Não vimos o trator, vimos o gol do nosso Camisa 10!

 

Escrever sobre a dimensão do Gre-nal pode parecer redundante, mas quem vive esse clássico de perto não cansa de explanar sobre a energia que envolve o confronto. Esse domingo (03/07) foi a data escolhida para o encontro de número 410 entre Grêmio e Internacional, e as duas equipes chegaram ao Estádio Beira-Rio envoltos pelos mais diversos fatores característicos de Gre-nal, algo que o tornava ainda mais importante.

A posição da dupla na tabela do Brasileirão por si só justificava a importância de um bom resultado em ambos os lados. Com 21 pontos, o Tricolor era o terceiro colocado antes do início da 13º rodada. Mas na sua cola já estava o colorado, com 20 pontos ganhos até então. Uma vitória definiria quem fecharia essa etapa à frente do arquirrival. No caso do Inter, o favoritismo de mandante era um ponto favorável, algo que sempre pesa no clássico, o qual é um dos mais tradicionais e acirrados do país.

O cenário era o ideal para o torcedor que queria ver seu time de perto. Um belo domingo de sol com um clima extremamente agradável para um dia de inverno, era um verdadeiro atrativo para a torcida. O horário das 11 da manhã, que se mostra cada vez mais conveniente para os torcedores, foi outro fator que levou mais de 40 mil expectadores para o estádio na zona sul de Porto Alegre. A minoria de azul ocupou plenamente o espaço para si reservado e complementou o alento que iniciou ainda na manhã de sábado na Arena, quando cerca de 2 mil gremistas acompanharam e apoiaram os jogadores no último treino antes do Gre-nal.

Entretanto, não é exagero dizer que o fator de maior repercussão nas vésperas do Gre-nal 410 teve origem fora dos centros de treinamentos. Na metade da última semana vazou um áudio gravado pelo técnico colorado Argel Fucks, no qual o comandante afirmava que no clássico o time “passaria o trator nos adversários”. Pressionado após uma sequência de quatro jogos sem vencer no campeonato, o treinador foi enfático ao afirmar a necessidade de reação do seu elenco. Mesmo com o técnico gremista Roger Machado afirmando não ter utilizado o acontecimento na motivação do seu grupo, parece que a declaração adversária foi o suficiente para iniciar a busca gremista pelo êxito no clássico.

Fonte: Lucas Uebel / Divulgação Grêmio FBPA

 

Uma das grandes preocupações do Tricolor estava no fato de que o principal trunfo do adversário coincidia com a maior deficiência gremista na temporada: bolas alçadas na área. Já o rival parece ter se preocupado com o toque de bola utilizado pelo Grêmio. No time azul, os laterais Marcelo Oliveira e Edílson se destacaram por anular as jogadas coloradas pelos lados, complicando a vida de Arthur e William. Já no time vermelho, a opção de Argel foi iniciar a partida com três volantes em ação, o que, de certa forma, congestionaria a saída de bola adversária. Porém, mesmo com essa proposta do rival, aos 20 minutos do primeiro tempo, Luan lançou Éverton de forma perigosa em direção à meta de Muriel. O atacante gremista chutou forte pela esquerda, o que obrigou o goleiro a espalmar. O rebote ficou para Douglas que, de forma muito parecida com o que fez contra o Santos, chutou com a perna esquerda e garantiu o gol Tricolor.

Estava instaurada a festa azul, preta e branca no Beira-Rio. O placar desfavorável fez com que Argel já utilizasse uma de suas substituições ainda no primeiro tempo, tirando Fernando Bob e mandando Gustavo Ferrareis para o jogo. A troca surtiu efeito. Os mandantes do jogo começaram a abrir mais espaços e, automaticamente, intensificaram a procura pelo gol de empate. Como era de se esperar, o colorado tentou, e muito, encontrar o sucesso na bola aérea. Ao todo, foram vinte bolas alçadas na área gremista. Entretanto, os visitantes não sucumbiram ao trauma da temporada e garantiram a vitória no Beira-Rio.

A partida desse domingo representou mais um tabu quebrado pelo Grêmio de Roger Machado. Fazia quatro anos que o Tricolor não vencia um clássico fora de seus domínios. Além disso, os três pontos conquistados mantêm o time na ponta de cima da tabela, sem se distanciar ainda mais do líder Palmeiras. No lado adversário, o Inter chegou à quinta partida sem vitória, com um desempenho recente de um ponto conquistado em quinze disputados. O próximo adversário gremista será o Figueirense, na Arena, dia 10/07, às 11 horas.

O Gre-nal 410 foi um verdadeiro pacote completo com todos os fatores necessários que o tornam um dos clássicos mais representativos que existem. Entre polêmicas, provocações, reclamações ou jogadas fortes, prevaleceram o futebol e o show das duas torcidas. Para o lado gremista, resta curtir o bom resultado na casa do rival, mesmo sem ter visto o trator tão anunciado e divulgado durante a semana...

por Cintia Menzomo