NÃO VOU ME ILUDIR... MAS FALTA MUITO PARA VOLTAR A SÉRIE A?

 

coxa-bra-8.jpg

Foto: Jonathan Campos (Gazeta do Povo).


 

Terça-feira, 13 de agosto. Um frio de aproximadamente 12 graus (com sensação térmica de menos), um adversário tecnicamente fraco, um horário ruim para quem trabalha ou estuda no dia seguinte. Mas nada disso impediu os quase 17 mil Coxas-doidos de comparecerem até as dependências do Major para apoiar o time em busca de mais uma vitória. Seria a quinta SEGUIDA dentro do Couto Pereira. E deu certo. Ela veio!

 

O JOGO:

 

O Verdão começou a partida como de costume, e como deve ser dentro de casa: pressionando o adversário. Os gaúchos até tentaram, mas não conseguiram furar a defesa alviverde, que contava com Sabino (guardem esse nome), Rafael Lima e Muralha. Aliás, o arqueiro está com moral. Mesmo com a recuperação do goleiro Wilson, o técnico Umberto Louzer preferiu manter “Muralhão da Massa” no time, fazendo valer o velho ditado: em time que está ganhando, não se mexe. E vem dado certo. Mas o goleiro não precisou trabalhar muito, devido ao domínio de bola alviverde no primeiro tempo. Porém, ninguém marcou e o jogo permaneceu como começou: 0x0.

Na segunda etapa da partida, Louzer colocou o motorzinho Rafinha no lugar de Giovanni no time, e o desempenho alviverde melhorou. Mas o Brasil (que não é o do Tite) foi quem teve uma grande chance com um belo chute de Rafael Grampola, obrigando Muralha a fazer uma grande defesa. A torcida começou a ficar angustiada, até que, aos 18 minutos, saiu o grito de gol preso na garganta: Em cobrança de falta de Juan Alano (que vale ressaltar, vem fazendo grandes partidas... se um dia critiquei, não me lembro), o zagueiro Sabino - guardaram esse nome? - cabeceou para o fundo das redes. Além de segurar bem a bola na defesa, o zagueirão soube fazer bonito lá na frente. 

 

 

1G5A3207.JPG

Sabino e Rodrigão, o autor do gol e o artilheiro (que também é garçom nas horas vagas). Foto: Coritiba Oficial.

 

E parece que aquela história de recuar depois do gol ficou para trás (será?). Após abrir o placar, o Coxa continuou pressionando e queria mais. E logo veio o segundo, em jogada do trio de “erres”: Rafinha passou a bola para Rodrigão, que achou Robson livre para mandar para o fundo das redes. Galvão Bueno iria gostar de narrar esse jogo... 2x0 Coxa, para espantar de vez o frio das arquibancadas (eu vi até gente sem camisa, rodando ela para o ar, eu vi).

 

COMO FICOU:

 

O Coxa continua firme na segunda colocação, e não poderá mais ser alcançado por ninguém nesta rodada. Poderia até assumir a liderança se o Operário não resolvesse “amolecer” para o Bragantino (não é Malu?)... Mas a primeira colocação agora é o de menos. O time fez uma boa sequência para se firmar no G4 da disputada “bezona”, e o foco agora é manter o ritmo. A Série A é logo ali, meus amigos.

 

PRÓXIMOS COMPROMISSOS: 

 

Agora, a equipe alviverde precisa levar a força do Alto da Glória na bagagem: serão duas partidas longe do Couto, contra o Oeste (próxima segunda-feira, 19), e Bragantino (dia 22). O próximo desafio do Verdão é melhorar o desempenho fora de casa: até então, conseguiu apenas uma vitória, contra o Guarani.

 

VAMOS, NÃO PARE DE LUTAR!


 

FICHA TÉCNICA DA PARTIDA:

SÉRIE B – 16ª RODADA

CORITIBA 2 X 0 BRASIL DE PELOTAS

Arbitragem: Felipe Fernandes de Lima (MG).

Local: Estádio Couto Pereira.

Cidade: Curitiba - PR

Data: 13/08/2019

Horário: 21h30.

 

Coritiba:  Muralha, Diogo Mateus, Rafael Lima, Sabino, William Matheus, Giovanni (Rafinha), Matheus Sales, Thiago Lopes (Welissol), Juan Alano, Robson e Rodrigão.


Técnico: Umberto Louzer.

 

Brasil de Pelotas: Carlos Eduardo, Ricardo Luz, Leandro Camilo, Bruno Aguiar, Leandro Leite (Elias), Ednei, Cristian (Branquinho), Carlos Jatobá, Rafael Grampola (Rodrigo Alves), Diogo Oliveira e Murilo Rangel.


Técnico: Bolívar.

 

Cartões Amarelos: Cristian e Ednei (Brasil de Pelotas); Juan Alano (Coritiba).

 

Por Viviane Mendes.