe sabe o que é bom)

 

 

Em 1978 o Brasil iria disputar o Campeonato Brasileiro e precisou ser expandido, onde surgiram as cadeiras cativas, começou a criar forma essa coisa linda que É até hoje. Com a ajuda de muitos colaboradores, torcedores, pessoas desconhecidas, o projeto saiu do papel. Por isso, hoje nós afirmamos que não é o clube que tem uma torcida, é a torcida que tem um clube, um time e um estádio, todos Rubro-Negros se unem por uma só causa: O BEM DO NOSSO XAVANTE, e nesse caso citado não foi diferente.

 

 

Foto: Alice Silveira

 

 

Primeiro jogo: O primeiro jogo do Brasil, não foi realizado na Baixada e sim em um campo aberto no bairro fragata no dia 11 de outubro de 1911, o adversário foi o Clube Sete De Setembro, e a partida ficou empatada em 2x2.

Primeiro jogo no Bento Freitas: Um jogo amistoso para inaugurar o local onde seria o abrigo do torcedor Rubro-Negro, O Brasil recebeu o Força Luz (Porto Alegre), só para variar, a torcida compareceu em grande número.  A maior e mais fiel mostrando sua força desde sempre. Os donos da casa venceram pelo placar de 3x2, no dia 23 de maio de 1943.

Primeiro gol: Lucão (Brasil De Pelotas)

Maior público: Um dos maiores públicos já registrados foi entre Brasil e Flamengo, no dia 18 de julho 1985, naquele dia todos os caminhos levavam à Baixada, e foram mais de 22 mil vozes empurrando o "time pequeno" que venceu o Fla de Zico e Zagallo por 2x0, que por sinal, ele, o Zico, fez até um seguro de suas pernas, pois temia ser "atacado" pelos jogadores Xavantes durante os 90 minutos, segura aí Zico, aquele time tinha potencial e não precisou disso.

Maior goleada: Brasil 5 x 1 Avenida, dia 30/06/2013. Na era Rogério Z.

Falando por mim, que aqui escrevo:

Dia mais feliz dentro do Bento Freitas: Difícil escolher um, muito difícil mas vamos lá: Um jogo entre Brasil e Ypiranga/Erechim, que jogo! Precisávamos reverter uma derrota cruel no primeiro jogo, onde o Ypiranga venceu por 2x0, logo, 3x0 seria o placar ideal e FOI. Com gols de Alex Martins (1) e Nicolás (2) garantimos a vaga para a final da copa Paulo Rogério Amoretty. Sofrido, na garra, na raça, no grito e na competência. Foi louco, com Suca (treinador na época) e tudo.  Dia 25 de novembro de 2007 para sempre na memória.

 

 

Por você eu viverei!

Foto: Arquivo pessoal

 

 

Dia mais triste dentro do Bento Freitas: Bom, eu pensava que uma derrota, uma eliminação, um gol perdido, uma expulsão, um rebaixamento fosse triste, cruel com todos nós, mas a vida deu uma rasteira e mostrou que existe coisa pior, a única coisa que não tem solução: a morte. Nunca imaginei ver os jogadores do meu time dentro do gramado em caixões, no dia 16/01/2009 lá estava eu, vivendo o pior momento com o Brasil, vendo os corpos do Milar, Régis e Giovani sendo velados, morreram em um acidente na vinda para Pelotas depois de um amistoso na madrugada do dia 15/01/2009, estavam se preparando para o Campeonato Gaúcho. O ônibus capotou, a cidade inteira parou e chorou.

 

 

Foto: Lucas Rizzatti/Globoesporte.

Estarão sempre aqui - Régis, Milar e Giovani

 

 

Para finalizar, hoje em dia a Baixada está passando por mudanças, arquibancadas novinhas, doeu bastante ver a demolição delas, mas para vir coisas novas e boas, precisamos desapegar do passado, né? Mas será um estádio novo com a mesma alma. Minha recordação está na estante da minha casa, um tijolo de lá onde fica a Garra Xavante, melhor lugar para se localizar lá dentro. Lá onde fica o coração do Bento Freitas; Temos muito chão ainda pela frente, mas eu ainda ei de ver a minha segunda casa, linda, nova e com tudo que ela merece.

 

 

Uma imagem de dor e sofrimento

Foto: Site Oficial do clube

 

 

Na Baixada me criei, frequentadora desde os 8 anos de idade, criei uma afinidade do tamanho do mundo por esse local, fiz amigos, churrascos, chorei, gritei, sorri, com chuva, sol eu estava lá e vou continuar até quando me for permitido. Tenho o meu nome gravado na calçada, sei ir de olhos fechados, conheço cada cantinho e a vontade de estar lá dentro é inexplicável, não precisa ter jogo para eu fazer o meu chimarrão, me sentar e ficar observando, um lugar que mesmo com todas dificuldades que passou, passa e ainda irá passar, traz uma paz, uma calmaria e uma emoção que eu nunca senti em nenhum outro lugar. Eu tenho orgulho do meu estádio, ele é um aos olhos de vocês e outro aos nossos olhos, por isso jamais questionem a loucura de ser Xavante, não tem explicação, é sentimento e sentimento apenas se sente. Faço questão de estufar o peito e dizer: SOU DA BAIXADA!

 

 

Foto: Arquivo pessoal


 

" O meu lugar é cercado de luta e suor, esperança num mundo melhor e cerveja pra comemorar..." - Arlindo Cruz




Foto: Arquivo pessoal

 

Estádio Bento Freitas, localizado na Rua João Pessoa, nº 694 - Bairro Centro - Pelotas/RS.

 

 

Foto: Alice Silveira


 

Informações: Arquivos pessoais, livros, dvds, jornais e minha memória que só funciona quando tem Xavante no meio.

 

Bruna Porto