Nem a chuva segura o Tricolor

 

Equipe vence terceira partida do Carioca e está praticamente classificado para as semifinais

 

A equipe Tricolor mostra a cada dia seu comprometimento na conquista do Campeonato Carioca ao vencer a Portuguesa por 3 x 0, em jogo disputado na noite deste domingo (5) no estádio de Los Larios. Quarta partida consecutiva. Assim, segue invicto na competição e mantêm sua defesa sem levar um gol. Com garra e com raça o elenco superou todas as adversidades desta partida, atípica pelo estrago que as fortes chuvas causaram ao gramado.

 

Foto: Globo Esporte

A arbitragem atrasou o início do jogo em meia hora por causa das péssimas condições do campo, que ficou completamente alagado. Para sanar o problema, funcionários do estádio usaram bombas d´água para a drenagem, além de baldes e rodos. Mesmo com todo esse engajamento, o gramado continuou com diversas poças nas laterais do campo e dentro da área. Não era possível enxergar as marcações do campo, o que atrapalhou ambas as equipes e o trio de árbitros.

O técnico Abel Braga foi contrário à realização da partida. E para tirar seus jogadores do vestiário abafado, os colocou para fazer aquecimento.

“Pelo que vejo, não temos condição de jogar num gramado assim. A bola não corre. É uma lástima ver isso acontecer dentro de um campeonato que é considerado um dos mais charmosos do Brasil. Pior é que esse problema se repete todo ano. Aguardo a decisão da arbitragem e farei o meu papel, mesmo totalmente contra essa partida ser realizada em tais condições”, declarou.

Não foi lá uma partida bonita de se ver. O campo tirou a estabilidade dos jogadores e os times jogaram meio que com a ajuda da sorte. Tecnicamente a partida foi bem abaixo do que poderia ter sido.

Aos 13 minutos, a equipe tricolor teve sua primeira chance de abrir o placar numa falta marcada em cima de Gustavo Scarpa. Que bateu foi Sornoza e a bola foi em cima da barreira.

Mesmo com a equipe Tricolor trocando passes e mostrando sua organização em campo, foi preciso paciência para lidar  com o piso molhado. E aos 32 minutos, Lucas ficou livre dentro da pequena área e lançou bela bola para Douglas. Este faz infiltração no meio da zaga adversária de forma inteligente, enxerga Henrique Dourado livre e lança. O Ceifador não perdoou e bateu para estufar a rede da Lusa.

Henrique Dourado autor do primeiro gol do tricolor

Fonte: ESPN

 

Quase no final do primeiro tempo, o Fluminense criou outra jogada que poderia ter ampliado o placar. Gustavo Scarpa recebeu no fundo e cruzou para o Ceifador, de novo ele, que chutou a gol para a defesa Lusa tirar a bola na linha. A sobra ficou para Sornoza e ele acabou batendo em cima do zagueiro.

Os Gandulas voltaram a trabalhar no intervalo para tirar a água do gramado. E começou o segundo tempo. Aos 12 minutos, após mais um lançamento para a área, Dourado domina no peito, ganhou dos zagueiros e a bola parou nos pés de Wellington. Léo passou, recebeu e soltou a bomba para ampliar o placar. O lateral se ajoelhou em campo e não conteve a emoção em comemoração, chegou às lágrimas.

Na sequência, uma cobrança de falta de Sornoza que foi para fora. E com 30 minutos, Abel faz duas substituições. Tirou Sornoza para a entrada de Marquinhos e Henrique Dourado saiu para dar lugar ao volante Luiz Fernando. Tentativa de deixar a equipe mais defensiva. Dois minutos depois, Romarinho bateu uma bola forte e o goleiro Júlio César faz uma ponte para defender.

E a equipe tricolor queria jogo. Aos 38, Marcos Júnior roubou uma bola de Victor Hugo, que havia acabado de entrar em campo, e saiu sozinho para o ataque. Pena que a bola saiu pela lateral. Este lance fez com que o jogador da Lusa caísse em cima do seu braço e deslocasse o ombro. Foi atendido fora do campo e não voltou para terminar a partida, apesar dizer ao médico que estava bem, por conta de uma luxação.

Ainda restavam alguns minutos e Gustavo Scarpa aproveitou a oportunidade que veio de um rebote na entrada da área. Ele passou no meio da zaga, esperou o momento certo e finalizou com um chute rasteiro para o gol da Lusa. A torcida agradeceu.

Autor do primeiro gol, Henrique Dourado disse que o grupo venceu na base da superação.

“O campo dificultou bastante. Foi mais um adversário. Jogamos pelo lado esquerdo, que estava com condições melhores. Usei trava mista, de alumínio e borracha e mesmo assim ficou difícil de parar em pé. Escorreguei duas vezes, mas faz parte", disse ele no final da partida.  

O próximo confronto do Fluminense será o Internacional, no Beira-Rio, na próxima quarta-feira, pela Primeira Liga.

 

FICHA TÉCNICA:

PORTUGUESA-RJ 0 X 3 FLUMINENSE

Renda: R$ 28.920,00

Público: 1.534 pagantes (1.771 presentes)

Árbitro: Patrício Wallace Maia (RJ)

Assistentes: Gabriel Viana (RJ) e João Luís de Albuquerque (RJ)

Cartões Amarelos: Marcinho Pitbull, Peterson (Portuguesa); Henrique Dourado (Flu)

Gols: FLUMINENSE: Henrique Dourado, aos 32 min do 1º tempo, Léo, aos 12, e Gustavo Scarpa aos 42 min do 2º tempo

 

PORTUGUESA: Marcelo Moretto, Belarmino, Marcão, Rodrigo Almeida e Diego Maia; Marcinho Pitbull, Peterson (Victor Hugo) e Matías Sosa (Allan), Romarinho, Fabinho (Douglas Caé) e Edu. Técnico: Nelson Rodrigues

 

FLUMINENSE: Júlio César, Lucas, Renato Chaves, Henrique e Léo; Jefferson Orejuela, Douglas, Junior Sornoza (Marquinho) e Gustavo Scarpa; Wellington Silva (Marcos Junior) e Henrique Dourado (Luiz Fernando). Técnico: Abel Braga


Carla Andrade