NO RETORNO AO FUTEBOL EM MEIO A PANDEMIA, BOTAFOGO GOLEIA A CABOFRIENSE NO ENGENHÃO

Glorioso protesta, mas joga bem, mesmo com pouco tempo de preparação

 

Foto: André Durão

A partida entre Botafogo e Cabofriense, neste domingo, às 11h, no Estádio Nilton Santos, marcou o retorno do alvinegro carioca aos gramados, mesmo diante da pandemia do Coronavírus. Após muitas tentativas de adiar esse retorno precoce, o clube recebeu uma notificação da justiça desportiva e teve que entrar em campo.

O Botafogo iniciou uma série de protestos contra a volta do futebol carioca desde que essa medida foi anunciada. O clube sempre ressaltou o seu posicionamento em suas mídias sociais e canais de comunicação. Os jogadores do Fogão postaram um manifesto em suas redes sociais no sábado (27), pouco antes do jogo, e, em campo, estenderam uma faixa com os dizeres “protocolo bom é o que respeita vidas”.  Na partida de hoje, foi respeitado um minuto de silêncio em homenagem às vítimas do Covid-19.  

O time entrou em campo engajado em mais uma campanha social. Na camisa, o Glorioso trouxe a frase “vidas negras importam”, em referência ao protesto mundial contra o racismo. Os jogadores também se ajoelharam em campo, logo após o apito inicial, e levantaram o punho, em gesto referente à esta causa tão importante. Os atletas da Cabofriense respeitaram o protesto antirracista e aguardaram o Botafogo dar o passe inicial. 

 

SOBRE A PARTIDA

 

O Botafogo entrou em campo com Diego Cavalieri, Marcelo Benevenuto, Ruan Renato, Cícero, Danilo Barcelos, Alex Santana, Honda, Bruno Nazário, Luiz Fernando, Luis Henrique e Pedro Raul.

Com a bola rolando, o Glorioso não teve qualquer dificuldade para vencer a Cabofriense, mesmo com apenas 8 dias de treinamentos com bola. O time montado por Paulo Autuori foi extremamente ofensivo, o que resultou em uma goleada por 6x2. Destaque do jogo, o camisa 9 do Fogão, Pedro Raul, marcou duas vezes. Além dele, Cícero, Bruno Nazário, Luis Henrique e Caio Alexandre deixaram o placar elástico. O time visitante tentou reagir com Diego Sales e Emerson Carioca. O Botafogo dominou as ações, mas estes dois gols mostraram que o time deixou a desejar no setor defensivo. 

Foto: André Durão

Ficou claro o desgaste físico devido ao pouco tempo de treino que a equipe teve antes da partida, nas substituições. A Cabofriense chegou a encostar no placar no início do segundo tempo (3x2), com um pênalti questionável no segundo gol, mas com as entradas de Fernando e Caio Alexandre o alvinegro voltou a ter perna e fôlego para jogar.

Uma substituição certeira também veio aos 44 do segundo tempo, e quem diria… Lecaros foi o responsável pela jogada do último gol, marcado por Caio Alexandre, mostrando que as substituições foram bem eficientes. 

 

Foto: André Durão

Com a vitória, o Botafogo está na segunda posição do grupo A, agora com 7 pontos, atrás do Flamengo que já está classificado para a semifinal da Taça Rio. Na próxima rodada, o Botafogo enfrenta a Portuguesa da Ilha, na quarta-feira, ainda sem local e horário confirmados.

Mesmo considerando o retorno precoce, a saudade estava grande, e nada melhor do que se surpreender com o time no primeiro jogo da volta do futebol. O clube e seus jogadores vinham dando show fora de campo com seus posicionamentos, e hoje o baile foi dentro das quatro linhas. Teve posicionamento, teve protesto, teve vitória e GOLEADA. Mais do que nunca, ser Botafogo é orgulho. Valeu, FOGÃO!

 

Por Rayssa Rocha e Deborah Rocha, colunistas do Botafogo-RJ

 

*Esclarecemos que os textos trazidos nesta coluna, não refletem, necessariamente, a opinião do Blog Mulheres em Campo.